Destaque

PRESSA. Prefeitura, agora com a posse confirmada, quer restaurar Gare da Viação Férrea ainda neste ano

A Gare da Estação Férrea faz parte do projeto de Lei Complementar que transforma o Centro Histórico de Santa Maria em Polo Histórico
A Gare da Estação Férrea faz parte do projeto de Lei Complementar que transforma o Centro Histórico de Santa Maria em Polo Histórico

Por MAURÍCIO ARAÚJO (texto) e GABRIEL HAESBAERT (foto), no jornal A Razão

Um dos pontos mais importantes da memória de Santa Maria agora, oficialmente, é do Município: o conjunto de prédios da Gare da Viação Férrea. As edificações não são apenas estruturas emblemáticas. Elas remontam à história da cidade e guardam em suas paredes o início do desenvolvimento do Coração do Rio Grande no começo do século passado. Na quinta-feira, o prefeito Cezar Schirmer assinou documento que transfere a área à cidade e, agora, a Prefeitura poderá trabalhar na recuperação dos prédios e desenvolver projetos de revitalização completa do Centro Histórico de Santa Maria. Assim, o lugar que trouxe tantos progressos ao município poderá, novamente, ser palco da construção de novas histórias.

Com a proposta de modernizar o espaço, a Prefeitura já tem tudo pronto para colocar a mão na massa e transformar a Gare da Viação Férrea, respeitando o patrimônio histórico. Na verdade, os projetos já estavam prontos há algum tempo, quando o então Escritório da Cidade conseguiu aprovar junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae) projetos de recuperação do espaço, conforme a Secretaria de Cultura.

Na proposta, que já deve ser colocada em prática, são previstas restauração e recuperação dos prédios, espaços para o Museu do Ferroviário, sala de reuniões, consolidação da Secretaria de Cultura e outros ambientes voltados a atividades culturais e de turismo.

Outro passo que a Prefeitura quer dar é conseguir parceria público/privada, incentivando as entidades empresariais a participarem do projeto, que visa caracterizar o ponto como polo gastronômico, com restaurantes, bares e outros estabelecimentos da iniciativa privada.

“Essa é uma grande conquista para a cidade. Não podíamos fazer nada porque o prédio não era nosso. Agora faremos projetos e desenvolveremos o espaço. Buscaremos parcerias para que surjam restaurantes, arte e, claro, muita cultura em todo centro histórico”, destaca o prefeito Cezar Schirmer.

INVASÃO

A área aos fundos da Gare também fazia parte de outros projetos da cidade. Havia propostas para a construção do Parque do Ferroviário. Entretanto, uma ocupação irregular – hoje consolidada – ocorreu nos anos 2000. No local, dezenas de famílias construíram casas em uma área de seis hectares, pertencente ao município. A intenção era tornar também Aquela área em zona turística. A área está muito tempo em disputa judicial aos cuidados da Procuradoria-Geral do Município.

Desenvolvimento da área pública

Em abril deste ano, a Prefeitura sancionou Projeto de Lei Complementar do Executivo que transforma o Centro Histórico de Santa Maria em Polo Histórico, Cultural, Turístico, Gastronômico e de Lazer. A finalidade da proposta é preservar a história e a cultura, bem como valorizar os bens patrimoniais e arquitetônicos, de convívio social, de entretenimento e de lazer da Vila Belga, da Avenida Rio Branco e da Gare da Viação Férrea. A iniciativa visa o desenvolvimento das potencialidades econômicos do local com geração de emprego e renda.

A cedência da área da Gare foi comemorada pelas secretárias de Turismo e Cultura do município, Norma Moesch e Marília Chartune, respectivamente. “Desde o início da atual gestão buscamos a valorização e a memória do passado do município. Esse passo será fundamental para ampliação do turismo na cidade”, destaca Norma.

Já a secretária de Cultura lembra que iniciativas voltadas à arte, turismo e gastronomia, entre outros, nesses locais, recebem incentivos fiscais, com isenção tributária. Ela ressalta que a restauração que será feita atenderá as especificações do Iphae, já que o prédio é tombado. Na sexta-feira, os prédios da Gare já estavam sendo pintados.

“Sempre buscamos trazer a cultura para a Gare, com festivais, exposições, Tertúlia Musical Nativista. A partir de agora será ainda mais forte essas iniciativas. É um ganho para o município e ela só tem a valorizar nosso patrimônio”, comemora Marília.

A expectativa é que o projeto de recuperação do espaço seja desenvolvido ainda este ano, já que 2016 é o último da gestão do prefeito Cezar Schirmer. Na atual administração foram revitalizadas a Avenida Rio Branco e a Vila Belga.

VALORIZAÇÃO

A presidente da Associação dos Moradores Ferroviários da Vila Belga, Myrna Lena Floresta, também vibrou com a conquista do município. Ela destaca que ainda há muito a ser feito, em especial na Vila Belga, como melhoria das ruas e outras infraestruturas, mas destaca a importância de revitalizar o centro histórico e cultural do município. “Apoiamos todas as iniciativas, porque é um bem da cidade”, diz Myrna Floresta.

A Vila Belga, com 84 casas históricas, sempre foi um ponto turístico de Santa Maria. Com a chegada do Brique da Vila Belga em alguns finais de semana, ganha ainda mais notoriedade, já que milhares de pessoas percorrem suas ruas nos dias da feira.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Ou o serviço de “restauração” é pouco ou vão fazer uma meia-sola rápida para “inaugurar” ainda neste governo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo