ComportamentoCrônicaPolítica

METÁFORA. Orlando Fonseca e o batom na cueca: não é prova do que quer que seja, nos tempos que correm

“…O pior do fundo deste poço no qual viemos caindo é que não há fundo. Ainda que as liberdades democráticas permitam hoje – mais do que há duas, três décadas – lavar as cuecas sujas (e tem os que aproveitam para tirar as manchas e ainda dar um enxaguada em algumas notas de dólares ou reais) – não é mais possível acreditar que o crime da mala vai receber o tratamento devido da justiça. Durante muito tempo a polícia fazia vistas grossas para as malas circulantes pelos descaminhos do país. O ministério público, caso houvesse algum inadvertido investigador trazendo provas robustas de que malas estavam circulando lépidas e larápidas, tratava de acondicioná-las solenemente em alguma…

DE FATOS E DIVERSÕES

Em tempo: se alguém considerar machistas ou sexistas minhas considerações, em meu benefício, até o momento, não se encontraram dólares em calcinhas.

– Uma coisa pode acontecer, se o Fora Temer prosperar, se os suspeitos da linha sucessória no Congresso foram preteridos: a volta do topete à presidência, com…”

CLIQUE AQUI para ler a íntegra da crônica “De cuecas e malas”, e também outras notas (De fatos e diversões), de Orlando Fonseca. Orlando é professor titular da UFSM – aposentado, Doutor em Teoria da Literatura, PUC-RS, e Mestre em Literatura Brasileira, UFSM. Exerceu os cargos de Secretário de Cultura na Prefeitura de Santa Maria e de Pró-Reitor de Graduação da UFSM. Escritor, tem vários livros publicados, foi cronista dos Jornais A Razão e Diário de Santa Maria. Tem vários prêmios literários, destaque para o Prêmio Adolfo Aizen, da União Brasileira de Escritores, pela novela Da noite para o dia, WS Editor; também finalista no Prêmio Açorianos, da Prefeitura de Porto Alegre, pelo mesmo livro, em 2002.

OBSERVAÇÃO DO EDITOR: a imagem que ilustra esta nota é reprodução da internet.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo