Destaque

FUTEBOL. Colorado segura a pressão do tricolor, que reclama de pênaltis sonegados, e Grenal fica no 0 a 0

Tricolor teve mais chances e reclama de pênaltis não marcados na Arena. No final, um 0 a 0 que agradou muito aos colorados

Do site do CORREIO DO POVO, com texto de Bernardo Bercht e foto de Lucas Uebel (Divulgação)

O Grêmio mandou na bola, teve chances e reclamou de pênaltis sonegados, mas foi o Inter que saiu contente com um 0 a 0 batalhado, neste sábado na Arena, em confronto válido pela 5ª rodada do Brasileirão. O Tricolor manteve seu estilo de passes envolventes, enquanto o Colorado fustigou nos contra-ataques ocasionalmente. No fim, um ponto para cada lado, com mais satisfação da metade vermelha do Rio Grande do Sul.

Com o resultado, o Grêmio chega a oito pontos na vice-liderança, mas deve cair na tabela com o seguimento da rodada. O Inter, por sua vez, ocupa o 13º lugar, com cinco pontos, colocação igualmente ameaçada pelo restante da rodada. Agora, os gremistas pensam em Libertadores contra o Monagás, dia 15; enquanto o Inter volta a campo no dia 21 contra a Chapecoense, pelo Brasileirão.

Grêmio retém a bola desde o início

O Inter iniciou a partida adiantando linhas e obrigando o Tricolor a sair com bolas longas, mas a iniciativa durou pouco e, logo, o Grêmio já comandava a posse de bola. Ainda assim, produziu pouco ofensivamente e as chances foram limitadas dos dois lados. Aos três minutos, Leandro Damião tentou um chute consagrador em clássicos, porém encobriu a meta de Marcelo Grohe. Com um pouco mais de mira, o objetivo seria o ângulo direito. O Grêmio respondeu e, aos 13, não moveu o placar por um passo a mais de Madson. O lateral foi lançado por Luan nas costas da zaga, se esticou, mas não conseguiu empurrar para a meta.

Perigoso nos contragolpes, o Inter quase levantou sua torcida aos 15 minutos. Damião foi lançado por Rodrigo Moledo e chutou cruzado da quina direita da área. Marcelo Grohe fez defesa segura. Já passando da metade da etapa, o garoto Éverton deu o ar da graça, mas sem sentir o sabor do gol. Aos 25, Éverton recebeu na área pela esquerda, driblou Moledo e tentou o chute no ângulo, mas a bola subiu demais. Depois, experimentou da meia-lua e arriscou o chute forte, mas mandou longe do poste esquerdo.

A melhor chance da etapa, porém, foi aos 37 minutos. Luan leavantou escanteio no meio da área e Geromel subiu soberano de cabeça. A bola caprichosamente roçou o travessão no canto direito. Ficou tudo igual antes do intervalo.

Inter segura o empate

Se o Grêmio terminou fustigando, iniciou perdendo o gol mais feito da partida, no primeiro minuto da etapa final. Luan foi lançado na esquerda e cruzou na pequena área. Danilo Fernandes ficou batido no contrapé, mas André bateu embaixo da bola e isolou por cima uma oportunidade claríssima.

Os gremistas voltaram a ter chance aos sete minutos, depois que Kannemann foi derrubado em grande arrancada para contra-ataque. Luan cobrou colocado, com muito efeito, mas desviou também do poste direito. Na resposta colorada, Rossi perdeu a que seria sua última chance do jogo. Iago puxou contra-ataque na esquerda e centralizou para Rossi. De costas, ele conseguiu girar na meia-lua e fazer o chute cruzado. Grohe não alcançou, mas a bola saiu ao lado da meta. Em seguida, o atacante foi substituído por Juan Alano.

O jogo esfriou por vários minutos, em termos ofensivos, enquanto aquecia em encontrões e reclamações com o árbitro. Aos 30, Alisson escapou no corredor direito e tentou surpreendeu Danilo Fernandes. Bateu com efeito de muito longe, encobriu o goleiro, mas também tocou para fora.

A partida ganhou polêmica aos 31 minutos. Madson tentou cruzar na área e a bola bateu no braço de Victor Cuesta. O árbitro aguardou o auxiliar e, como não houve manifestação, os donos da casa alegaram que tiveram um pênalti sonegado. Na sequência, André saiu para a entrada de Thonny Anderson.

Madson desperdiçou mais uma enorme oportunidade aos 35. Madson desviou de cabeça para boa defesa de Danilo. Sobrou para Geromel sem goleiro, mas o zagueiro furou e permitiu à zaga despachar. No lance seguinte, o Tricolor tocou de pé em pé até chegar em Luan. O atacante tentou o chuto no ângulo esquerdo, mas passou acordando as corujas em tiro de meta.

A essas alturas, o Colorado fazia o possível para segurar o 0 a 0, enquanto Renato lançou Lima e Cícero nos lugares de Éverton e Arthur, em busca de alternativas para vencer. Já nos acréscimos, Luan foi lançado por Cícero na cara do gol, não conseguiu o chute e desabou pedindo pênalti. Este não foi, ficou na reclamação.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo