KISS. “Janeiro 27” selecionado para ser exibido em Cuba, no Festival do Novo Cinema Latino-Americano

O documentário “Janeiro 27”, considerada a obra mais sensível a tratar do verdadeiro massacre de 242 meninos e meninas, que morreram em decorrência da tragédia na boate Kiss, depois de um festival no interior da Argentina, ganha um espaço ainda mais amplo.

O filme, com direção de Luiz Alberto Cassol e Paulo Nascimento, e que teve também o apoio da Associação dos Familiares das Vítimas da Tragédia, será exibido agora no Festival do Novo Cinema Latino-Americano, que acontece em Cuba há um punhado de anos.

“Janeiro 27” fez parte de uma lista enviada pelos organizadores do Festival de Cinema de Gramado, onde teve sua, digamos, apresentação nacional. Escolhido, será agora exibido em Havana, Cuba, sede do festival. A propósito da apresentação, confira material distribuído agpra há pouco pela Accorde Filmes, realizadora do filme:

KISS. “Janeiro 27” selecionado para ser exibido em Cuba, no Festival do Novo Cinema Latino-Americano - janeiro-27

Documentário Janeiro 27 será exibido no Festival Internacional do Novo Cinema Latino-Americano de Havana, um dos principais festivais de cinema do mundo

Como parte da parceria do Festival de Cinema de Gramado com o “Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano” em Cuba, acontece uma mostra de filmes fora de competição. O Documentário Janeiro 27 foi selecionado para participar desta mostra a partir do convite dos dois festivais. A exibição acontece em 08 de dezembro, às 20h, no Cine Infanta.

Para realizar uma reflexão sobre o tema e homenagear vítimas, sobreviventes e familiares da tragédia de Santa Maria foi realizado o documentário “Janeiro 27” pela produtora Accorde Filmes de Porto Alegre, com direção de Luiz Alberto Cassol e Paulo Nascimento.

Participar de um dos principais festivais internacionais demonstra o quanto temos que refletir sobre o tema e o quanto o documentário pode colaborar. Não podemos deixar cair no esquecimento”, relata Nascimento.

O filme traz depoimentos de pais e sobreviventes da tragédia na cidade de Santa Maria, ocorrida em 27 de janeiro de 2013, na boate Kiss, que vitimou 242 jovens, ao mesmo tempo em que reflete o tema a partir da perspectiva de pais e sobreviventes de dois casos muito similares, a boate The Sation, em Rhode Island, acontecido em 2003 no EUA e a boate Cromagñón, ocorrido em 2004 em Buenos Aires, na Argentina.

O documentário foi realizado após o pedido, para Cassol e Nascimento, dos pais Adherbal Ferreira e Sergio Silva, integrantes da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM). A ligação dos diretores com a cidade é muito forte. Luiz Alberto, atualmente morando em Porto Alegre, é natural de Santa Maria e coordena um Festival de Cinema todos os anos em sua cidade natal e, Paulo Nascimento, hoje residindo em São Paulo, residiu e realizou seus estudos em Santa Maria.

O filme não aborda aspectos da investigação ou questões jurídicas. Nunca tivemos essa intenção, pois não temos conhecimento para isso. Nossa opção foi muito bem definida: queríamos ouvir, dar voz aos pais e sobreviventes, tentar entender, na medida do possível, como eles enfrentaram e enfrentam o ocorrido”, afirma Cassol.

O ator Leonardo Machado se somou a Luiz Alberto Cassol e Paulo Nascimento na produção do filme e, com o argumento, que também é a sinopse “Para que nunca mais aconteça. Não ao esquecimento”, a equipe, totalmente voluntária, realizou o documentário.

O Janeiro 27 é um grito de não ao esquecimento. Não podemos aceitar que isso se repita. É a forma que temos, a partir do nosso trabalho na área do cinema, de poder colaborar, de alguma forma, para não acontecer novamente. É algo que não podemos aceitar”, relata o cineasta Paulo Nascimento.

O documentário foi exibido pela primeira vez durante o Congresso Internacional Novos Caminhos, em janeiro de 2014, promovido pela AVTSM.

Tínhamos um compromisso com os pais de fazer a exibição como eles pediram, um ano depois do trágico ocorrido. Exibimos em Santa Maria e foi um momento de muita emoção. Nossa forma de poder fazer algo para que tragédias assim não voltem a acontecer é através do documentário.” afirma o diretor Paulo Nascimento.

Depois da primeira exibição em Santa Maria o documentário está recebendo convites para exibições comentadas em festivais e mostras de cinema, sempre fora de competição a pedido dos diretores. Recentemente, foi apresentado na  Argentina, durante o Festival Internacional “Oberá em Cortos” e no “Festival Latino-Americano de Lapacho”. No Brasil recentemente foi exibido no “Festival Santa Rosa Mostra Cinema” e no estado de Santa Catarina, em vários Institutos Federais de Educação, com a presença de professores e alunos. Numa das exibições houve debate com a presença do Presidente da AVTSM, Adherbal Ferreira e do diretor Luiz Alberto Cassol.

No 42º Festival de Gramado – Cinema Brasileiro e Latino, em agosto, o documentário foi exibido em sessão especial na noite da segunda-feira (11), com a presença de pais, familiares e equipe do filme. A sessão teve um destaque especial, pois foi a primeira exibição do filme na íntegra, contendo o  depoimento de Victoria Eagan, sobrevivente da tragédia da boate The Station. Para os produtores o depoimento permite que o tema pudesse ser mais abrangente em sua reflexão.

Para Adherbal Ferreira, Presidente da AVTSM, as exibições “fazem com que as pessoas pensem sobre o que aconteceu e para que outros pais não sofram o que sofremos. Não queremos o esquecimento. O filme não é para lembrar a tragédia é para lembrar nossos filhos, homenagear eles, amenizar um pouco a dor.

Ficha Técnica Janeiro 27 – Realização Accorde Filmes

Direção: Luiz Alberto Cassol e Paulo Nascimento

Produção Executiva: Leonardo Machado, Luiz Alberto Cassol, Marilaine Castro da Costa, Paulo Nascimento

Direção de Fotografia: Alexandre Berra

Montagem e Finalização: Lucas Tergolina, Marcio Papel

Direção de Produção: Juliane Fossatti

Produção Argentina: Martin Viaggio

Argumento: Luciano Ribas, Luiz Alberto Cassol, Paulo Nascimento

Trilha Sonora Original: Felipe Vieira, Jonts Ferreira

Mixagem e Finalização de Som: Bossa

Câmeras: Alexandre Berra, Leonardo Machado

Câmeras adicionais: Josias Salvaterra – Mano, Lucas Tergolina

Cenas Aéreas: Finish Produtora

Cenas Adicionais: Christian Lüdtke, Evandro Rigon, Rafael Rigon

Som Direto: Josias Salvaterra – Mano, Renan Casarin

Desgin Gráfico: Luciano Ribas

Tradução Espanhol: Ane Siderman

Tradução Inglês: Juliane Fossatti

Produzido por Leonardo Machado, Luiz Alberto Cassol e Paulo Nascimento

Agradecimentos:

– Aline Bastos D´Ávila

– Guilherme Pires Caron

– Leonardo Peixoto

– Ralfe Cardoso

– Rosa Helena Wolk

– Télcio Brezolin

– Coordenação do 41º Festival de Cinema de Gramado

Agradecimentos Especiais:

– Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria – AVTSM

– Associação “Familias Por La Vida”

– Movimento Santa Maria do Luta à Luta

– Movimento Mães de Janeiro

– ONG Para Sempre Cinderelas

Realização:

– Accorde Filmes”



1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *