GARUPA. Aplicativo similar ao Uber será lançado em março em Santa Maria. Empresa cadastra motoristas

GARUPA. Aplicativo similar ao Uber será lançado em março em Santa Maria. Empresa cadastra motoristas

POR MAIQUEL ROSAURO

GARUPA. Aplicativo similar ao Uber será lançado em março em Santa Maria. Empresa cadastra motoristas - Taxis-Deivid-2

Diretor comercial do aplicativo Garupa, Antonio Matos, afirma que já está preparado para uma resistência inicial dos taxistas de Santa Maria. Foto Deivid Dutra / Arquivo / A Razão

Um aplicativo para solicitar carros com motorista será lançado em março em Santa Maria. Trata-se do Garupa, que atua de forma similar ao famoso Uber. A empresa, que tem origem em Porto Alegre, já realiza o cadastro dos motoristas interessados em atuar com o aplicativo na cidade.

O diretor comercial do Garupa, Antonio Matos, afirma que a empresa existe há nove meses e que está se preparando para um lançamento simultâneo em Porto Alegre, Canoas, Santa Maria, Caxias do Sul, Pelotas e Rio Grande.

“Em Santa Maria, abrimos o cadastro para os motoristas na sexta-feira e já contamos com 20 interessados”, afirma Matos.

Os profissionais que desejam trabalhar com o aplicativo realizam o cadastro através do site garupa.co. A empresa irá realizar uma seleção que levará em conta antecedentes criminais, documentação do veículo e também será preciso enviar fotos do carro a fim de se avaliar sua conservação.

Em geral, serão aceitos veículos fabricados, no máximo, há cinco anos e que tenham quatro portas e ar-condicionado. Terão preferência automóveis nas cores branco, cinza e preto, enquanto que carros vermelhos e amarelos serão desconsiderados.

“Temos uma política de discrição, por isso daremos preferência para as cores sólidas. Além disso, os carros não serão adesivados. Quem não tiver um veículo próprio também pode se cadastrar, pois pretendemos fazer parcerias com as locadoras de Santa Maria”, destaca Matos.

O diretor comercial do Garupa afirma que os motoristas não serão funcionários da empresa, atuando como autônomos. O pagamento das comissões por corrida será feito semanalmente e o valor recebido vai depender do desempenho do profissional. No material de divulgação da empresa consta que 80% do valor de cada corrida será do motorista.

Matos garante que o serviço irá oferecer carros limpos e seguros, no qual os clientes poderão chamar os motoristas apenas pelo aplicativo. Através da plataforma também será possível ter uma projeção de quanto o usuário irá pagar pela corrida. O valor da tarifa ainda não foi definido, mas o empresário garante que será menor do que o praticado hoje pelo serviço de táxi. O pagamento por parte dos clientes será realizado apenas com cartão de crédito.

Resistência
O diretor comercial do Garupa afirma que a empresa está pronta para lidar com a possível aversão por parte dos taxistas. Ele diz que Santa Maria é um dos municípios prioritários para a implantação do serviço.

“O Uber é pioneiro onde opera e deixou tudo mais fácil. Como nós entraremos primeiro em Santa Maria, esperamos resistência por parte dos taxistas que detêm o monopólio no transporte de passageiros individual”, afirma Matos.

CLIQUE AQUI para ler na íntegra.



9 comentários

  1. Joao batista da silva

    Nao vai funcionar aqui em santa maria
    Isso e para cidade com muintos
    Habitantes ja temos muintos
    Clandestino
    Sem mais taxista

    .

    .

    .

  2. O Brando

    Fiscalização da prefeitura não terá condições de monitorar estes carros. O único favor que se pede aos motoristas de táxi é não perder a razão, sair detonando carros por aí tentando fazer justiça com as próprias mãos.

  3. Jorge

    A prefeitura não precisa monitorar esses carros.

    Pedir favor para não um taxista não bancar um selvagem? Era só o que faltava, Brando. Esperava mais de você.

    Lugar de selvagem é na fila de desempregado e pagando a conta do mal feito. Se uma pessoa com licença pública tem condições psicológicas inerentes para um ato violento contra outra pessoa (por qualquer que seja o motivo, no caso, ridículo agredir ou danificar o bem de outro), demonstraria não ter a mínima condição de ter a licença para o serviço.

  4. José Scwartzman

    Mais do que justo. Os taxistas tiveram chance de ter aplicativo próprio e desdenharam. Agora não reclamem.

  5. antonio

    Taxista reagir?,temos mais de mil clandestinos e ninguém berra. Porque será né???,não vai ser agora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *