RELAÇÕES EXTERIORES. Futuro ministro criará um “departamento do agronegócio” para abrir mercados

RELAÇÕES EXTERIORES. Futuro ministro criará um “departamento do agronegócio” para abrir mercados

RELAÇÕES EXTERIORES. Futuro ministro criará um “departamento do agronegócio” para abrir mercados - congresso-em-foco-ernesto

Futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, diz que “algumas negociações comerciais em curso são ruins para a agricultura”

Do site especializado Congresso em Foco, por RAFAEL NEVES (com foto de Rafael Carvalho/Divulgação)

O futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, anunciou na noite da última quinta-feira (20) que o novo Itamaraty terá um Departamento do Agronegócio, que trabalhará em parceria com o Ministério da Agricultura para abrir mercados aos produtos brasileiros. “Nos governos petistas, o Itamaraty foi a casa do MST. Agora estará à disposição do produtor”, escreveu ontem (quinta, 20) o futuro chanceler no Twitter.

Araújo fez uma alusão indireta a críticas como a de que o Brasil, ao anunciar que mudará a sede da embaixada em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, arriscará seu comércio com países árabes. Na última quarta (18), a Liga Árabe prometeu retaliações se a embaixada realmente for mudada. O futuro chefe do Itamaraty defende que o país tenha “voz e opinião própria” para se fazer respeitar no mercado internacional.

“O Brasil não deixará de exportar frango e soja, carne e açúcar, mas passará a exportar também esperança e liberdade. O fato de ser uma potência agrícola não nos proíbe de ter ideais e de lutar por eles”, escreveu o indicado para o ministério pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

Segundo Araújo, as embaixadas no Brasil pelo mundo serão orientadas a “promoverem os produtos agrícolas brasileiros ativa e sistematicamente”, assim como a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex).

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



1 comentário

  1. O Brando

    Barbudinhos do Itamaraty. Marco Aurélio Garcia. Esquerda. Nacionalismo megalomaníaco sem noção. Ministério das Relações Exteriores e o Instituto Rio Branco saíram dos trilhos faz tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *