POLÍTICA. Dois novos ministros seguem o Capitão e abrem conta no Twitter. 'Post' inicial é para agradecer

POLÍTICA. Dois novos ministros seguem o Capitão e abrem conta no Twitter. ‘Post’ inicial é para agradecer

POLÍTICA. Dois novos ministros seguem o Capitão e abrem conta no Twitter. 'Post' inicial é para agradecer - poder360-bolsonaro-twitterDo portal especializado PODER360, em reportagem (texto e imagem) de DOUGLAS RODRIGUES

Ministros recém-indicados pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) estão aderindo ao Twitter como canal de comunicação. Desde que o militar da reserva começou a montar sua equipe de transição, 2 indicados criaram uma conta na rede social. Em 1 casos, o 1º tweet foi para agradecer a confirmação do nome pelo presidente eleito.

Parte superior do formulário

O futuro ministro das Relações Exteriores de Bolsonaro, o embaixador Ernesto Araújo também aderiu a rede social logo após sua nomeação.

O nome de Araújo foi confirmado em 14 de novembro de 2018. Então, ele publicou seu 1º tweet. “Sinto-me extremamente honrado e entusiasmado com a responsabilidade que o Presidente Jair Bolsonaro me confia”.

O futuro chefe do Gabinete de Segurança Institucional, o general da reserva Augusto Heleno, criou uma conta no Twitter em 2 de novembro de 2018. Já na campanha seu nome era certo na Esplanada de Bolsonaro.

Heleno era cotado primeiramente para assumir a Defesa, mas por escolha do presidente eleito irá comandar o outro órgão. O GSI é o ministério responsável pela coordenação da área de inteligência do governo, ao qual está subordinada a Abin (Agência Brasileira de Inteligência).

Dos nomes confirmados para Esplanada de Bolsonaro, apenas Paulo Guedes (Economia), Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública), Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Wagner Rosário (CGU) não criaram uma conta na rede.

Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) e Tereza Cristina (Agricultura) já usavam a rede social.

BOLSONARO E O TWITTER

O presidente eleito está centralizado no Twitter o anúncio de suas principais medidas de governo, além dos nomes dos novos ministros.

A estratégia é semelhante à adotada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O republicano utiliza a rede social para anunciar nomeações, demissões e ações do governo norte-americano.

Trump já chegou a discutir com líderes mundiais via Twitter. Em 2016, por exemplo, ele debateu na rede social com o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, sobre a construção de 1 muro na fronteira entre os 2 países.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, E CONFERIR MAIS ILUSTRAÇÕES, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *