PrefeituraSanta MariaTrabalhoTransporte

TRANSPORTE. Schirmer nega, de novo, reajuste da tarifa. Se não houver novidade, greve começa segunda

Rodoviários aguardam proposta até domingo. Então, greve pode não sair (Arquivo AIPM)
Rodoviários aguardam proposta até domingo. Então, greve pode não sair (Arquivo AIPM)

Na versão online do jornal A RAZÃO

O prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer (PMDB), pediu bom senso aos empresários e trabalhadores do transporte coletivo para evitar a greve, marcada para começar segunda-feira, 4. No final da tarde desta sexta-feira, 1º, Schirmer comunicou que negou o novo pedido de reajuste da passagem feito pela Associação dos Transportadores Urbanos (ATU).

“Apelamos para o bom senso dos trabalhadores e empresários no sentido de que compreendam as dificuldades que vive a população, com altos índices de desemprego, crise econômica e elevada inflação. Não é hora de radicalismo, intransigência e intolerância. Os santa-marienses não podem ser, em última análise, as principais vítimas desse impasse envolvendo as relações trabalhistas desse importante segmento”, avaliou o prefeito.

Para negar o novo pedido e reajuste da tarifa, hoje de R$ 2,90, Schirmer  informou que reconhece as dificuldades pelas quais passam as empresas que operam o Sistema Integrado Municipal (SIM), com a elevação do preço dos insumos e impostos. Contudo, ponderou que o  reajuste da passagem “poderá vir, mas em tempo oportuno”.

No começo do ano, o Conselho Municipal de Transportes aprovou o reajuste da passagem urbana de R$ 2,90 para R$ 3,31. Em fevereiro, Schirmer negou o aumento. Nesta semana, a ATU pediu que o prefeito revisse a decisão, mas o chefe do Executivo voltou a negar o reajuste.

Com a nova negativa do aumento da passagem, cresce a indefinição sobre a greve anunciada por motoristas e cobradores. A intenção da categoria é manter um terço da frota em funcionamento a partir de segunda-feira, nos horários entre 6h30 e 8h30 e entre 17h30 e 19h30. A paralisação é por tempo indeterminado.

Os trabalhadores protestam por aumento salarial. Pedem 15% de reajuste, mas as empresas oferecem 11%. Porém, os empresários alegam que só poderão elevar os salários se houver reajuste na tarifa, atualmente de R$ 2,90.

Nesse sentido, o presidente do sindicato dos trabalhadores, Rogério da Costa, diz que a paralisação está mantida a greve, “a menos que surja um fato novo”. O fato novo é uma contraproposta de reajuste salarial por parte das empresas. Se isso ocorrer até domingo, o sindicato garante que irá convocar uma assembleia no final de semana para rever a greve. “Só quem pode decidir é o trabalhador em assembleia”, alerta Costa.

Até o momento, a ATU não apresentou contraproposta de reajuste aos trabalhadores. (Para ler a íntegra, no original, clique AQUI)

LEIA TAMBÉM:

Prefeito dialoga com trabalhadores e empresários do transporte e pede bom senso às duas categorias”, de Luiz Otávio Prates, da Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal (AQUI)

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo