POLÍTICA. Bolsonaro centraliza anúncios no Twitter e desautoriza informações da equipe dadas para a mídia

POLÍTICA. Bolsonaro centraliza anúncios no Twitter e desautoriza informações da equipe dadas para a mídia

POLÍTICA. Bolsonaro centraliza anúncios no Twitter e desautoriza informações da equipe dadas para a mídia - poder360-bolsonaro

Presidente eleito, Jair Bolsonaro usou as redes sociais para fazer comunicados – inclusive desautorizando informações de assessores

Do portal PODER360, com foto de Reprodução-Facebook e informações da Agência Brasil

O presidente eleito pelo PSL, Jair Bolsonaro, disse nesta 6ª feira (2.nov.2018), no Twitter, que desautoriza informações atribuídas a sua equipe que são publicadas na imprensa sobre “assuntos variados”.

Ele menciona CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) e Previdência, por exemplo, em referência a reportagem do jornal O Globo que diz que a equipe de Bolsonaro estuda recriar o imposto para financiar o sistema de aposentadoria.  A informação é atribuída no texto à “equipe econômica do presidente eleito”.

Eis a postagem de Bolsonaro:

“Desautorizo informações prestadas junto a mídia por qualquer grupo intitulado “equipe de Bolsonaro” especulando sobre os mais variados assuntos, tais como CPMF, previdência, etc.”

A nova publicação reforça a política de centralizar os anúncios oficiais do presidente eleito em suas próprias redes sociais. Um episódio semelhante já havia ocorrido na 4ª feira (31.out), quando Bolsonaro informou no Twitter que todos os nomes de ministros de seu governo seriam confirmados por ele mesmo na rede social.

“Nossos ministérios não serão compostos por condenados por corrupção, como foram nos últimos governos. Anunciarei os nomes oficialmente em minhas redes. Qualquer informação além é mera especulação maldosa e sem credibilidade.”

A estratégia se assemelha à utilizada pelo presidente norte-americano Donald Trump, que abriu mão de canais de comunicação oficiais e entrevistas à imprensa para fazer anúncios relativos à Presidência diretamente por meio de sua conta pessoal no Twitter.

Em seu perfil, o presidente dos EUA mistura assuntos institucionais com campanha para seu partido e críticas a jornalistas e personalidades críticas a seu governo.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *