ELEIÇÕES 2018. Confira o que a prestação de contas mostra sobre os quase 30 candidatos de Santa Maria

ELEIÇÕES 2018. Confira o que a prestação de contas mostra sobre os quase 30 candidatos de Santa Maria

Por MAIQUEL ROSAURO (texto e tabelas), da Equipe do Site

Dia 6 de novembro foi o prazo final para os candidatos e partidos entregarem, à Justiça Eleitoral, a prestação de contas referente ao primeiro turno das eleições de outubro. Dos 27 postulantes de Santa Maria, apenas dois não apresentaram suas contas. Os outros 25 arrecadaram R$ 2.245.014,09 e gastaram R$ 1.939.900,28. Ou seja, R$ 305.113,81 recebidos como doações não foram utilizados.

Eloy Garay, candidato à Assembleia Legislativa, e Tatiane Marques, que concorreu à Câmara dos Deputados, ambos do PSL, não declararam os gastos de campanha, o que os torna inadimplentes frente à Justiça Eleitoral.

ELEIÇÕES 2018. Confira o que a prestação de contas mostra sobre os quase 30 candidatos de Santa Maria - maiquel-assembleia

Observação: coluna “Custo por voto” leva em consideração o valor da despesa contratada e os votos dos candidatos. Fonte dos dados: TSE

Assembleia Legislativa

Os 16 candidatos de Santa Maria, à Assembleia, que lançaram suas contas, arrecadaram R$ 758.310,29. Levando em conta apenas a despesa contratada – R$ 534.305,17 – o gasto médio por voto foi de R$ 7,24.

Quem mais gastou na relação voto/despesas, entre os postulantes a deputado estadual, foi João Kaus (MDB), ao custo de R$ 29,59. O emedebista registrou R$ 59,5 mil em despesas e conquistou 2.011 votos.

Por outro lado, cada um dos 20.925 votos conquistados por Fabiano Pereira (PSB) custou apenas R$ 0,12. O candidato declarou como despesa contratada R$ 2.456,00. Porém, Fabiano possui a maior arrecadação entre todos os candidatos santa-marienses à Assembleia, com R$ 133.852,00 declarados oficialmente à Justiça Eleitoral.

Destaque também para Alice Carvalho (PSOL), cujo custo por voto foi de R$ 0,72. A candidata fez 6.701 votos para uma despesa de R$ 4.817,60.

Entre os eleitos, cada um dos 57.478 votos de Valdeci Oliveira (PT) custou R$ 1,61. Já o custo por voto de Giuseppe Riesgo (NOVO) foi de R$ 5,05 (confira detalhes no fim da matéria).

ELEIÇÕES 2018. Confira o que a prestação de contas mostra sobre os quase 30 candidatos de Santa Maria - maiquel-Câmara-dos-Deputados

Observação: coluna “Custo por voto” leva em consideração o valor da despesa contratada e os votos dos candidatos. Fonte dos dados: TSE

Câmara dos Deputados

Os nove candidatos de Santa Maria, à Câmara dos Deputados, que apresentaram a declaração de contas, arrecadaram um total R$ 1.486.703,80. Deste valor, R$ 1.405.595,11 foram utilizados na campanha e R$ 81.108,69 sobraram. Em média, o custo por voto foi de R$ 3,30.

O candidato que mais arrecadou foi o único que se elegeu. Paulo Pimenta (PT) teve uma receita de R$ 1.008.481,79 e despesa de R$ 995.770,77. O petista conquistou 133.078 votos, representando um custo de R$ 7,48 por voto.

Werner Rempel (PPL) foi quem apresentou o menor valor em relação ao custo por voto, com R$ 1,40. O presidente estadual do PPL teve um pouco mais de R$ 21 mil em despesas e fez R$ 15.014 votos.

Na outra ponta está Francisco Harrisson (MDB), com um custo de R$ 29 por voto. O vereador conseguiu 8.894 votos e declarou R$ 257.950,00 em despesas.

A consulta pública das documentações entregues à Justiça Eleitoral está disponível no site de Divulgação de Candidaturas e Contas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Clique AQUI para acessar.

Sobras de campanha

Conforme a Resolução 23.553/2017, “as sobras de campanhas eleitorais devem ser transferidas ao órgão partidário, na circunscrição do pleito, conforme a origem dos recursos, até a data prevista para a apresentação das contas à Justiça Eleitoral”. Junto à prestação de contas, os candidatos também devem encaminhar o comprovante de transferência dos valores. Para saber mais, clique AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *