HISTÓRIA. Pesquisadores da UFSM querem preservar a parte mais antiga do Cemitério Ecumênico Municipal

HISTÓRIA. Pesquisadores da UFSM querem preservar a parte mais antiga do Cemitério Ecumênico Municipal

HISTÓRIA. Pesquisadores da UFSM querem preservar a parte mais antiga do Cemitério Ecumênico Municipal - destaque-1

Túmulos que têm falecidos até 1950, na parte antiga do cemitério municipal: preservação é o objetivo do projeto gestado na UFSM

Por VERA JACQUES (texto), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura, com fotos de JOÃO ALBERTO LICHT TEIXEIRA (Arquivo Pessoal)

A arte cemiterial traz consigo um forte potencial turístico, histórico e cultural. Isto é o que acontece em países como a Argentina (Recoleta), França e Estados Unidos. Em Santa Maria, um grupo de pesquisa, coordenado pela professora do Curso de Arquivologia, Fernanda Pedrazzi, desenvolveu o projeto “Informação Lapidar da parte antiga do Cemitério Ecumênico Municipal de Santa Maria, – O “Cemitério Alemão”, Fase I”.

O trabalho, que conta com a participação do arquiteto e professor aposentado da UFSM, José Antônio Brenner e do aluno do Curso de Arquivologia, João Teixeira, foi apresentado ao prefeito Cezar Schirmer, na manhã desta quarta-feira (11). O ato aconteceu no gabinete do chefe do Executivo, com a presença da secretária de município da Cultura, Marília Chartune Teixeira. A coordenadora explicou ao prefeito que o trabalho busca mapear os túmulos que têm falecidos até 1950, na parte antiga do Cemitério Ecumênico, conhecido como “Cemitério Alemão”..

A professora doutora Fernanda Kielling esclarece que o grupo propôs ao prefeito, que a administração selecione aqueles túmulos que têm maior significado para o patrimônio para que eles sejam preservados. “A idéia é preservar estes túmulos e assim preservar a história de Santa Maria”, argumenta Fernanda.

O prefeito enalteceu a relevância do trabalho dos pesquisadores e declarou que está examinando de que forma a prefeitura, junto com o Curso de Arquivologia, pode fazer o levantamento, a preservação e a restauração deste patrimônio. “Esta arquitetura (arte cemiterial) tem um viés turístico muito relevante. Agora que estamos em processo de terceirização da gestão dos cemitérios, a partir daí a prefeitura poderá se dedicar à preservação e divulgação deste patrimônio”, diz Schirmer. O prefeito pensa em elaborar um material informativo identificando os túmulos.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *