SECRETARIADO. Tragédia da Kiss leva à recusa de convites e obriga Schirmer a reduzir suas exigências

SECRETARIADO. Tragédia da Kiss leva à recusa de convites e obriga Schirmer a reduzir suas exigências - kiss-selo15Cezar Schirmer não terá o primeiro escalão dos sonhos. Pelo menos nos deles, obviamente. Parte dos sondados, recusou. Outra parte sequer quis ouvir. Ninguém confirma, claro. Ah, e sugestões que lhes foram feitas: um empresário amigo fez uma relação de jovens que poderiam auxiliar a nova gestão, imprimindo-lhe um ritmo diferente. Schirmer, polidamente, agradeceu. E, ao menos até agora, ignorou.

A segunda situação se deu após a tragédia de 27 de janeiro. A primeira, depois. Talvez fosse o caso de o prefeito repensar. Do contrário, terá mesmo é que reduzir suas exigências e contentar-se com figuras importantes, e que podem tornar-se (é o desejo de quem gosta da cidade) bons secretários. Mas não terão a grife que Schirmer, no mandato que agora se inicia, gostaria de oferecer ao seu primeiro escalão.

Mas que se diga: ele ainda não desistiu. Está aí, talvez, a razão que o leve a afirmar que não convidou ninguém. É uma tergiversação própria da política. Pode não ter feito explicitamente, mas emissários (poucos, é verdade) se encarregam da tarefa primeira. Afinal, Schirmer, como qualquer comandante, não pode correr o risco de uma recusa pública.

Deduções claudemirianas? Sim, mas com fontes muito boas. Talvez as mesmas do Diário de Santa Maria, que publicou material a respeito da formação do secretariado, em sua edição de final de semana. Inclusive com cogitações acerca de quem pode ou não ficar e até de quem deverá sair. A reportagem é assinada por Leandro Belles e Marcelo Martins. Confira:

Nomes são guardados a sete chaves

…Quem conhece intimamente o prefeito Cezar Schirmer (PMDB) sabe que o chefe do Executivo já tem, em sua cabeça, definidos os nomes que vão formar o seu secretariado no segundo mandato (2013-2016) da administração municipal. Entretanto, Schirmer não fala sobre o assunto e guarda a sete chaves o desfecho desse capítulo que se arrasta desde o começo do ano.

As mudanças ou permanências do primeiro escalão foram condicionadas à aprovação da reforma administrativa, matéria que passou pela Câmara de Vereadores de Santa Maria, na última quinta-feira, e foi aprovada por unanimidade. Do pacote da reforma, que é alardeada como a chave para enfrentar a burocracia e dar celeridade à gestão municipal, resta a principal indagação sobre a ocupação do secretariado por parte dos 17 partidos que apoiaram Schirmer no último pleito. O prefeito, aliás, vive um dilema.

Agora, devido à repercussão do caso Kiss, muitos nomes da iniciativa privada cotados para cargos no Executivo teriam declinado aos convites de Schirmer.

O receio, diz-se nos corredores da SUCV, tem motivo: todos acham que ocupar cargos no governo, hoje, custa caro pela responsabilidade que se assume.– A verdade é que ninguém quer colocar o seu nome em um ofício – comentou um membro do atual governo municipal.

A informação repassada pelo governista é confirmada por outro apoiador de Schirmer da iniciativa privada. Alguns empresários teriam sido sondados para ocupar vagas na administração municipal, mas confessaram temer fazer parte do governo neste momento tão delicado…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

CONFIRA AQUI QUEM, SEGUNDO O DSM, PODE FICAR, SAIR, VOLTAR OU ESTÁ INDEFINIDO

EM TEMPO: O JORNAL A RAZÃO TAMBÉM PUBLICOU ENTREVISTA COM O PREFEITO. CONFIRA NA VERSÃO IMPRESSA, AQUI.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *