CidadaniaEstadoPartidosPolítica

ESTADO. A bronca dos tucanos com os números da Participação Popular. PSDB compara Tarso com Yeda

Pozzobom: se governo não pagar demandas, como nos últimos 3 anos, participação cairá
Pozzobom: se governo não pagar demandas, como nos últimos 3 anos, participação cairá

O governador Tarso Genro, na terça-feira, anunciou os resultados do Processo de Participação Popular e Cidadã, em que 1,3 milhão de gauchos votaram nas demandas a serem incluídas no projeto de Orçamento Estadual para 2013. No dia seguinte, a bancada tucana na Assembleia, liderada pelo santa-mariense Jorge Pozzobom, veio a público.

Além de críticas à quantidade de recursos (das demandas populares) aprovados “e não pagos”, fez comparações, inclusive numéricas, do atual governo com o anterior, da tucana Yeda Crusius. Para saber mais, acompanhe material distribuído pela assessoria de imprensa do deputado Pozzobom. O texto é de Luiz Gustavo Machado. A seguir:

Participação na consulta popular pode cair caso Tarso deixe de pagar as demandas”, diz Pozzobom

Diante da divulgação do número de votantes no processo de participação popular realizado pelo governo do Estado, nesta terça-feira (24), o líder da Bancada do PSDB na Assembleia Legislativa, deputado Jorge Pozzobom, lembrou que o envolvimento dos gaúchos começou a crescer durante a gestão do PSDB, com a governadora Yeda Crusius. Pozzobom afirmou que o crescimento na participação ocorreu em razão de Yeda ter promovido o ajuste nas contas públicas e honrado com grande parte das demandas indicadas pela consulta popular.

O parlamentar destacou que quando o governo Yeda começou, em 2007, a participação da população estava em 369 mil. No último ano da administração tucana, 2010, o envolvimento chegou a 1,2 milhão de pessoas. “Isso foi o resultado do respeito que o governo Yeda teve com os gaúchos. Com o equilíbrio fiscal alcançado pela administração do PSDB conseguimos aproximar a população do processo de participação”, enfatizou Pozzobom. 

O deputado alertou para a iminência de queda na participação caso o governo siga deixando de pagar as demandas como aconteceu nos últimos três anos. “Em 2011 o governo Tarso deveria ter executado R$ 202,1 milhões, mas aplicou apenas R$ 59,9 milhões. Em 2012 não foi diferente, dos R$ 193,6 milhões previstos no orçamento, somente R$ 71 milhões foram pagos. No ano passado, o governo orçou R$ 179,1 milhões, entretanto destinou efetivamente R$ 82,7 milhões”, apontou.

Pozzobom explicou que de acordo com os números da execução orçamentária, de cada quatro gaúchos que participaram da consulta, três deixaram de ter suas demandas contempladas pelo governo Tarso.

COMPARAÇÃO ENTRE VALORES INVESTIDOS

O valor médio investido nos três primeiros anos do governo Tarso no processo de participação popular é inferior ao verificado nos quatro anos da gestão da governadora Yeda Crusius (PSDB). De acordo com levantamento da assessoria técnica da Bancada do PSDB na Assembleia, entre 2007 e 2010 a média de investimentos anual chegou a R$ 110,5 milhões. Em 2011 e 2013, no governo petista, a média ficou em R$ 71,2 milhões ao ano. Yeda investiu R$ 442,1 milhões ao longo de sua gestão e Tarso R$ 213,6 milhões até o final do ano passado.

PARTICIPAÇÃO NA CONSULTA POPULAR

GOVERNO YEDA:
2007 – 369 mil votantes
2008 – 478 mil votantes
2009 – 950 mil votantes
2010 – 1,2 milhão votantes

GOVERNO TARSO:
2011 – 1,1 milhão votantes
2012 – 1,2 milhão votantes
2013 – 1 milhão votantes
2014 – 1,3 milhão votantes”

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo