EDUCAÇÃO. Coordenadoria Estadual percorre escolas para ver se aulas perdidas pela greve são recuperadas

EDUCAÇÃO. Coordenadoria Estadual percorre escolas para ver se aulas perdidas pela greve são recuperadas

EDUCAÇÃO. Coordenadoria Estadual percorre escolas para ver se aulas perdidas pela greve são recuperadas - medianeira-greve

Assembleia geral que tomou decisões do magistério estadual em Santa Maria, no ano passado (foto Maiquel Rosauro/Arquivo do site)

Por FABRÍCIO MINUSSI, no site da Rádio Medianeira

A 8ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) está percorrendo escolas da rede estadual de ensino em Santa Maria para verificar reclamações de pais de alunos, quanto ao cumprimento da carga horária de professores, dentro do processo de recuperação das aulas perdidas em decorrência dos mais de 90 dias de greve da categoria, no segundo semestre de 2017.

Segundo o coordenador Regional de Educação, José Luiz Eggres, equipes estão verificando, in loco, a situação e uma avaliação será feita, caso a caso, sendo que não está descartada a abertura de sindicância para apurar as reclamações. Eggres falou sobre a expectativa quanto ao calendário letivo de 2018 e sobre o seminário de abertura do ano escolar, ocorrido ontem (20), no Seminário São José.

Ouça a entrevista com o coordenador Regional de Educação

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



3 comentários

  1. O Brando

    Não precisa se preocupar, tem cota na universidade depois. Todo mundo vai ganhar um papel que demonstra que sabem alguma coisa.

  2. GORDO INCRÉDULO

    Ano que vem tem greve de novo. É uma instituição !!! Tem que se preocupar em realmente darem aulas e parar de politicagem. CPERGS é um câncer que não evolui quando o PT governa !!!

  3. Jorge

    Opa, que milagre, alguns pais se mexeram. Pena que não se mexeram antes, agora é tarde. Quando a greve foi decidida meses atrás e qualquer criacinha de cinco anos sabia que era uma greve absolutamente sem sentido, que iria prejudicar mais uma vez os alunos e não ia dar em nada, era ali que os pais tinham de se fazer presentes e exigirem aulas. Mas antes tarde do que nunca. Parece que tem pais finalmente abrindo os olhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *