EXTRA. Schirmer nomeia ex-presidente da Cacism para secretaria que tratará do contrato com a Corsan

EXTRA. Schirmer nomeia ex-presidente da Cacism para secretaria que tratará do contrato com a Corsan

EXTRA. Schirmer nomeia ex-presidente da Cacism para secretaria que tratará do contrato com a Corsan - pacheco

Luiz Fernando do Couto Pacheco (na entrevista coletiva) assume secretaria de Governo, Programação Institucional e Comunicação

Por FABRÍCIO MINUSSI (texto) e JOÃO ALVES (foto), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

O prefeito Cezar Schirmer anunciou em entrevista coletiva, na tarde desta segunda-feira (29), as primeiras ações com vistas à continuidade dos serviços de água e saneamento na cidade, tendo em vista o término do contrato de 20 anos celebrado com a Corsan, e que finda no próximo dia 16 de setembro. No encontro com a imprensa, o chefe do Executivo anunciou a transformação da Secretaria de Comunicação e Programação Institucional em Secretaria Extraordinária de Governo, Programação Institucional e Comunicação.

Schirmer também anunciou o nome do novo titular da pasta. Trata-se do engenheiro civil, empresário e ex-presidente da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Santa Maria (Cacism), Luiz Fernando do Couto Pacheco.Caberá a ele a condução dos assuntos relativos aos serviços de água e esgoto em Santa Maria, a partir do término do contrato vigente com a autarquia estadual. O atual secretário Rogério Assis Brasil assumirá uma outra função na municipalidade a ser anunciada pelo prefeito nos próximos dias.

“O Pacheco assume com a função única de conduzir nos próximos 90 dias a discussão sobre o futuro modelo de gestão da água e do saneamento na cidade. Caberá a ele discutir e dialogar com os diferentes setores representativos da sociedade a forma como a cidade conduzirá, a partir de agora, os serviços que hoje são executados pela Corsan e que não correspondem às expectativas dos santa-marienses”, disse Schirmer.

A decisão do prefeito se deu a partir da preocupação de que o assunto relativo ao fim do término do contrato com a Corsan e o futuro dos serviços na cidade sejam discutidos fora do contexto eleitoral. “Esse é um tema que diz respeito à qualidade de vida dos cidadãos e do futuro da cidade. Por isso, precisa ser tratado nas devidas instâncias, fora do cenário político vigente. A escolha pelo nome do Pacheco se deu em cima da contribuição dele como presidente da Comissão Técnica Especial nomeada pela Prefeitura, que discutiu os termos do futuro contrato de concessão dos serviços de saneamento em Santa Maria”, disse Schirmer.

O relatório, que considerou estudos técnicos e realizou avaliação dos serviços de água e saneamento de outros municípios gaúchos, apontou que o melhor modelo de gestão dos serviços prestados, hoje, pela Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), passa pela municipalização da operação com a criação de uma companhia pública de saneamento. “Além do mais o Pacheco tem a capacidade de diálogo com as entidades representativas da comunidade para que possamos elaborar esse novo modelo, que será submetido, ainda, à apreciação da Câmara de Vereadores e da população, com a realização de audiências públicas e outros procedimentos”, explicou o prefeito.

Relatório foi entregue à Câmara de Vereadores em abril

O relatório com detalhes dos estudos realizados pela Comissão Técnica Especial foi entregue no dia 11 de abril último ao chefe do Executivo e ao presidente da Câmara de Vereadores, Luiz Carlos Fort. Também integram a mesma comissão o coordenador do Fórum das Entidades Empresariais, Evandro Zamberlan; o diretor presidente da Agência de Desenvolvimento de Santa Maria, Vilson Serro e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB Subseção Santa Maria, Péricles Lamartine Palma da Costa.

Lucro da Corsan aplicado na cidade

No dia da entrega do relatório à Prefeitura e Câmara de Vereadores Pacheco foi objetivo ao justificar a posição unânime da comissão pela Municipalização da água e saneamento na cidade.  “Visitamos e conhecemos a realidade das cidades de médio e grande porte do RS que municipalizaram os seus serviços e pudemos notar os benefícios quando a gestão fica mais perto da comunidade. Além do mais o lucro da Corsan, que ultrapassa os 10% do orçamento anual da cidade, permaneceria em Santa Maria, evitando o subsídio cruzado. Da mesma forma entendemos que a cidade tem condições de realizar essa gestão, garantindo uma transição que não prejudique a população”, disse Pacheco, à época.

Notificações, multas e condenações

Em outubro do ano passado, após sucessivas notificações por não cumprimento de contrato, multas e condenações na Justiça a Prefeitura anunciou que não iria renovar o contrato de concessão dos serviços de água e esgoto em Santa Maria com a Corsan, “A discussão que hoje se trava não teria tal dimensão se a Corsan, ao longo das últimas décadas, tivesse cumprido compromissos assumidos. De qualquer forma já estamos tomando as providências necessárias para a municipalização da água e do saneamento em Santa Maria”, afirmou o prefeito, à época.

Serviços não sofrerão descontinuidade

Luiz Fernando do Couto Pacheco participou da entrevista coletiva realizada na tarde desta segunda-feira. Na oportunidade ele reafirmou o compromisso de entregar, em 90 dias, as sugestões e encaminhamentos com vista ao novo modelo de gestão a ser aplicado para os serviços de água e saneamento na cidade. “Assim como o prefeito e a Comissão Técnica Especial, tenho o mesmo entendimento de que o melhor caminho é a municipalização dos serviços, tendo a Corsan como parceira, mas com os termos alinhados completamente diferentes dos vigente no contrato que está chagando ao fim. É importante salientar, também, que mesmo com o término do contrato com a Corsan nos próximos dias, os serviços continuam inalterados, seja na forma de um aditivo, por contrato emergencial, enfim… Não existe qualquer possibilidade desses serviços virem a sofrer qualquer tipo de alteração”, garantiu Pacheco…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



3 comentários

  1. Jorge

    Antes tarde do que nunca… aliás, está bem tarde, não é prefeito?

    E por favor, nesse estudo é preciso se desvincular totalmente da necessidade de se continuar com a Corsan. É preciso olhar para as necessidades de Santa Maria, não da Corsan, não pela permanência da Corsan. Uma coisa é uma coisa, outra é bem diferente.

    Que venha um novo modelo e licitação. Vamos ver se no apagar das luzes do governo atual virá finalmente algo que a dignifique.

    Boa sorte ao encarregado, vai precisar muito dela.

  2. O Brando

    Questão da Corsan é simples. Serviço não está dentro do que se espera. Além disto, muitos recursos saem da cidade, deixam de resolver problemas aqui para resolver em outros lugares.
    Por que a Corsan está de sangue doce? Porque a maioria dos candidatos seja por ideologia, seja por incompetência, querem renovar o contrato. Incompetência porque sabem que não tem capacidade de implantar uma alternativa. Falam em “conversar”, “cobrar”, etc. Só que, depois que o contrato for assinado, a “conversa” é no judiciário. Um erro neste assunto são 30 anos de dor de cabeça.

  3. Zeca

    o novo secretario pediu uns dias para assumir, mas anunciou que vai falar com Presidente da CORSAN antes de assumir. Mesmo que seja AQUI como ele pode falar em nome do governo sem ter a POSSE?
    Este tipo de coisa que faz Santa Maria ser amadora nas coisas que faz.
    O contrato venceu e se renova AUTOMATICAMENTE pois nada foi feito no ano antes do vencimento,]Schirmer delegou um relatório para tres escolhidos, fizeram resumo do que existe, com erros de informação alem de omissões de dados.
    Por que fazer um estudo se temos uma Lei de Saneamento?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *