Ministério PúblicoSanta MariaTragédia

KISS. Resumindo, saiba quem o MP denunciou e por que, pediu o arquivamento ou novas diligências

Terminou há poucos minutos, no auditório do Ministério Público em Santa Maria, a entrevista coletiva dos promotores de Justiça que trataram da parte criminal do (agora) processo, precedida pelo inquérito policial, sobre a tragédia de 27 de janeiro, na boate Kiss. Nunca esquecendo que o incêndio matou 241 jovens e feriu mais de 600.

Participaram da entrevista coletiva o Subprocurador-Geral de Justiça para Assuntos Institucionais, Marcelo Dornelles, o Coordenador do Centro de Apoio Criminal do Ministério Público, David Medina da Silva, e os Promotores de Justiça Criminais de Santa Maria Joel Dutra e Maurício Trevisan

Mais adiante, o sítio vai disponibilizar a íntegra da denúncia do MP mas, agora, você tem um resumo das decisões anunciadas: quem foi denunciado e por quê, os que levaram ao pedido de novas diligências da polícia, os casos em que foi pedido o arquivamento (e, portanto, estão por ora liberados) e também as situações em que uma decisão caberá à Justiça Militar. Confira:

Homicídio doloso qualificado

Elissandro Spohr

Mauro Hoffmann

Marcelo de Jesus dos Santos

Luciano Augusto Bonilha Leão

Fraude Processual

Gerson da Rosa Pereira

Renan Severo Berleze

Falso Testemunho

Élton Cristiano Uroda

Volmir Astor Panzer

Pedidas mais diligências policiais

Angela Aurélia Callegaro

Marlene Teresinha Callegaro

Miguel Passini

Beloyannes Orengo de Pietro Júnior

Pedido o arquivamento

Ricardo de Castro Pasche

Luiz Alberto Carvalho Júnior

Marcos Vinícius Bittencourt Biermann

Casos para a Justiça Militar

Vagner Guimarães Coelho

Gilson Martins Dias

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

12 Comentários

  1. Seria muito bom se alguns que aqui comentam, lessem o inquérito policial na integra. Dão opiniões sem fundamento. Falam que o delegado fez literatura em vez de inquérito… que o MP foi claro e racional…
    Seria muito bom que antes de emitir opiniões sem fundamento que acompanhassem o que está sendo feito. Esse não é um caso para ser tratado com tanta superficialidade. 242 vítimas, 680 feridos. Por que acham que o Brasil está classificado como um país de alta impunidade ? Qualquer comentário supérfluo sobre essa tragédia só mostra o despreparo e o quanto que temos ainda a caminhar para a conscientização e responsabilidade da sociedade. O respeito à vida humana é a prioridade que se impõe a uma sociedade justa.

  2. O que se precisam entender é que servidor público somente pode fazer o que a lei determina. E somente podem responder criminalmente ou administrativamente se descumpriram uma norma expressa.
    E nenhuma dessas situações foi apontada pela polícia, que não fez seu trabalho de forma correta, se apressou em aparecer nos holofotes da mídia.
    O MP foi claro, racional, obedecendo à legislação e não à “nexos causais” fantasiosos dos sherlocks da civil.

  3. lá atrás comentei que teríamos decepções.
    faltaram indicações no trabalho do MP; chefias do estado.
    Para mim falta denuncia contra Ministério do Trabalho, por falta deles fiscalizarem.

    Agora o MP aceita arte, achei correto aliviar denuncia de crime culposo contra alguns, mas a improbidade administrativa deveria atingir secretarios, diretores e gerentes, os que ganham CC.
    Cada um tem sua lista e nelas crimes, muitos somos leigos e isto de teoria de direito é algo louco. Acusem pelo crime CERTO, ode até ser pequeno na escala popular, mas PEGUEM os resonsáveis, nem que seja por falta de uso de cinto de segurança…
    Para mima as DONAS tinham que ir na esteira dos demais, nao interessa se nao participavam da gesta, USUFRUIAM do lucro e lá estavam seguidamente.
    E tem o pai do Kiko, por causa DELE dois estao sendo acudados de protege-lo… se o protegiam há um motivo… ele era sócio, tinha laranjas…

    E dá-le receita federal nesta turma.

  4. li a denúncia completa e tô envergonhado em achar ou acreditar que a Justiça iria ser imparcial. Acho que faltou coragem ou vergonha na cara. Mas fica aqui uma pergunta aos nobres promotores: e se uma das vítimas fosse filho(a) ou parente de vocês????
    Pois é, uma falta de respeito com as famílias e com a história de Santa Maria.
    Continuo aqui firme nas minhas convicções de que o trabalho da Polícia foi impecável e buscou tudo o que era possível. Pena que não valeu de quase nada.

  5. mas o pedido de arquivamento do processo contra 3: Secretário Luiz Alberto, Ricardo Pasche e Marcos Bierman??? Porque???

  6. Dois estao sendo indiciados por falso testemunho por protegerem o pai do Kiko mas ELE, o papai Eliseo nao é indiciado?
    Os caras disseram que eram sócios, estao sendo chamados de mentirosos, meniram para PROTEGER o ai do Kiko…
    mas e ele? O pai do Kiko, entra onde?

  7. Fiquei decepcionado com algumas coisa… as DONAS tinham que entrar na mesma roda que Kiko e Maurinho.
    Os secretariso, diretores, gerentes e fiscais da prefeitura tinham que ser indiciados por improbidade administrativa, pois testemunhamos o nao sei, venceu, nao renovou,… decepção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo