EstadoMinistério PúblicoSegurança

AGORA, VAI. Federais entram na história do sargento bisbilhoteiro do Piratini

Poucos duvidam: somada a participação do promotor de Justiça Amilcar Macedo, de Canoas, a entrada da Polícia Federal nas investigações sobre o sargento bisbilhoteiro do Palácio Piratini, a situação tende a ser esclarecida. Ou não?

Ah, para saber mais do como e por que os federais entraram nesse jogo, acompanhe a reportagem do G1, o portal de notícias das Organizações Globo. Acompanhe:

PF abre inquérito para investigar acesso a dados confidenciais no RS

A Polícia Federal do Rio Grande do Sul abriu inquérito nesta terça-feira (14) para investigar indícios de acesso clandestino a dados de autoridades federais, com a utilização de informações sigilosas do banco de dados do Consultas Integradas. A determinação para a investigação foi do Juiz Federal Guilherme Pinho Machado, diretor do Foro Federal de Canoas.

Na semana passada, o advogado do sargento da PM do Rio Grande do Sul César Rodrigues de Carvalho, suspeito de ter acessado ilegalmente os dados confidenciais, informou que o militar revelou, em depoimento ao Ministério Público, os nomes dos superiores que teriam dado a ele ordens para acessar dados no sistema de Consultas Integradas do governo gaúcho.

Adriano Marcos Santos Pereira, advogado do sargento, disse ao G1, por telefone, que, como a investigação corre em sigilo, não é possível tornar públicos os nomes revelados pelo sargento…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Não posso afirmar se VAI. Mas com certeza VEM! VEM mais discursos e mensagens na internet da Governadora reclamando da atuação da Polícia Federal; VEM mais insinuações sobre o caráter político das ações do Ministério Público e blá, blá, blá…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo