Assembleia

CPI DA CORRUPÇÃO. Depoente não vai e oposição (sem governistas) mostra vídeo explosivo de Feijó

Esvaziada pelos governistas, CPI ouviu, em vídeo, depoimento muito quente de Feijó
Esvaziada pelos governistas, CPI ouviu, em vídeo, depoimento muito quente de Feijó

Um amigo meu diria, simplesmente: fedeu. É, a palavra não é agradável. Mas talvez seja bastante adequada para explicar as relações entre governistas e oposicionistas na Assembléia Legislativa, em função da CPI da Corrupção. Acordo bastante frágil permitiu a convocação de quatro depoentes. Mas, logo no primeiro dia, um atestado médico apresentado por advogado, levou à suspensão do que inicialmente falaria, o secretário-adjunto de Administração, Genilton Ribeiro.

E aí? Aí a presidente da comissão, a petista Stela Farias resolveu mostrar um vídeo contendo o depoimento do vice-governador Paulo Afonso Feijó (DEM) ao Ministério Público Federal. Sem a presença dos governistas, que se ausentaram da CPI, ficaram a imagem e a voz de Feijó.

Para que não fiquemos com uma visão local, evito qualquer órgão gaúcho de comunicação e trago os detalhes através da visão da repórter Fabiana Leal, do Portal Terra. A foto é de Juliano Araújo, da Agência de Notícias da Assembléia Legislativa. Acompanhe e tira tua própria conclusão. A seguir:

Vice do RS: Yeda disse que eleição era época de ‘poupança’

A CPI criada na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul para investigar denúncias de corrupção no governo do Estado divulgou, na noite desta quinta-feira, o vídeo de um depoimento do vice-governador, Paulo Feijó (DEM), no Ministério Público Federal (MPF). No vídeo, Feijó contou que a governadora do Estado, Yeda Crusius (PSDB), disse durante a campanha que a eleição era “época de fazer poupança”. Segundo o depoimento, várias doações não entraram na campanha.

“Isso é roubo de caixa dois. Aquilo era caixa três do marido (ex-marido de Yeda, Carlos Crusius) e da candidata”, disse o deputado Daniel Bordignon (PT), referindo-se a fala da então candidata ao governo, segundo a conversa relatada por Feijó.

O deputado Paulo Borges (DEM) afirmou que desconhecia o conteúdo do vídeo e considerou o caso “muito sério”. “Acho que ultrapassa a CPI e entra na comissão especial do impeachment”, disse Borges, referindo-se ao grupo criado para analisar o pedido para que seja votada a saída de Yeda do governo.

O vice-governador, que é desafeto da governadora tucana, informou que quer ir à CPI depois do dia 8, data que encerra o prazo para apresentação do relatório da comissão especial do impeachment. A presidente da CPI, Stela Farias (PT), adiantou, antes de mostrar o vídeo, que a gravação do depoimento seria a preparação para a ida do Feijó à comissão…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo