Santa Maria

SECA. Prefeitura de Santa Maria distribui água em localidades de quatro distritos do Município

Por conta da estiagem, a Defesa Civil está visitando o Interior nas quartas, quintas e sextas-feiras. Foto João Vilnei / Prefeitura

Por Mariana Fontana / Prefeitura de Santa Maria

A falta de chuva, especialmente no verão, é uma situação que preocupa toda a população, especialmente a quem precisa do produto para o sustento, como é o caso dos produtores rurais. Em Santa Maria, os poucos dias de chuva têm deixado as famílias do Interior em alerta, o que as têm feito racionar o uso para evitar a falta do produto. Como forma de amenizar o transtorno, desde o início de dezembro, a Prefeitura de Santa Maria deu início à distribuição de água nas localidades mais afetadas pelo problema.

A ação de distribuição é realizada pela Defesa Civil Municipal e, até o momento, abrange quatro distritos: Santa Flora, São Valentim, Palma e Passo do Verde, que são os que sofrem com a falta de água. Conforme a Defesa Civil, o atendimento às famílias é realizado nas quartas, quintas e sextas-feiras, de manhã e à tarde. De dezembro até a primeira quinzena de janeiro, mais de 100 mil litros de água já foram distribuídos, beneficiando 37 famílias cadastradas.

A distribuição é feita diretamente nas casas das famílias. Na manhã desta terça-feira (18), foi a vez da comunidade da Colônia Pinheiro e da Colônia Pena, no Distrito de Santa Flora, ser contemplada com a entrega. O caminhão usado na distribuição é equipado com quatro galões de mil litros de água cada e, em cada residência, são abastecidas as caixas d’água, tonéis e vasilhames disponibilizados pela comunidade. As famílias que têm recebido o produto são cadastradas junto à Defesa Civil e, sempre que há entrega, aguardam ansiosamente a chegada da equipe. Nas localidades, a falta de água é ocasionada pela escassez de chuva, o que faz com que as vertentes, que levam o produto até as casas, também sequem. No inverno, como há regularidade na precipitação, o problema não acontece.

“O atendimento dessas famílias foi uma determinação do prefeito Jorge Pozzobom, que sabe das dificuldades enfrentadas por elas. A água é um bem precioso, necessário, e ninguém pode ficar sem. Então, temos que garantir o abastecimento, garantindo também condições adequadas para essas famílias”, ressaltou o prefeito em exercício Sérgio Cechin.

ALÍVIO QUE CHEGA NO CAMINHÃO
A família do produtor rural Jorge Tonetto, 59 anos, foi uma das que recebeu, na manhã desta quinta-feira, a equipe da Defesa Civil, que reabasteceu a caixa d’água do local. Conforme Tonetto, a falta de água é companheira da família em todos os verões, o que afeta o dia a dia dos moradores da casa, a produção das lavouras e a hidratação dos animais. A água fornecida pela Prefeitura é usada no consumo da casa, para beber e no preparo dos alimentos. Para os bichos, o jeito é retirar água do açude, que já está quase seco, e, para as lavouras, é torcer para que chova.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo