AssembleiaTrabalho

TRABALHO. Assembleia lança frente em defesa da Enfermagem. Valdeci propôs; Pozzobom subscreveu

Profissionais da área de saúde, notadamente os maiores interessados, os(as) enfermeiros(as), aconteceu nesta tarde o lançamento, na Assembleia Legislativa gaúcha da Frente Parlamentar em Defesa da Enfermagem. O proponente, e coordenador do grupo, é o petista Valdeci Oliveira. A proposta teve a assinatura de um punhado de outros parlamentares, inclusive o tucano Jorge Pozzobom.

Valdeci, o proponente, literalmente vestiu a camiseta dos profissionais de enfermagem

Para ter mais detalhes do que aconteceu no parlamento gaúcho, confira material produzido pela assessoria de imprensa de Valdeci, com texto do jornalista Tiago Machado e foto de Sarah Souza. A manifestação de Pozzobom, aposta no final, veio através do jornalista Thiago Buzatto, da assessoria do deputado. Confira:

Lançada Frente em Defesa da Enfermagem na Assembleia

Com a presença de 15 deputados estaduais e muitos profissionais da saúde, foi lançada, no começo da tarde desta quarta (27), a Frente Parlamentar Gaúcha em Defesa da Enfermagem. Sob coordenação do deputado Valdeci Oliveira (PT), proponente da iniciativa, a frente já tem a primeira reunião agendada: no próximo dia 4 de julho, às 11h 30min, na Assembleia Legislativa.

No ato de lançamento, no Salão Júlio de Castilhos do Palácio Farroupilha, Valdeci ressaltou que o principal foco do trabalho será garantir a aprovação do projeto de lei 2295, que prevê a jornada de 30 horas para os profissionais da enfermagem e que tramita há 12 anos no Congresso. Na terça (26), em Brasília, Valdeci e o deputado Basegio (PDT) já obtiveram uma importante vitória ao garantir, através do presidente da Câmara Federal, Marco Maia, a inclusão do projeto na pauta de votações do Congresso. “O projeto está na pauta. Agora é necessário acordo de líderes para que a proposta vá a plenário. Precisamos continuar mobilizados. Essa é uma luta da enfermagem, mas também de toda sociedade”, disse Valdeci.

O presidente do Conselho Regional de Enfermagem (COREN), Ricardo Rivero, exaltou a iniciativa e garantiu que a categoria está mobilizado. “Esta é uma luta de 50 anos”, afirmou. A vice-presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Rio Grande do Sul (SERGS), Sílvia Silvestrin, também prestigou a solenidade. “É hora de contar com o apoio firme do Legislativo Gaúcho”, disse ela.

Somente de Santa Maria vieram 38 profissionais de Enfermagem do Hospital Universitário (Husm) para participar do ato no Parlamento Gaúcho. Além de Valdeci, participaram do lançamento da Frente da Enfermagem os deputados Alexandre Postal (PMDB), presidente do Parlamento, Doutor Basegio (PDT), Adão Villaverde (PT), Aldacir Oliboni (PT), Marisa Formolo (PT), Jeferson Fernandes (PT), Silvana Covati (PP), Alexandre Lindenmeyer (PT), Pedro Pereira (PSDB), Edson Brum (PMDB), Ana Affonso (PT), Luis Lauermann (PT), Aloisio Classmann (PTB) e Jorge Pozzobom (PSDB).”

A posição de Pozzobom a respeito, conforme o material de sua assessoria também é clara: “defendo a redução da jornada de trabalho para os enfermeiros porque entendo que são profissionais que desempenham uma função muito desgastante. Com a aprovação do PL, além de evitar que enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem fiquem sobrecarregados, consequentemente estaremos melhorando o atendimento em saúde”, explica Pozzobom.

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

3 Comentários

  1. Sobre este assunto, recebi um e-mail do deputado federal do PMDB Darcisio Perondi que aborda o tema de maneira bastante clara e objetiva.
    Tirem suas conclusões:

    O Governo Federal mobilizou sua bancada e conseguiu adiar a votação do Projeto de Lei n° 2295/00, que estabelece uma jornada de 30 horas semanais para os profissionais do setor de enfermagem. O deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), presidente da Frente Parlamentar da Saúde, diz que a aprovação do Projeto é inviável neste momento.

    Ele apresentou estudo da Confederação Nacional de Saúde que aponta gastos anuais de R$ 7,269 bilhões com a aprovação do PL, pois seriam necessários 33% mais profissionais para manter o mesmo serviço prestado atualmente.

    Segundo Darcísio Perondi, é de conhecimento que os enfermeiros ganham pouco e trabalham muito, mas a jornada de 30 horas só seria possível se o Congresso Nacional tivesse aprovado, no final do ano passado, a vinculação de 10% do orçamento da União para o setor de saúde, dentro da Regulamentação da Emenda Constitucional 29.

    Na época, o Governo usou seu rolo compressor e impediu a aprovação dos 10%.

    “Eu não defendo o caos! O caos desmonta mais o Sistema Único de Saúde. Com o caos vai morrer mais gente, para chegarmos aos 10%. Este raciocínio é destruidor: vamos destruir para depois construir? Não!

    Meu respeito à enfermagem, mas a questão é o custo. O Governo não quis colocar mais recursos. Essa é a questão”, explicou Darcísio Perondi.

  2. Parabéns aos dois.
    Somando seus esforços vão conseguir ajudar a inviabilizar ainda mais os hospitais públicos e privados, as Santas Casas, as instituições filantrópicas.

    Basta saber o básico da matemática para entender que – instituindo uma jornada de 30 ao invés de 40 horas – será necessário contratar 1 enfermeiro a mais a cada 3, aumentando o custo já praticamente insuportável arcado pelas instutuições e, em última análise, pelo bolso do contribuinte.

    Cai cada vez mais a máscara dos nobres deputados… mais afeitos aos apelos e aplausos fáceis do corporativismo do que ao bolso de quem paga a conta: NÓS!!

  3. Estão querendo quebrar com as instituições, as quais sofrem com o desfinanciamento do SUS, mas são precionadas por projetos como este que só pensam em atrair eleitores, ao Dep. Valdeci e Dep. JOrge parabéns pelo deserviço prestado para a saúde e para as instituições filantropicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo