Arquivo

Balanço. Com pauta tomada por MPs, Câmara dos Deputados ainda encontra motivos para festejar

Em meio ao recesso parlamentar, as férias de inverno do Congresso Nacional, é hora de fazer o balanço das atividades no primeiro semestre. E, incrível (ou notável, dependendo do ponto de vista), se encontram razões para festejar, ao menos na Câmara dos Deputados.

 

Não são muitas, é verdade, e desconfie um pouco dos números grandiosos. Em todo caso, como evento jornalístico vale a pena ler a reportagem de Eduardo Piovesan, da Agência Câmara de Notícias e que trata justamente do desempenho dos edis federais, até que o recesso iniciasse. Confira:

 

“Lei Seca e piso para professor são destaques do semestre

A Câmara dos Deputados aprovou mais de 300 proposições no primeiro semestre deste ano. Em 94 sessões deliberativas do Plenário, foram aprovadas 36 medidas provisórias, 26 projetos de lei, 1 proposta de emenda à Constituição (PEC), 1 projeto de lei complementar, 62 projetos de decreto legislativo e 3 projetos de resolução, totalizando 129 proposições. Além do Plenário, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou 178 projetos de lei em caráter conclusivo em 63 reuniões.

Entre os projetos aprovados destaca-se o que fixa em R$ 950 o piso salarial nacional para professores do ensino público infantil, fundamental e médio nos três níveis (federal, estadual e municipal) – Lei 11.738/08. A matéria foi sancionada ontem pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O piso será estendido inclusive aos aposentados e pensionistas da carreira que ingressaram no serviço público até 2003, mas sua implementação será gradativa até janeiro de 2010.

A proibição de dirigir com qualquer grau de álcool no sangue – a chamada Lei Seca -, projetos de lei sobre segurança pública e a regulamentação da guarda compartilhada foram outras das matérias importantes aprovadas no período. No caso da Lei Seca (11.705/08), o aumento do rigor nas punições para o motorista que dirige embriagado foi introduzido pelos deputados em uma medida provisória que tratava apenas da proibição de venda de bebidas alcoólicas em estradas federais.

A medida tornou o Código Brasileiro de Trânsito mais rígido, ampliou o debate sobre álcool e direção e garantiu aos órgãos de trânsito e à Policia Rodoviária Federal instrumentos para reduzir o número de acidentes.

Segurança
Na área de segurança, foram aprovados nove projetos. Entre eles estão o que estabelece penas maiores para crimes sexuais contra crianças e adolescentes; o que tipifica o crime de seqüestro relâmpago; e o que disciplina as medidas cautelares como prisão temporária e preventiva. Essas propostas ainda serão votadas pelo Senado. Outro projeto na segurança, aprovado pelos deputados, acaba com a possibilidade de segundo julgamento por tribunal do júri para penas superiores a 20 anos. A proposta foi transformada na Lei 11.689/08.

A regulamentação da guarda compartilhada (Lei 11.698/08), também aprovada nesse período, prevê a aplicação dessa sistemática, sempre que possível, quando não houver acordo entre os pais sobre quem ficará com os filhos. Como na guarda compartilhada, tanto o pai quanto a mãe assumem direitos e deveres, eles também estão sujeitos à redução de suas prerrogativas, inclusive quanto ao número de horas de convivência com o filho, caso ocorra o descumprimento de cláusula dos termos da guarda.

Confira as propostas aprovadas por área:
Política
Administração pública
Trabalho
Comunicação
Ciência e tecnologia
Trânsito
Social
Direito de família
Educação
Economia
Segurança”

 

 

SUGESTÕES DE LEITURA – confira aqui a reportagem “Chinaglia vai convocar sessão para votação em 4 de agosto”, de Rodrigo Bittar e Geórgia Moraes, da Agência Câmara de Notícias.

E, se desejar, leia também, clicando aqui, outras reportagens produzidas e distribuídas pela agência de notícias da Câmara dos Deputados.

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo