CIDADE. Com calor intenso, devem ser reforçados os cuidados para evitar a proliferação do “Aedes aegypti”

CIDADE. Com calor intenso, devem ser reforçados os cuidados para evitar a proliferação do “Aedes aegypti”

CIDADE. Com calor intenso, devem ser reforçados os cuidados para evitar a proliferação do “Aedes aegypti” - prefeitura-dengue

Equipes da Prefeitura seguem trabalhando no atendimento a denúncias e em pontos estratégicos e residências de Santa Maria

Por MARIANA FONTANA (texto) e JOÃO VILNEI (foto), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

O intenso período de chuvas registrado em Santa Maria, aliado às altas temperaturas na cidade, contribuem para o aumento de um grande vilão: o mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Febre Chikungunya, Zika Vírus e Febre Amarela Urbana. É que com a união dos dois fatores, os ovos depositados pelas fêmeas do mosquito eclodem, aumentando a proliferação. Assim, os cuidados diários precisam ser reforçados.

Para amenizar o problema, a Prefeitura de Santa Maria tem intensificado, no período, as ações de prevenção. Equipes da Superintendência em Saúde realizam vistorias em residências e em pontos estratégicos (como sucatas e borracharias, por exemplo), além de notificar moradores que não cumprem corretamente as medidas básicas de prevenção.

Conforme o coordenador de campo da Vigilância Ambiental, Denoide Mezeck, as visitas às casas e aos potenciais locais de proliferação do mosquito são realizadas conforme escala. Nas residências, as visitas são diárias (e os retornos são feitos com maior frequência nos lugares em que são encontrados focos do transmissor). Já nos Pontos Estratégicos, a inspeção ocorre há cada quinze dias. Ainda, as equipes trabalham, também, no atendimento a denúncias, que podem ser feitas, em Santa Maria, por meio do número 156 ou neste LINK, ambos canais da Ouvidoria Geral.

Durante os trabalhos de fiscalização, é realizado o Levantamento de Índice e Tratamento, se necessário. Havendo larvas, as equipes realizam a coleta e o tratamento com larvicida, além do descarte de materiais que podem acumular água. Ainda, são feitas ações de educação e conscientização e, nas situações mais críticas, são feitas notificações e aplicações de multa.

POPULAÇÃO PRECISA COLABORAR

Para garantir uma baixa proliferação do mosquito transmissor e uma proteção mais efetiva, não basta apenas o trabalho dos órgãos públicos. A comunidade precisa colaborar, aplicando, em casa, cuidados básicos diariamente. Conforme Mezeck, algumas ações são fáceis de serem colocadas em prática. A principal é evitar o acúmulo de água em objetos. Além disso, é importante não os deixar em áreas externas das residências. Usar repelente e ter atenção à qualidade da água nas piscinas (especialmente as de plástico) também é fundamental (veja, abaixo, outras dicas de prevenção).

“Nossas equipes têm se dividido para atender a todas as denúncias e seguir nosso cronograma diário de trabalho. Mas, hoje, a ajuda da população é fundamental. Precisamos que a comunidade se conscientize e aplique, em suas casas, as ações básicas. Com o trabalho conjunto, podemos amenizar a proliferação”, explica Mezeck.

DICAS PARA COMBATER OS FOCOS DO MOSQUITO

– Manter a caixa d’água sempre fechada

– Encher de areia, até a borda, os potes e vasos de plantas

– Não deixar a água da chuva acumular em recipientes

– Manter tampados toneis e barris de água

– Guardar garrafas de cabeça para baixo

– Recolher seus resíduos

– Usar repelente

– Utilizar inseticida em locais escuros (perto do chão, nas proximidades de piscina)

– Cuidar piscinas, especialmente as de plástico

PARA LER NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *