AssembleiaEstadoPartidosPolítica

IMPOSTOS. Pozzobom responde ao editor e aproveita para alfinetar Marchezan, lembrando posição de Aécio

Pozzobom: quem estaria “na contramão” não seria ele, mas o presidente estadual do PSDB
Pozzobom: quem estaria “na contramão” não seria ele, mas o presidente estadual do PSDB

Nesta quinta-feira, o deputado estadual Jorge Pozzobom, do PSDB, foi objeto de duas observações em espaços distintos do editor. Um deles foi o comentário feito na Rádio Antena 1 (confira AQUI). Nele, a observação acerca do voto a ser dado pelo tucano, que ele reitera ser contrário ao aumento da alíquota de ICMS, proposto pelo governador José Ivo Sartori.

O outro foi feito na coluna na versão impressa do jornal A Razão, em que o editor lembra (confira AQUI) que a posição de Pozzobom, contrária ao reajuste, vai na “contramão” do pensamento do presidente estadual do PSDB, Nelson Marchezan Júnior.

A propósito das duas anotações do editor, Jorge Pozzobom enviou correspondência eletrônica ao sítio. Esta, que você confere a seguir, na íntegra (inclusive com o linque remetido pelo deputado):

Caro Claudemir

O teu comentário de hoje na rádio Antena 1, assim como a tua nota no jornal A Razão, ambos sobre meu posicionamento – CONTRÁRIO – com relação ao aumento de impostos do Estado está correto. Sou contra porque esta é minha posição desde que entrei na vida pública e porque representa todos aqueles que confiaram em mim, ou seja, é uma questão de coerência pessoal e ideológica.

Tenho apenas uma observação em relação a sua afirmação de que eu estou “na contramão” do que diz o presidente estadual provisório do PSDB. Na verdade, eu voto contra aumento de qualquer tipo de imposto exatamente de acordo com as orientações do presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, conforme a notícia que segue. Portanto, resta evidenciado que quem está na contramão das orientações do PSDB é o próprio presidente provisório estadual do PSDB.

PARA CONFERIR A POSIÇÃO DE AÉCIO, CLIQUE AQUI.”

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. O bom cabrito não berra, parece complicado mas não é.
    Ontem Adão Vilaverde, deputado estadual petista, estava na tv falando porque era contra o aumento do ICMS e a favor da nova CPMF. O primeiro, segundo ele, incidia sobre o consumo e a segunda não. Petice, instituída a contribuição todos incluem no preço.
    Qual a diferença? Existe a provável futura candidatura. Eleito Pozzobom (todas as hipóteses estão abertas, depois que Jânio Quadros derrotou Efeaga na eleição para prefeitura de SP nada espanta) ele vai ter que falar com o Gringo e vai ter que falar com Marchezan sob pena de prejudicar a aldeia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo