RECEITA FEDERAL. Aumenta cerco aos grandões. 220 auditores atrás dos grã-finos

Não deixa de ser um consolo aos empresários pés-de-chinelo (como este que vos escreve, diretor da CP & S Comunicações, proprietária do domínio www.claudemirpereira.com.br). Afinal, gente como nós não tem como atrasar pagamento de imposto, muito menos sonegá-lo. Nos pegam na primeira esquina, pagamos multa e ainda vemos muita gente boa se esbaldando em Refises (com as mesmas vantagens que nós, que também nos utilizamos do instrumento legal).

Agora, que é bom saber que um batalhão de auditores vai atrás dos grandões, não há dúvida. Tomara que tudo dê certo. E eles também paguem o que devem, e que se conta aos bilhõõões. E não aos tostões. Os detalhes dessa (boa) medida da Receita Federal você encontra na reportagem de Alessandro Cristo, publicada no sítio especializado Consultor Jurídico. A seguir:

PELOTÃO DE ELITE – Receita recruta para fiscalizar grandes empresas

A Receita Federal já aquartela os auditores que ficarão encarregados de apertar o cerco contra grandes empresas a partir de maio. Desde o dia 26 de abril, 220 funcionários que passaram pelas seleções do fisco passam por treinamento intensivo para integrar as duas novas delegacias de acompanhamento dos “maiores contribuintes”, abertas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Eles serão responsáveis por fiscalizar diariamente 10,5 mil empresas, e identificar planejamentos tributários considerados ilícitos. Segundo o fisco, os grandes contribuintes respondem por 75% da arrecadação.

Taubaté, em São Paulo, foi a cidade escolhida para o acampamento. Depois de se apresentarem voluntariamente para a tarefa, os fiscais tiveram de passar por uma seleção. Os escolhidos estão, desde o início da semana, no Hotel Fazenda Mazzaropi, onde receberam as primeiras instruções. A partir do dia 10 de maio, haverá mais duas semanas de preparação.

As duas novas delegacias começam a funcionar no dia 3 de maio. Do total arregimentado, 120 fiscais vão para a delegacia sediada em São Paulo, e o restante para a do Rio, como explica o subsecretário da Receita Federal, Marcos Vinícius Neder. Não há, no entanto, limites jurisdicionais…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SUGESTÃO ADICIONAL – confira aqui, se desejar, também outras reportagens produzidas pelo sitio especializado Consultor Jurídico.

SIGA O SITÍO NO TWITTER



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *