ATENÇÃO! Intensa (e ampla) costura petista coloca Fabiano como candidato à sucessão de Schirmer. Só dependeria dele

Dois óbices fundamentais já estariam retirados. Um, com certeza; outro ainda depende da vontade de uma das partes. E, assim, o secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Fabiano Pereira, será o candidato do PT à Prefeitura em 2012 – tendo inclusive, na coordenação política da campanha, o deputado estadual Valdeci Oliveira. E o apoio também do deputado federal Paulo Pimenta.

São intensas as articulações nos últimos dias, e ainda devem se estender pelas próximas duas semanas, no máximo – até que o PT faça o anúncio oficial do nome a ser oferecido ao eleitorado, como concorrente de oposição a Cezar Schirmer.

Até pelo menos duas semanas atrás, todos os integrantes da tríade eram unânimes. Não eram, nem seriam, candidatos. A pressão interna – afinal, a militância petista não conseguia entender como, tendo três nomes, o partido não apresentava um deles à disputa – parece ter surtido efeito. E foi fundamental para que se encaminhasse algum tipo de entendimento.

Até mesmo o governador Tarso Genro acabou envolvido diretamente – inclusive porque é o principal nome do petismo gaúcho e com profundas ligações com Santa Maria, onde começou sua carreira política, como vereador, no fim dos anos 60/início dos 70.

A seguir, acompanhe um relato de como está a situação, hoje. Ele é produzido com base na consulta a várias fontes das diferentes correntes petistas. E que dão uma ideia bem clara do que já aconteceu e ainda está por acontecer.

1) O deputado federal Paulo Pimenta (líder da corrente PT Amplo) dispôs-se a apoiar a candidatura de Fabiano Pereira. Foi a grande novidade, na medida em que, até o momento, o nome do secretário era vetado e até o lançamento de Helen Cabral fora formalizado. Mais, “o Amplo” se dispunha a, em não havendo aliança com outra sigla (o que seria prioritário), oferecer o nome de Helen como candidata a vice.

2) Houve uma condição derradeira, feita por Pimenta e seu grupo. A definição tem que ser rápida. Isto é, até meados de dezembro. Que ninguém espere, por exemplo, como ouviu na tarde passada este editor, de fonte do “Amplo”, que Helen seja reapresentada mais tarde, no próximo ano, na hipótese de uma desistência de Fabiano.

3) Fabiano Pereira, que gostaria de ser candidato, mas nos momentos em que lhe foi exigida uma posição definitiva, recuou, agora – convencido inclusive por Valdeci e, sobretudo, tendo garantida a chancela de Pimenta – se disporia a encarar a empreitada. Que, de resto, impõe um risco grande, na medida em que a possibilidade de derrota está nas contas.

4) Como poderia o secretário deixar o governo e, na hipótese de perder, não ter alguma garantia política? A resposta à pergunta valeria para ele e um bom punhado de ocupantes de cargos nomeados (especula-se um número dentre 50 e 80, pelo Estado inteiro) pelo secretário e que também ficariam no “ora veja”.

5) Este derradeiro aval teria sido dado na última sexta-feira, pelo governador. Eventual (e não cogitada, no otimismo dos petistas, mas… sabe como é…) perda do pleito não significará o desterro eterno. Tarso levaria Fabiano de volta ao governo. Não necessariamente para o mesmo posto, claro. Mas uma posição seria encontrada.

6) Então, o que estaria faltando? A partir daqui, o editor tem duas versões. Que até podem ser, ambas, verdadeiras – embora isso seja improvável. De uma fonte,  sabe-se que Fabiano teria apenas que dizer sim. Estaria, portanto, integralmente nas mãos dele, o restante tudo estaria acordado. O editor tende a acreditar nela. De outra fonte, porém, se tem a notícia de que quem estaria em busca de uma garantia seria o governador Tarso Genro. Qual? A de que o retorno do secretário (mesmo que noutro posto de primeiro escalão) não seria questionado por quaisquer das correntes petistas. E não apenas na boca do monte. E é só disso (ou daquilo) que depende para o anúncio oficial, com direito a participação integral da tríade, do nome de Fabiano Pereira como o nome petista para enfrentar Cezar Schirmer e, se for o caso, Jorge Pozzobom (do PSDB).

RESUMO DA ÓPERA: é bem provável que, nos próximos dias, o cenário eleitoral santa-mariense (que ainda depende de reuniões que acontecem a toda hora, em Santa Maria e na capital) do próximo ano, no que toca a candidaturas competitivas, esteja dois terços definido. Cezar Schirmer candidato a reeleição, Fabiano Pereira pela oposição petista. O terço restante tem nome, sobrenome e partido: Jorge Pozzobom, PSDB. E só. Os demais, se aparecerem, serão apenas figurantes.

SIGA O SITÍO NO TWITTER



14 comentários

  1. Jose Delcatti

    Fabiano e Helen daria ume excelente chapa, com possibilidades reais de vencer a eleição.
    Seria uma decisão equilibrada do PT.

  2. Baxinho da Borracharia

    tem uma coisa que eu detesto na política, é o obvio,vira e mexe os candiatos são aqueles que a gente já esperava,na verdade quem surpreende é o povo quando vota.
    Por exemplo vamos pensar uma coisa maluca…vir e mexe, um desiste outro se desconta e surge uma aliança pmdb/pt com JORJÃO PARA PREFEITO E ROMERO DE VICE.

    Que tal? Hehehehe

  3. silvio fukumoto

    Acredito que estão colocando fora a real chance de se chegar a Prefeitura não indicando a companheira Valeska Huffel.

  4. Saúl

    Ivo e Fort, é a dupla Ideal como se diz lá no Joquei Clube. Ivo sendo Prefeito haverá muitas CCs, dai aquela que ele me promete sem ter, virá ao natural.kkkkkkkkk Esse não se elege Vereador, oque ele gosta mesmo e ficar nas boquinhas dos cargos comissionados, e defender Governos Facistas, com a desculpa que muitas coisas mudaram nos últimos 30 anos.

  5. Rafael

    Jorjão e Romero?? HAHAHA, só pode ser piada…dois mirins na política, que nunca saíram de Santa Maria, não possuem experiencia de nada e cá entre nós, não dá para imaginar muitos vereadores atuais como candidatos a prefeito….Santa Maria, com Valdeci e Schirmer teve e tem atenção especial tanto no ambito estadual quanto no nacional…então surge pessoas sugerindo colocar mirins locais no cargo máximo da prefeitura?? Creio que esse pensamento atrasado da cidade já passou, tomara.

  6. Garibaldi

    Saúl :Ivo e Fort, é a dupla Ideal como se diz lá no Joquei Clube. Ivo sendo Prefeito haverá muitas CCs, dai aquela que ele me promete sem ter, virá ao natural.kkkkkkkkk Esse não se elege Vereador, oque ele gosta mesmo e ficar nas boquinhas dos cargos comissionados, e defender Governos Facistas, com a desculpa que muitas coisas mudaram nos últimos 30 anos.

    Tamanho descorno só pode significar inveja profunda…

  7. Saúl

    GARIBA, penso, ainda que não seja Santariense, mas já plantei raizes aqui, que posso ter prefêrencia. Não posso, ou vc não quer? risos. Para teu governo, nesse quadro plitico ninguem bate a situação, e quem se meter a piru rabudo vai levar um capote, a não ser que a toda poderosa mande dinheiro a rodo para comprar votos.

  8. Saúl

    @Garibaldi
    Gariba já sugeri aqui no Blog Rita Sanco, e Cristiano Kingeski para Prefeito e vice. Deves conhecer bem esses cumpanheros, e saber de cor e salteado o curriculum deles. Os cumpanheros queriam o Prefeito de Ivora, ao menos esses dois que eu saiba estão desempregados, ou talvez recebendo uma das quase 500 CCs criada pelo Cumpanhero-Mor Taso Genro para regalar a tiurma e a galera que apóia o Governo. Que tal essa sujestão, já que não gostou de Ivo e Fort.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *