EconomiaEstadoTrabalho

BANRISUL. Grevistas fazem bolo para ‘lembrar’ 30 dias do movimento. Negociação ainda sem data marcada

A greve dos funcionários do Banrisul completa 30 dias nesta sexta. E os trabalhadores estão programando um protesto irônico, inclusive porque não há data marcada para alguma reunião de negociação com os dirigentes do banco estatal gaúcho.

Para saber mais do que será feito, além de conferir a quantas anda o movimento paredista, confira material produzido e distribuído pelo Sindicato dos Bancários de Santa Maria e Região. O texto é de Maiquel Rosauro. A seguir:

Greve no Banrisul completa 30 dias nesta sexta-feira

O 30º dia de greve no Banrisul, nesta sexta-feira, 18, será comemorado com um bolo em frente à agência Centro do banco, em Santa Maria. O protesto irônico está marcado para as 9h, com a presença de grevistas.

– O governador Tarso Genro está dando bolo nos funcionários do Banrisul. Por este motivo, vamos comemorar os 30 dias de greve saboreando um bolo – ressaltou o diretor do Sindicato dos Bancários, Claudenir Freitas.

Na manhã desta quinta, 17, funcionários do Banrisul realizaram uma caminhada pelas ruas de Porto Alegre. Representantes de sindicatos de todo o Estado participaram do ato.

A greve no Banrisul não tem prazo para ser finalizada. Uma nova negociação entre Comando Nacional dos Banrisulenses e direção do banco não foi marcada. Em Santa Maria, todas as agências do banco gaúcho seguem paralisadas.

Greve no Banrisul – região Central do Estado em 17.10.2013:

Santa Maria

Bozano – Fechada

Camobi – Fechada

Centro – Fechada

Dores – Fechada

Medianeira – Fechada

Presidente Vargas – Fechada

Tancredo Neves – Fechada

Região 

Agudo – Fechada

Cacequi – Fechada

Júlio de Castilhos – Fechada

Mata – Fechada

Pinhal Grande – Fechada

Restinga Seca – Fechada

São Pedro – Parcial

São Sepé – Fechada

São Vicente do Sul – Fechada”

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. Assim como minha categoria – professores – os bancários passaram anos e anos acreditando no PT, e agora estão vendo que são todos farinha do mesmo saco.
    Com essa gente, só os sindicalistas se dão bem, vendendo suas consciências em troca de cargos no governo.
    Tem sido assim em Brasília, e pelo jeito também é assim no Rio Grande do Sul.

  2. A história é a seguinte: pela primeira vez em uma greve uma diretoria impõe a pauta dela em vez de levar em consideração a pauta dos trabalhadores, fazendo “propostas” que só prejudicam os trabalhadores. Deixaram para fazer a primeira negociação específica somente um dia depois dos demais bancos públicos prevendo que estes teriam avanços e a greve geral acabaria, e por consequência a greve do banrisul também. Quando viram que não ia descer deram para trás, não negociaram mais e querem matar os grevistas pelo cansaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo