PrefeituraTecnologia

CIDADE. Tecnoparque recebe suporte econômico da Prefeitura. “Termo de Colaboração” foi assinado hoje

Não consta no material abaixo, da assessoria de Imprensa da Prefeitura, mas informações colhidas pelo editor do site apontam para cerca de R$ 180 mil, em parcelas mensais de R$ 20 mil, o valor total a ser repassado ao Parque Tecnológico, conforme Termo de Cooperação assinado nesta terça-feira.

Por MAURÍCIO ARAÚJO (texto) e JOÃO ALVES (foto), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

Prefeitura Municipal e Associação Parque Tecnológico de Santa Maria assinam Termo de Colaboração. Ato aconteceu no Tecnoparque

Com intuito de disseminar a cultura empreendedora e garantir a inovação tecnológica no Município, a Prefeitura Municipal e a Associação Parque Tecnológico de Santa Maria assinaram, na manhã desta terça-feira (13), o Termo de Colaboração para a disponibilização de recursos à associação. O documento foi assinado pelo prefeito Jorge Pozzobom e pela diretora-presidente do Tecnoparque, Nilza Zampieri.

“Vivemos em um momento de dificuldade financeira. Então todo recurso deve ser muito bem destinado e, aqui, não é um gasto, mas um investimento no desenvolvimento de Santa Maria”, disse o chefe do Executivo.

Os recursos que serão destinados ao Parque Tecnológico, explicou o prefeito, honram o compromisso feito pela atual Administração Municipal no que se refere ao investimento e apoio aos empreendimentos científicos e tecnológicos no Município. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, Ewerton Falk, lembrou do crescimento do Tecnoparque e dos passos dados ao longo dos anos para a sua consolidação em Santa Maria, especialmente com a participação ativa da sociedade civil neste processo.

“A Prefeitura entende a missão do Tecnoparque para o desenvolvimento do Município, por isso o apoia e trabalha junto para que ele seja autossustentável”, ressaltou o secretário.

Conforme Nilza Zampieri, o Santa Maria Tecnoparque tem 20 empresas e é exemplo a outras cidades gaúchas, que buscam no Coração do Rio Grande inspiração para seus parques.

“Estamos à frente de muitas cidades do Estado e somos exemplo a elas. Hoje podemos analisar a importância do Parque, porque, aqui, as empresas se desenvolvem e colaboram para o crescimento do Município”, destacou diretora-presidente do Tecnoparque.

O vereador Francisco Harrisson, que representou a Câmara de Vereadores de Santa Maria no ato, e o vice-reitor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Paulo Bayard, também salientaram a importância do Parque Tecnológico para a cidade e colocaram as instituições à disposição da Associação.

“O Tecnoparque não representa só o futuro, mas já é a realidade de Santa Maria”, disse o parlamentar. “A UFSM foi, é, e sempre será parceira para o desenvolvimento do Município e do Tecnoparque”, reforçou Bayard.

Também estiveram na assinatura do Termo de Colaboração, o secretário de Finanças, Jean-Pier Esquia, e o presidente do Instituto de Planejamento (Iplan), Vilson Serro, que foi bastante elogiado pela sua atuação na construção e efetivação do Santa Maria Tecnoparque.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. Tantas deficiências nos serviços e entregam 180 mil para um lugar luxuoso, isoslado… Nem a ADESM, prefere um cantinho no SINDILOJAS.
    Ninguem quer iri e vir para o fundo do Distrito Industrial, cercado de pobreza e miséria.
    Olhem pedidos dos vereadores desta semana. Pedem ao Correio para entregar cartas e encomendas naquele fundão, entre Tecncoparque e Lixão da cidade.
    Pra uma coisa os requerimentos servem, basta ler e ficar atento.

  2. Serviços terceirizados, “criação de peças únicas para a mulher moderna. trabalha com jóias e acessórios variados”, “site e aplicativo segmentado para relacionamentos femininos”.
    Para quem não conhece, existem os sites do TecnoPuc e do TecnoSinos. O de Santa Maria não só não deslanchou, ficou no meio do caminho. Não dá para fechar. É um parque tecnológico para inglês ver, muito marketing. Tenta-se “dourar a pílula” para justificar novos investimentos esperando que algum dia vá para frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo