MídiaMundo

IRÃ E O CARA. Pode-se dizer que houve qualquer coisa. Menos que nada houve

Escrevi aqui, na madrugada passada, sobre a forma como a mídia nacional e a forasteira trataram um mesmo tema: o acordo Brasil, Irã, Turquia, e que teve como protagonista o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Mais que isso, para que todos pudessem tirar a própria conclusão, reproduzi reportagens (ambas com as mesmas fontes, mas enfoque diverso) da Folha de São Paulo e da BBC (britânica).

Pois agora, mais de 24 horas passadas, encontrei algo que imagino seja bastante consistente. E de um jornalista brasileiro, vinculado à maior entre as organizações midiáticas do País. No caso, a Globo. E, taí, gostei. Acho que faz sentido. E decidi repartir com o leitor deste (nem sempre) humilde sítio. Trata-se da avaliação do excelente Paulo Moreira Leite, da revista Época. Confira você mesmo um trecho, a seguir:

Quem fracassou em Teerã

As negociações entre o governo do Irã, da Turquia e do Brasil são uma imensa surpresa para quem passou as últimas semanas prevendo um fracasso completo.

Quem fracassou foram observadores incapazes de enxergar o mundo deste nosso estranho século XXI como ele é – uma ordem em construção, sem potências com poder de mando e capacidade de impor seus interesses de qualquer maneira sobre os demais países…

…Admitir que o acordo Irã-Turquia-Brasil foi um sucesso seria equivalente a fazer uma auto-crítica completa. Não é o caso – até porque o acordo assinado em Teerã, como tantos acertos diplomáticos, é um pacto que precisará ser esclarecido em diversos detalhes e ainda provado pelos fatos.

Mas seria absurdo fingir que não houve nada. O New York Times de hoje (terça) reconhece que se Barack Obama tentar se opor abertamente ao acordo acabará na posição de quem pretende aplicar sanções de qualquer maneira, o que não é compatível com seu discurso de renovação das relações internacionais…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SUGESTÃO ADICIONAL – confira aqui, se desejar, também outras análises produzidas por Paulo Moreira Leite, da revista Época.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. O grande problema de quem se acha inteligente, eh achar que o resto do mundo eh composto de caipiras (com todo o respeito aos caipiras). Fica uma pergunta, será que o Conselho de Segurança da ONU eh composto de pessoas de poucas luzes que não entenderam o espirito da Coisa, ou seja do acordo de fatos e fotos entre Irã, Turquia e Brasil?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo