CIDADE. Direito ‘achado na rua”? Alunos da UFSM saem da sala de aula e vão até os movimentos sociais

CIDADE. Direito ‘achado na rua”? Alunos da UFSM saem da sala de aula e vão até os movimentos sociais - UFSM-direito

Em galpão do Km 3, estudantes, professores e comunidade debateram o “direito à moradia”

É a primeira turma de uma disciplina do curso de Direito da UFSM, ministrada pela professora Maria Beatriz Oliveira da Silva. Os alunos já foram ao barracão de uma Associação Comunitária para discutir o “direito à moradia”. Também protagonizaram uma oficina sobre “o direito achado na rua dialoga com o direito alternativo”. E pretendem ir à Nova Santa Marta, no próximo semestre.

Bueno, mas o que é mesmo esse tal de “Direito Achado na Rua”??? Saiba através do material originalmente publicado no sítio da UFSM, em texto assinado por Jéssica Ribeiro. A seguir:

A aproximação do Direito e os movimentos sociais

Uma Disciplina Complementar de Graduação (DCG) do curso de Direito da UFSM conseguiu mesclar os conceitos de pesquisa, ensino e extensão. Ministrada pela professora Maria Beatriz Oliveira da Silva, a disciplina intitulada Direito Achado na Rua oferece aos alunos aulas teóricas e atividades de extensão, com o envolvimento da comunidade e de movimentos sociais.

Em outubro do ano passado, o curso de Direito promoveu uma palestra com o professor José Geraldo de Sousa Júnior, da Universidade de Brasília. O tema do encontro foi O direito achado na rua, no qual foi abordada a discussão do Direito nos espaços públicos. A palestra foi um elemento motivador para o resgate histórico do tema, e com isso surgiu a ideia de uma disciplina voltada ao assunto. A proposta de Maria Beatriz era trabalhar com o ensino, para tanto, foi criada a DCG. No entanto, com o objetivo de cumprir o propósito da universidade federal, uniu o ensino, a pesquisa e a extensão.

Através de aulas teóricas, oficinas e palestras, a disciplina resgata a história do movimento Direito achado na rua, e promove vínculos com outros movimentos sociais. Beatriz destaca que para instrumentalizar teoricamente o aluno, a disciplina aborda a apropriação e atualização teórica desse movimento e novas metodologias no Direito, como pesquisa em fontes orais e pesquisa de campo…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *