CIDADE. Contra Reforma da Previdência, sindicalistas protestam nas ruas e também comparecem à Câmara

CIDADE. Contra Reforma da Previdência, sindicalistas protestam nas ruas e também comparecem à Câmara - maiquel-atens

Na Câmara de Vereadores, Atens deixou um recado bem claro aos parlamentares: se reforma passar, nenhum se reelege no próximo ano

Por MAIQUEL ROSAURO (texto e fotos), da Equipe do Site

A Reforma da Previdência voltou a ser tema de protestos em Santa Maria. No fim da tarde dessa terça-feira (6), manifestantes ligados, sobretudo, a sindicatos e ao movimento estudantil participaram de um ato na Praça Saldanha Marinho seguido de passeata pelas ruas centrais da cidade.

A Greve Geral planejada para terça havia sido cancelada pelas centrais sindicais na semana passada. Mesmo assim, o ato foi mantido em Santa Maria.

“Ocorreu um ruído de comunicação. A Greve Geral é estratégica e serve como movimento de resistência. Se a proposta for votada no congresso, na próxima semana, iremos paralisar”, prevê o dirigente da CUT Regional Centro, Eloiz Guimarães.

O ato dessa terça reuniu dirigentes sindicais ligados ao CPERS/Sindicato, Sindicato dos Bancários de Santa Maria e Região, Atens, Assufsm, Sedufsm, Sindicato dos Metalúrgicos, Sindicaixa, Sintrajufe, entre outros. Também foram vistas bandeiras do DCE da UFSM, PCdoB, CUT e CSP.

De acordo com diretor geral do 2º Núcleo, Rafael Torres, a Reforma da Previdência é prejudicial aos trabalhadores.

“Será preciso trabalhar depois dos 60, 70 anos, gerando uma maior dificuldade de acesso ao provento integral”, analisa Torres.

Opinião semelhante tem o diretor do Sindicato dos Bancários, Tadeu Menezes. Segundo ele, os trabalhadores sofrerão um grande desgaste.

“O tempo de trabalho para conseguir a aposentadoria irá aumentar e, no caso dos bancários, isso será péssimo. A categoria já convive com metas abusivas e terá mais problemas de adoecimento”, avalia Menezes.

CIDADE. Contra Reforma da Previdência, sindicalistas protestam nas ruas e também comparecem à Câmara - maiquel-protesto

Concentração do protesto na Praça Saldanha Marinho. Principais sindicatos de Santa Maria marcaram presença, na tarde desta terça

No início da tarde, a Atens (Seção Sindical dos Técnicos de Nível Superior da UFSM) realizou uma manifestação diferente do habitual. Dezenas de sindicalistas foram até a Câmara de Vereadores para dar um recado aos vereadores: caso a Reforma da Previdência seja aprovada, nenhum parlamentar será reeleito.

O objetivo, segundo a presidente da Atens, Diana Sampaio, era pressionar para que os vereadores entrassem em contato com os seus parlamentares no Congresso Federal para travar a proposta.

“Quem votar a favor da Reforma da Previdência não irá voltar! Se a proposta passar, Santa Maria será prejudicada, pois é uma cidade com um grande número de servidores”, argumenta Diana.



2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *