EconomiaNegócios

NEGÓCIOS. Carlos Costabeber e a empresa familiar: quando chegam genros e noras

“…E, para complicar ainda mais, os problemas podem se multiplicar com a entrada dos filhos, sobrinhos, genros e noras.

Aliás, os elementos que devem receber a maior atenção são justamente os genros e noras. Isso porque são pessoas, independentemente de suas capacidades de trabalho, que “caem de paraquedas” no seio da empresa e da família. Eles “têm outro sangue”; não vivenciaram o nascimento e a construção do negócio; desconhecem a cultura que ali se forjou, e ainda existe sempre o risco de um casal não se acertar no relacionamento. “É um pepino”!!!!…”

CLIQUE AQUI para ler a íntegra do artigo “Empresa Familiar (2): patrimônio, gestão e família”, do colaborador semanal deste site, Carlos Costabeber. Graduado em Administração e Ciências Contábeis pela UFSM (instituição da qual é professor aposentado), com mestrado pela Fundação Getúlio Vargas em São Paulo, com especialização em Qualidade Total no Japão e Estados Unidos. Presidiu a Cacism, a Câmara de Dirigentes Lojistas e a Associação Brasileira de Distribuidores Ford. É diretor da Superauto e do Consórcio Conesul.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo