CongressoPolíticaSegurança

ZELOTES. Já existe movimento para que a operação seja objeto de uma Comissão Parlamentar de Inquérito

Investigações da “Zelotes” são conduzidas pela Polícia Federal e vários outros órgãos
Investigações da “Zelotes” são conduzidas pela Polícia Federal e vários outros órgãos

É bastante provável que o movimento no sentido contrário se dê de uma forma vigorosa. A mídia, definitivamente, não está muito interessada em aprofundar a “Operação Zelotes”. E por razões, convenhamos, mais ou menos óbvia. E o desinteresse (e a campanha contra) pela CPI não se dá pelas investigações em si mesmas. Mas, sobretudo, porque com o poder de uma Comissão do tipo, será possível desnudar para o mundo, mesmo que via internet, o que hoje talvez esteja apenas no raso publicado pelas redondezas, escudado pelo sigilo.

De todo modo, a ideia de criar a Comissão Parlamentar de Inquérito é real, como você pode conferir no material do portal Rede Brasil Atual (RBA), com foto da Agência Brasil, e reproduzido pelo jornal eletrônico Sul21. A seguir:

Operação Zelotes pode ser alvo de CPI no Senado

O Senado deve decidir durante esta semana se instalará uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o escândalo de corrupção detectado por meio da chamada Operação Zelotes, da Polícia Federal. Ou se as investigações sobre o caso serão incorporadas à CPI do HSBC, que apura prática de evasão de divisas e de sonegação fiscal por brasileiros que aparecem como correntistas de uma unidade do banco inglês na Suíça.

A Operação Zelotes, que se for transformada numa comissão parlamentar será chamada de “CPI da Receita”, investiga fraudes relativas a propinas pagas por empresários a agentes públicos para reduzir o valor de impostos devidos à Receita Federal – o que pode ter resultado em perdas de R$ 6 bilhões a R$ 19 bilhões aos cofres públicos.

O pedido para instalação da CPI foi protocolado pelo senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), e já foram coletadas 32 assinaturas, tanto por parlamentares da oposição como da base aliada do governo – cinco a mais do que o número necessário regimentalmente. Os senadores só têm de decidir, a partir de agora, se consideram melhor, mesmo, apurar os trabalhos de forma isolada dentro de uma comissão de inquérito – seria a quinta a entrar em funcionamento na Casa nesse início de legislatura. Existe o temor de que haja perda de agilidade e de eficácia.

Os que são contrários à ideia de junção das apurações com o caso das contas irregulares do HSBC, por sua vez, argumentam que muitos detalhes podem acabar sendo deixados de lado, numa investigação conjunta sobre dois casos tão complexos…”

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Governo bloqueou (primeiro serviço do Temer) a CPI do BNDES. Objeto? Meio trilhão de reais com destinos diversos. Por que será?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo