DATAFOLHA. Eleitor “ignora” condenação e mantém Lula, com muita folga, na preferência dos brasileiros

DATAFOLHA. Eleitor “ignora” condenação e mantém Lula, com muita folga, na preferência dos brasileiros

DATAFOLHA. Eleitor “ignora” condenação e mantém Lula, com muita folga, na preferência dos brasileiros - destaqueDo G1, o Portal de Notícias das Organizações Globo, com informações da Folha de São Paulo

Uma pesquisa do Instituto Datafolha foi divulgada nesta quarta-feira (31) pelo jornal “Folha de S.Paulo” com índices de intenção de voto para o primeiro turno da eleição presidencial de 2018. Veja os resultados dos nove cenários pesquisados:

Cenário 1 (Sem Marina Silva, João Doria, Henrique Meirelles e Luciano Huck):

Lula (PT): 37%

Jair Bolsonaro (PSC): 16%

Geraldo Alckmin (PSDB): 7%

Ciro Gomes (PDT): 7%

Joaquim Barbosa (sem partido): 5%

Alvaro Dias (Podemos): 4%

Fernando Collor de Mello (PTC): 2%

Manuela D´Ávila (PCdoB): 1%

Paulo Rabello de Castro (PSC): 1%

João Amoêdo (Partido Novo): 1%

Guilherme Boulos (sem partido): 0

Branco/nulo/nenhum: 17%

Não sabe: 3%

Cenário 2 (Sem Marina Silva, João Doria, Luciano Huck e Joaquim Barbosa)

Lula (PT): 36%

Jair Bolsonaro (PSC): 18%

Geraldo Alckmin (PSDB): 7%

Ciro Gomes (PDT): 7%

Alvaro Dias (Podemos): 4%

Manuela D´Ávila (PCdoB): 2%

Fernando Collor de Mello (PTC): 2%

Henrique Meirelles (PSD): 1%

João Amoêdo (Partido Novo): 1%

Paulo Rabello de Castro (PSC): 1%

Guilherme Boulos (sem partido): 0

Branco/nulo/nenhum: 19%

Não sabe: 3%

Cenário 3 (Com Marina Silva e Luciano Huck, sem João Doria e Joaquim Barbosa)

Lula (PT): 34%

Jair Bolsonaro (PSC): 16%

Marina Silva (Rede): 8%

Luciano Huck (sem partido): 6%

Geraldo Alckmin (PSDB): 6%

Ciro Gomes (PDT): 6%

Alvaro Dias (Podemos): 3%

Fernando Collor de Mello (PTC): 1%

Manuela D´Ávila (PCdoB): 1%

Henrique Meirelles (PSD): 1%

João Amoêdo (Partido Novo): 1%

Paulo Rabello de Castro (PSC): 1%

Guilherme Boulos (sem partido): 0

Branco/nulo/nenhum: 14%

Não sabe: 2%

Cenário 4 (Sem Geraldo Alckmin (PSDB), com João Doria (PSDB), e sem Henrique Meirelles (PSD), Joaquim Barbosa e Luciano Huck)

Lula (PT): 35%

Jair Bolsonaro (PSC): 17%

Marina Silva (REDE): 10%

Ciro Gomes (PDT): 7%

Alvaro Dias (Podemos): 4%

João Doria (PSDB): 4%

Fernando Collor de Mello (PTC): 2%

Manuela D’Ávila (PCdo B): 1%

João Amoêdo (Partido Novo): 1%

Paulo Rabello de Castro (PSC): 1%

Guilherme Boulos (Sem partido): 0

Em branco/nulo/nenhum: 16%

Não sabe: 2%

Cenário 5 (Sem Lula (PT), Marina Silva (Rede), João Doria (PSDB), Luciano Huck e Henrique Meirelles (PSD)

Jair Bolsonaro (PSC): 19%

Ciro Gomes (PDT): 12%

Geraldo Alckmin (PSDB): 11%

Alvaro Dias (Podemos): 6%

Joaquim Barbosa (Sem partido): 5%

Fernando Collor de Mello (PTC): 3%

Manuela D´Ávila (PCdoB): 3%

Jaques Wagner (PT): 2%

João Amoêdo (Partido Novo): 1%

Paulo Rabello de Castro (PSC) 1%

Guilherme Boulos (Sem partido): 1%

Em branco/nulo/nenhum: 31%

Não sabe: 4%

Cenário 6 (Sem Lula (PT), Marina Silva (Rede), João Doria (PSDB), Joaquim Barbosa e Luciano Huck)

Jair Bolsonaro (PSC): 20%

Ciro Gomes (PDT): 13%

Geraldo Alckmin (PSDB): 11%

Alvaro Dias (Podemos): 6%

Fernando Collor de Mello (PTC): 3%

Manuela D´Àvila (PCdoB): 3%

Henrique Meirelles (PSD): 2%

Jaques Wagner (PT): 2%

Paulo Rabello de Castro (PSC): 1%

João Amoêdo (Partido Novo): 1%

Guilherme Boulos (Sem partido): 1%

Em branco/nulo/nenhum: 32%

Não sabe: 4%

Cenário 7 (Sem Lula (PT), João Doria (PSDB) e Joaquim Barbosa, com Marina Silva (REDE)

Jair Bolsonaro (PSC): 18%

Marina Silva (REDE): 13%

Ciro Gomes (PDT): 10%

Luciano Huck (Sem partido): 8%

Geraldo Alckmin (PSDB): 8%

Alvaro Dias (Podemos): 5%

Fernando Collor de Mello (PTC): 2%

Manuela D´Àvila (PCdoB): 2%

Jaques Wagner (PT): 2%

Henrique Meirelles (PSD): 1%

Paulo Rabello de Castro (PSC): 1%

João Amoêdo (Partido Novo): 1%

Guilherme Boulos (Sem partido): 0%

Em branco/nulo/nenhum: 24%

Não sabe: 4%

Cenário 8 (Sem Geraldo Alckmin (PSDB), Lula (PT), Henrique Meirelles (PSD), Luciano Huck e Joaquim Barbosa)

Jair Bolsonaro (PSC): 20%

Marina Silva (REDE): 16%

Ciro Gomes (PDT): 12%

Alvaro Dias (Podemos): 6%

João Doria (PSDB): 5%

Fernando Collor de Mello (PTC): 3%

Manuela D´Àvila (PCdoB): 2%

Jaques Wagner (PT): 2%

Paulo Rabello de Castro (PSC): 1%

João Amoêdo (Partido Novo): 1%

Guilherme Boulos (Sem partido): 0

Em branco/nulo/nenhum: 28%

Não sabe: 4%

Cenário 9 (Sem João Doria (PSDB), com Michel Temer (MDB) e Rodrigo Maia (DEM)

Lula (PT): 34%

Jair Bolsonaro (PSC): 15%

Marina Silva (REDE): 7%

Geraldo Alckmin (PSDB): 6%

Ciro Gomes (PDT): 6%

Luciano Huck (Sem partido): 5%

Joaquim Barbosa (Sem partido): 3%

Alvaro Dias (Podemos): 3%

Fernando Collor de Mello (PTC): 1%

Michel Temer (MDB): 1%

Henrique Meirelles (PSD): 1%

Rodrigo Maia (DEM): 1%

Manuela D´Àvila (PCdoB): 1%

Paulo Rabello de Castro (PSC): 0

João Amoêdo (Partido Novo): 0

Guilherme Boulos (Sem partido): 0

Em branco/nulo/nenhum: 12%

Não sabe: 3%

O Datafolha fez 2.826 entrevistas entre 29 e 30 de janeiro. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Simulações de 2º turno:

(30 de janeiro)

Lula 49% X Alckmin 30%

Lula 49% X Bolsonaro 32%

Marina 42% x Bolsonaro 32%

Lula 47% X Marina 32%

Alckmin 34% X Ciro 32%

Alckmin 35% X Bolsonaro 33%…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



16 comentários

  1. Jorge

    Exatamente por isso é que precisa de Ficha Limpa., para ao menos o grupo da população que não vota em bandidos possa dormir melhor.

    Parte do eleitorado tem consciência medíocre nesse país. Sendo populista, não importa se é famigerado. Isso é triste, ela vota mesmo assim. Vota sempre nos mesmos. Vota no Maluf, no Collor, vota em qualquer um, seja criminosoou não, ee até em analfabetos. Nesse país o voto é expressivamente desqualificado. Isso é um tiro no pé da democracia. E aí apareceu a Ficha Limpa para que o filtro acontecesse antes das urnas. É como um pai que “filtra” antes o que o filho de cinco anos “democraticamente” pode comer.

  2. Jorge

    Quanto aos nomes da pesquisa, cantei a coisa antes do galo cantar. Escrevi comentários no post que falava da condenação do Chapolin dizendo que as pesquisas ainda colocariam o Chapolin como candidato, mesmo inelegível. Dito e feito.

    É incomprensível, mas era esperado. Nesse país que cria situações bizarras, só não colocam o Marcola na lista porque a situação ficaria coisa de hospício. Uma pesquisa não pode contemplar nomes que não podem concorrer, qualquer criancinha sabe disso. Mas não pensam. Não se tocam? Por que não assumem a realidade evidente? Tem medo do quê? A realidade é que Lula não é candidato, mesmo que o partido e a casta dos tontos esperneiem. Vai ser assim até quando, 2045?

  3. O Brando

    Mais previsível que o editor impossível. RsRsRs. Pesquisa tem 2% de margem de erro. Na rejeição Lula (40%) só perde para Temer (60%) e Collor (44%). Bolsonaro tem 29% de rejeição.
    Esperanças petistas. Judiciário não vai tirar Lula da eleição por causa das pesquisas e porque o “pôvú” irá para as ruas (leis não se aplicam a Lula e nem ao PT). No pleito Lula “está numa base eleitoral elevada”, “confirmado no segundo turno” e, “fazendo o diabo na eleição, ” pode ser que ganhe no primeiro turno”. Eleito, vai comprar o Congresso, acabar com a Rede Globo e tirar dos ricos para dar aos pobres, além de liquidar com a Lava a Jato. Nada disto é “bolivariano”, óbvio.

  4. O Brando

    Link para a pesquisa, ao invés do link para intermediários.

    http://datafolha.folha.uol.com.br/eleicoes/2018/01/1954686-lula-lidera-intencao-de-voto-sem-petista-bolsonaro-assume-lideranca.shtml

  5. Boca Grande

    Jã estou achando que Lula, tem que ser liberado pois se a maioria da população quer ele, de presidente não vejo motivo para ele não concorrer, a voz do povo não é a voz de Deus.

  6. Jorge

    O Chapolin mantendo o mesmo indice de votos depois da condenação, isso não o inocenta. muito menos o perdoa, não diminui a pena, muito menos o capacita para elegibilidade, nem queima no éter as provas dos ilícitos.

    “A voz do povo” é apenas a voz do nível de consciência do povo, não mais que isso. Não tem valor nenhum caso for para defender bandidos, privilégios e para tomar decisões irracionais.

    Nesse caso mostra o deprimente e vexatório nível de consciência de muitos. “Só isso”.

  7. Jorge

    Democracia não pode ser rebaixada ao nível de “pode qualquer coisa”.

    Urna não inocenta ninguém nem avaliza os maus feitos.

    Urna é algo que deve ser protegida antes do voto exatamente para evitar que a baixa consicência tenha poder e complique a vida de todos, inclusive daqueles que a tem. Os mais prejudicados por criminosos no poder são os grupos que eles mais dizem proteger e representar.

  8. Jorge

    Pensar diferente disso é dar a política, políticos e partidos um poder de uma dimensão surreal.

    A casta dos espertos faz de tudo para que pensemos diferente disso para eles se darem bem.

  9. Garibaldi

    O choro é livre! Mas o “fato concreto” é que 27% votam em quem o Cara disser pra votar e 17% dizem que “podem votar”. Aqui pra vocês, ó! Ah, e o tal André Farias aí de cima, se é quem eu penso, deve ter votado no Aécio e ser fã do Collor, pois taaaalvez partilhem os mesmo hábitos.

  10. O Terço Petista vota no Lula o resto é contra. Este terço pode ser suficiente para o Molusco voltar. Basta haver baixaria entre adversários e o Intocável volta ao poder.
    Ficha limpa pode ser uma ficha suja depois de lavar, escovar e alvejar, o erro pode ser perdoado, revogado ou limado (liminar).
    Teremos o Molusco e merecemos o que acontece.
    Num país onde depois de anos de poder temos um MST apoiando quem não fez reforma agrária, tudo pode, tudo vai acontecer.
    Coxinhas X Enroladinhos
    Patinhos X Camarãozinhos
    Nunca irão se juntar, um agredindo o outro, um desqualificando o outro e “cobrando” ações que não tomam.
    Quando juntaram Dilma e Temer num palanque se dividiu ainda mais o país.
    O Intocável seguirá vivendo no luxo e o povo no lixo. Merecemos cada episódio, somo a platéia destes Cenários e Atores.
    Somos a claque que bate palmas para seu protagonista e vaia ou bandido (ou o mocinho).
    Já uma mocinha é engraçadinha mas não sabe bem o roteiro e a outra sem carisma ( me nego a falar dos atributos físicos do elenco).

  11. Jorge

    A sociedade é muito mais do que coxinhas x enroladinhos. Muito mais do brutamontes de direita x ladrõezinhos de barba ou ladrõezinhos de direita x brutamontes de barba.

    Mesmo boa parte desqualificada para votar bem, não estamos (falando como sociedade) num nível tão desqualificado e exatamente dividido como estão as castas do poder. Essa representação foi votada, claro, mas não representa exatamente o que acontece na sociedade. As castas fazem força hercúlea para que pensemos assim ou que nos comportamos como tais, porque isso diminui a qualidade do debate e empodera-as.

  12. Jorge

    Sabe aquela condição psicológica estranha que acontece numa recepção de calouros? A sociedade como um todo é a maioria, que é como o “bixo”, e mesmo assim somos controlados, sujados, assediados moralmente e até fisicamente por umas meras três que se apresentam como “autoridade” sobre o grupo, os “veteranos”. Os bixos entram naturalmente (isso é inexplicável) numa condição psicológica de que devem fazer tudo o que os veteranos querem, mesmo que os bixos sejam maioria, mesmo que sejam humilhados e maltratados. Essa maioria só tem uma “carta na manga” para evitar excessos: a justiça. Se um veterano passar da conta, o bixo, se tiver coragem, se achar que não vai sofrer assédio do próprio grupo, inclusive, pode dizer ao veterano que o machuca que pode processá-lo.

  13. Jorge

    Uma minoria ridúcula nos prende com cordas, grita palavras de ordem, apontam-se como salvadores, nos expoliam, nos convencem que toda a sociedade é dividida. Essa minoria rídicula que é formada por grupos chamados de partidos assumem uma autoridade pelos nossos destinos, chamam isso de “democracia”, mas no poder fazem as leis para eles mesmos, criam privilégios sem fim, colocam a política acima da lei, e até indicam até ministros no STF para garantir que as leis serão lidas de forma conveniente quando convém.

    E a sociedade, ou a grande maioria dela, assim como os bixos que não entram na onda dos maltratos dos veteranos, porque tem autoestima e sabem se posicionar no que é racionalmente permitido fazer ou deixar-se fazer, só tem uma “carta na manga” para combater privilégios, colocar os criminosos na cadeia, tirar os criminosos da gestão, é a justiça.

  14. Jorge

    As castas fazem de tudo para se manterem blindadas no poder. Fazem questão de manterem a peãozada (as castas dos tolos) nos dizendo a todo momento que a sociedade está dividida entre eles, e que por isso as castas dos espertos podem ter legitimidade para ficarem no poder ou de quererem voltar ao poder, mesmo que tenham cometido crimes crassos.

    Cabe a sociedade que é “bixo”, a maioria, que não pertence a nenhuma casta, que está sendo maltratada há tempos, que está forçosamente nivelada por baixo, atolada na lama pelas castas que nos colocaram nela, porque eles querem assim para eles continuarem a se dar bem, cabe a nós, pobres “bixos”, torcer e defender a aplicação da lei para evitar que continuemos sendo maltratados e espoliados. A Ficha Limpa é a única tábua de salvação nesse momento.

  15. Jorge

    Num segundo momento, o que nos salvará da gentalha das castas dos espertos é o fim do foro privilegiado. Mas para isso precisaremos que a gentalha, ela mesma, vote para isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *