Meio AmbientePrefeitura

CORSAN (2). Começa a ficar claro o objetivo de Schirmer: privatizar o abastecimento de água em SM

Tratei deste tema há pouco mais de duas semanas, logo após uma visita do prefeito Cezar Schirmer ao Ministério Público. Era menos informação, mais intuição. Nada fortuito, claro. Mas com base na análise dos movimentos feitos pelo prefeito desde meados do ano passado em relação ao serviço (ruim) prestado pela Corsan em Santa Maria.

Relembrando. Na coluna semana que assino no jornal A Razão, no sábado, 29 de maio, ESCREVI:

Observatório recebeu a informação de fonte que tem acesso direto ao prefeito a qualquer momento – embora não faça parte do governo. Uma consultoria muito especial está auxiliando Schirmer na montagem da estratégia para embretar a Corsan – e a ida ao MP é apenas um ato preparatório. O que vem por aí? Talvez seja melhor esperar…

Sexta, 11 de junho. Schirmer e e o secretário Giovani Mânica. Dentro do script rigorosamente elaborado

De lá para cá, este repórter fez vários contatos, com gente de fora e dentro da prefeitura, das relações políticas próximas ou distantes ao poder municipal, mas todas com algum tipo de informação importante, no caso. E elas convergem para que se forme uma convicção, neste sítio: o prefeito não quer apenas romper o contrato com a Corsan, mas privatizar o abastecimento de água. Provavelmente porque está convencido de que esta é a melhor alternativa. Não vejo outra. Aliás, prefiro não ver outra.

E mais: essa história de municipalização está fora de cogitação. Por uma singela razão: a comuna não tem dinheiro para bancar o investimento. Que teria que vir, necessariamente, da iniciativa privada. Que, para além dos objetivos sociais quer é ter lucro. O que é legítimo, do ponto de vista dela. Mas será o da comunidade? Tenho sérias dúvidas. Aliás, tenho certeza, nãããão é. Ou alguém pode exigir, por exemplo, compromisso “social” de uma empresa multinacional (não há nenhuma genuinamente nacional capaz de suportar uma operação como a de Santa Maria)?

Nesta sexta-feira, 11 de junho, Cezar Schirmer deu o segundo passo – seguindo a orientação exatamente desta “consultoria”. ANUNCIOU publicamente, e já antecipando pontos específicos do que seria uma quebra unilateral de contrato por parte da empresa, sua intenção de, em um mês, ter respostas conclusivas da Corsan acerca do (péssimo) serviço prestado em Santa Maria. Está da acordo com a cartilha. O próximo será romper o contrato. Aliás, o discurso, agora verbal, foi amplificado no sábado, no programa que a prefeitura paga (R$ 4 mil mensais por emissora) às quatro rádios AM comerciais de Santa Maria.

Quer dizer, objetivamente, que tudo está ficando muito claro: vem aí, pelo menos se o manual não sofrer alteração, a privatização do abastecimento de água da boca do monte.

OPINIÃO CLAUDEMIRIANA: vamos deixar claro, desde já, e para que não paire qualquer dúvida a respeito do que pensa este (nem sempre) humilde sítio. Aqui ninguém morre de amores pela Corsan. Pelo menos não desta empresa que presta o serviço em Santa Maria. Se sabe, pelo que você leu na nota logo abaixo, que publiquei no início da madrugada, que o problema é da empresa, e não de seus funcionários – cada vez mais minguados, aliás. Mas, é fato, o serviço não é bom.

Dito isto, é evidente que a municipalização não tem como ser feita. Ou alguém acha que a comuna possui  os recursos para bancar o abastecimento de água e ainda as obras de saneamento? Só um néscio para acreditar na promessa do prefeito, feita na campanha, que isso seria possível com R$ 500 mil. Então, deixemos essa hipótese de lado. O que sobra? A privatização. Ponto. E este sítio é contra. A água, mais que o petróleo ou outra fonte de energia não renovável, é estratégica e tem que ficar sob controle público. Ponto final.

ADENDO CLAUDEMIRIANO: diante do inevitável, sobram algumas perguntas à espera de resposta. Por enquanto, são três (outras virão, pois este assunto longe está de se esgotar) A saber:

1)      por que o prefeito Cezar Schirmer, cujo partido, com pequena interrupção de quatro anos, controla a administração da Corsan há pelo menos duas décadas, não consegue negociar um novo contrato, mais vantajoso para a cidade – exatamente como já fizeram outras comunas, inclusive com gestão de outras agremiações?

2)      Qual será a reação institucional da Corsan, diante do rompimento do contrato, provavelmente sem o ressarcimento (é o que a “consultoria” está sugerindo) dos recursos já investidos pela empresa na cidade ao longo dos últimos 30, 40 anos? Em São Gabriel,com o contrato findo, o prefeito local tentou algo semelhante e foi barrado pela Justiça – só para constar; e

3)      Como ficará a população de Santa Maria, no meio de toda a discussão jurídica que inevitavelmente acontecerá?

Em tempo: a foto que ilustra esta nota é de João Alves Flores, da Coordenadoria de Comunicação Social da Prefeitura.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. só de pensar dá medo estas parcerias público privadas, os camelos que o digam vão pagar o dobro do aluguel nos estandes mminúsculos que a atal empresa fez aí vale o refrão da campanha do schirmer quanto mais melhor(para o bolço de poucos)paramos para pensar se a prefeitura não teve competência para resolver o problema da iluminção que esta´a olhos nus será que vai conseguir enxergar o que está em baixo da terra, uma perguntinha quando se aprovou a CIP o prefeito argumentou que o recurso seria para custear a ilu8minação mas que se sabe é que a empresa cobrou 90 mil e a prefeitura esta´arrecadando entorno de 420mil, o restante está indo para onde mesmo?
    A CORSAN só tem um jeito é só o prefeito falar com o seu coreligionário MARCOS ALBA(PMDB)para que a corsan volte a ter uma superintendência aqui, e não em porto alegre,ou falar com a melhor governadora dos últimos 20 anos, rsrsrsrsrsrsrs(piada)que ela resolve o problema já que estamos em ano eleitoral o pessoal do piratini resolve rápidinho, olha e REVITÁ aí geeeeeeennnnte!

  2. Shirmer dizia que Santa Maria precisava de um bom síndico e o povo acreditou nele mas o que nínguém esperava era um prefeito mascate.

  3. Pois eh o pessoal se queixa das privatizações do FHC, e eu também risos. Comm certeza se Ele não tivesse privatizado as Teles, um moço filho de um figurão, e põe FUGURÃO
    nisso não teria virado milionário da noite para o dia numa sociedade sociedade com a Telemar, risos

  4. @Giovani Carter Manica
    Primeiro, o Prefeito não deixou nada fora de questão. O que consta no site da Prefeitura é o seguinte:

    “As outras hipóteses passam pelo município assumir o serviço, como Porto Alegre; privatizar – o que segundo Schirmer não seria a melhor solução- ou ainda uma parceria público-privada. “Agora envolve questão legal, contratual e de serviços”, explica Schirmer.”

    A propósito, qual a diferença entre privatização e parceria publico-privada nesta questão, Sr. Manica?

  5. Pessoal
    Com a experiência de quem está participado desta discussão em todo o estado, digo que o prefeito Schirmer está fazendo igual a tantos outros. Ele só vai abrir o jogo que trata-se de PRIVATIZAÇÃO quando não houver outro jeito.
    A Revita está lá na prefeitura não é a toa.
    Quanto a indenização devida à Corsan por uma eventual quebra unilateral de contrato, não é a Procuradoria do Município quem vai dizer se é devida ou não, muito menos a Revita ou a tal “consultoria” do prefeito. Isto está na lei 11445. Só para terem uma ideia, Novo Hamburgo, muito menor que Santa Maria, por ter feito exatamente o que o prefeito quer (sair do Sistema Corsan sem indenizar) hoje deve mais de 160 milhões à Estatal, já julgado em última instância.
    Mas, vamos lá. Está ficando bom o debate.

  6. Prezado Claudemir,

    O Prefeito Schirmer deixou claro na coletiva que “a possibilidade de privatizar o serviço da CORSAN está fora de cogitação.”

    Grato,

    Giovani Carter Manica

  7. Se isso for verdade é um grande escândalo. Schirmer jamais disse em campanha que pretendia privatizar o serviço prestado pela Corsan. Seria um estelionato eleitoral.

  8. Não é de espantar a postura do Schirmer. Ele é do mesmo saco ideológico de FHC e Serra. São a favor da privatização de tudo. Só que alguém vai ganhar mto $ com essa privatização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo