Segurança

VIOLÊNCIA URBANA. Pimenta, relator de CPI, festeja prisão de um dos maiores traficantes do país

Recebi e, por sua importância, reproduzo material recebido da assessoria do deputado federal Paulo Pimenta (PT), relator da CPI da Violência Urbana que, entre outros temas, tratou da questão do tráfico de armas. Acompanhe:

PF prende Oscar Xavier Fontoura Mulatieri um dos principais traficantes do país, conforme relator da CPI do Tráfico de Armas

O relator das CPIs da Violência Urbana e do Tráfico de Armas na Câmara, deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), considera fundamental cortar o abastecimento da armas e munições para conter os avanços do crime organizado no país. Conforme constatou a CPI da Violência Urbana, com a Lei do Abate, os criminosos deixaram de realizar o transporte de armamento por via aérea, passando a utilizar vias terrestres para manter as facções abastecidas com material bélico.    

Paulo Pimenta ressalta que, apesar de 80% das armas clandestinas no Brasil entrarem pelo Paraguai, o sul do Brasil também é identificado como uma rota alternativa para o tráfico.  Na quarta-feira (15), uma operação realizada pela Polícia Federal (PF) em Santana do Livramento (RS), com apoio da Brigada Militar (BM), resultou na prisão do uruguaio, Oscar Xavier Fontoura Mulatieri, proprietário de um clube de tiro em Rivera (Uruguai). De acordo com investigações da PF e apontamentos feitos pela CPI do Tráfico de Armas, Mulatieri era o maior responsável pela remessa de armas para o Brasil através da fronteira Livramento-Rivera. 

Além da prisão, a PF acompanhou as buscas da Polícia Uruguaia no clube de tiro do traficante e em sua residência em Rivera. Foram apreendidos três fuzis 7,62 mm, uma espingarda CV22, um revólver e equipamento para recarga de munição para fuzil AK- 47. Também foi cumprida busca na oficina de veículos de Mulatieri, em Santana do Livramento, onde foi constatado que compartimentos falsos eram adaptados em automóveis para transporte de armamento e munição. A estimativa é de que o traficante enviasse cerca de 60 armas mensalmente ao Brasil, entre fuzis, espingardas, pistolas, granadas e munições de diversos calibres.

Há duas semanas, a PF prendeu em flagrante em Porto Alegre um motorista de ônibus de linha regular intermunicipal que trazia no veículo da empresa duas pistolas 9mm novas com numeração raspada, 40 munições de fuzil e oito carregadores. O receptador das armas também foi preso em flagrante. A encomenda teria partido do traficante uruguaio e seria enviada ao Rio de Janeiro.

Pimenta relata que os países vizinhos possuem legislações liberais quanto a armas de fogo, o que facilita o tráfico pela fronteira seca. Entre as principais rotas estão as cidades de Foz do Iguaçu (PR), Ponta Porã (MS), Guairá (PR), Santana do Livramento (RS), Quarai (RS) e Uruguaiana (RS).

Com a finalidade de diminuir a vulnerabilidade da fronteira brasileira, Pimenta propôs no relatório da CPI da Violência Urbana, a criação de Grupo de Altos Estudos, reunindo membros das esferas Executiva, Legislativa, Judiciária e de Relações Exteriores, com o intuito de harmonizar a legislação sobre armas na América do Sul.  “Torna-se prioridade para as instituições de caráter diplomático do Governo brasileiro e também no ambiente do Parlamento do Mercosul, que o Brasil priorize o debate sobre a fabricação, comercialização, importação, exportação e transporte de armas e munições. Atualizar a legislação é fundamental para coibir o avanço da criminalidade”, alertou Pimenta.

Além disso, o parlamentar gaúcho considera fundamental o emprego de tecnologia no controle dos mais de 16 mil quilômetros de fronteira do Brasil, sintonizando os trabalhos desenvolvidos pela Policia Federal, Policias Civis e Militares, Forças Armadas e Receita Federal.”  

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo