EconomiaTrabalho

TRABALHO. Em meio aos preparativos para greve, Sindicato dos Bancários faz a festa por seus 80 anos

Assembleia da última quarta. Na antevéspera dos 80, preparação para greve da categoria
Assembleia da última quarta. Na antevéspera dos 80, preparação para greve da categoria

Por MAIQUEL ROSAURO (texto e foto), da Assessoria de Imprensa do SindBancários

Amanhã (2) será um dia especial para o Sindicato dos Bancários de Santa Maria e Região. A entidade completa 80 anos de história mobilizada para mais uma greve da categoria, que terá início em 6 de outubro. Mas no sábado (3), também será dia de festa.

Para celebrar seus 80 anos com a maior quantidade de bancários possíveis, o Sindicato realizou uma programação especial com diversos eventos desde o início do ano, como oficinas de gastronomia, artesanato e fotografia; passeio ciclístico; jantar baile; mostra fotográfica; entre outros. Mas sábado as comemorações serão estendidas para a comunidade santa-mariense com o evento “Sindicato dos Bancários fazendo Arte na Praça”. A partir das 9h, serão realizadas apresentações artísticas na Praça Saldanha Marinho.

– O evento terá teatro, grupo de dança de crianças com coreografias e música com bancários – afirma o diretor do Sindicato, Claudenir Freitas.

A entidade foi criado em 2 de outubro de 1935, época em que os bancários gaúchos já tentavam articular um congresso que reunisse a categoria. Naquela data, existiam apenas dez sindicatos em todo país. A conjuntura política nacional era favorável à organização do movimento da categoria, que havia atingido uma articulação grande com base em reivindicações bastante abrangentes. A criação do Sindicato significava o fortalecimento da oposição política, da luta pela democratização e da busca da autonomia sindical.

O primeiro presidente da entidade foi Alfredo Bohrer, funcionário do Banco da Província do Rio Grande do Sul, e o vice, Acteon Vale Machado, funcionário do Banco Nacional do Comércio. Newton Belém, funcionário do Banco do Estado do Rio Grande do Sul, e posteriormente, presidente da Federação dos Bancários do Estado, era o primeiro secretário. A posse da primeira diretoria, ocorrida no Clube Caixeiral, contou com a presença dos bancários, que na época não chegavam a 100.

O Sindicato de Santa Maria surgiu exatamente no período em que se intensificavam as articulações políticas contra a ordem instituída, representada pelo governo de Getúlio Vargas. Sob forte influência do Partido Comunista, o movimento bancário brasileiro filiara-se à Aliança Nacional Libertadora (ANL) e, através da recém-criada Federação Bancária, apoiara o Congresso Nacional da Unidade dos Trabalhadores.

Desde que foi fundado, o Sindicato dos Bancários enfrentou a repressão do período da Ditadura Militar e liderou greves e lutas, que resultaram em conquistas para a categoria. É filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT), à Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Instituições Financeiras do Rio Grande do Sul (Fetrafi/RS) e à Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

O Sindicato possui duas sedes em Santa Maria (a principal na Rua Doutor Bozano, 1147, salas 301, 302 e 307, e a Sede II na Rua Serafim Valandro, 835, sala 21) e conta hoje com 1.908 sindicalizados, sendo 1.158 na ativa e 750 aposentados. Sua área de abrangência compreende 25 municípios da região Central do Rio Grande do Sul.

Para estar sempre conectado com seu público-alvo o Sindicato conta com hoje com um jornal mensal, o Conta Corrente, que possui tiragem de 2 mil exemplares; um site atualizado diariamente (www.bancariossm.org.br), um programa semanal na TV Santa Maria (Canal 19 da Net, também disponível em www.santamaria.tv.br) e páginas nas principais redes sociais (www.facebook.com/bancariossm, www.twitter.com/bancariossm e www.youtube.com/bancariossm).

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo