CongressoMídiaPolítica

POR ENQUANTO? CPI do Cachoeira poupa mídia, governadores, políticos e empreiteira

Está ficando cada vez mais clara a intenção dos integrantes da CPI do Cachoeira. Tudo bem, desde que “os nossos” sejam protegidos. Por isso, ao menos até o momento, políticos, governadore e empreiteira – que seriam protagonistas,junto com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, estão de fora das investigações.

Mas, e esse é o palpite claudemiriano, provavelmente não poderão segurar por muito tempo. Inclusive, e isso o editor acrescentou por contra própria, a questão da mídia e, especialmetne, a ex-revista Veja, enrolada até o pescoço no comprometimento com o bicheiro.

Claro que você não lerá isso no texto abaixo, produzido e publicado na versão online da Folha de São Paulo. Aqui, todos podem ser investigados. Desde que, claro, “não sejam dos nossos”. A reportagem é de José Ernesto Credendio e Andreza Matais. Confira:

CPI do Cachoeira poupa Delta, governadores e políticos de investigação

A CPI do Cachoeira livrou, nesta quinta-feira (17), governadores e parlamentares da quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico e de serem convocados a explicar suas relações com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

A empreiteira Delta, apontada pela Polícia Federal como braço financeiro do esquema, também não terá seus sigilos quebrados nacionalmente, “por falta de indícios”, no entendimento da maioria da comissão. A CPI livrou ainda da investigação o presidente licenciado da empreiteira, Fernando Cavendish.

Os deputados e senadores aprovaram apenas a quebra do sigilo da empresa Delta na região Centro-Oeste, além dos sigilos de pessoas sem foro privilegiado que assessoravam Cachoeira e já foram investigadas pela Polícia Federal, conforme antecipou a Folha na edição de hoje.

A votação foi orquestrada pelo PT e PMDB, que comandam a CPI, e contou com ajuda da oposição. O relator, deputado Odair Cunha (PT-MG), sequer colocou em votação os requerimentos acerca dos governadores e da Delta nacionalmente. Esses requerimentos só devem constar na pauta da CPI no dia 5 de junho. O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) e Fernando Franceschini (PSDB-PR), da oposição, apoiaram a proposta de adiar a discussão…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. O bom é ver cair a máscara de santidade que o PT adora exibir.
    Vejam o video desse link:

    http://noticias.uol.com.br/videos/assistir.htm?video=sbt-flagra-mensagem-de-vaccarezza-para-governador-do-rio-04024E1A326AE0B92326

    É o deputado Candido Vacarezza (PT/SP), ex-líder do governo do PT, mandando um “torpedo” para o governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, aquele que Lulla chama de “Serginho”.
    No torpedo, Vacarezza diz para o governador não se preocupar em ser convocado, que o PT não vai deixar, pois “você é nosso e nós somos teus”.
    Será que é para isto que a PTzada perde horas preciosas de convívio familiar, de lazer, de estudo, de trabalho (ops! estudo e trabalho não… PTzada não é chegada…)?
    Só com muito santo daime alucinógeno nas falações para acreditar nessa chinelagem da estrelinha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo