CIDADE. Ações das autoridades apreendem em SM mais de sete toneladas de produtos de origem animal

CIDADE. Ações das autoridades apreendem em SM mais de sete toneladas de produtos de origem animal

Por MANUELA VASCONCELLOS (com fotos de Divulgação/Vigilância em Saúde/AIPM), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal

CIDADE. Ações das autoridades apreendem em SM mais de sete toneladas de produtos de origem animal - prefeitura-apreensões-vigilância-sanitária

Além de prevenir doenças, resultado das iniciativas de fiscalização também contribuem para a sustentabilidade do Mantenedouro São Braz

Visando iniciativas importantes para a preservação da saúde pública de Santa Maria, a Prefeitura apreendeu cerca de 7 toneladas de produtos de origem irregular entre janeiro de 2018 e fevereiro de 2019. Os dados são do relatório de atividades integradas entre Vigilância em Saúde e Secretaria de Desenvolvimento Rural. Os produtos são destinados ao Mantenedouro São Braz a fim de garantir a sustentabilidade do abrigo de animais.

“O trabalho desta equipe é de grande importância para a preservação da saúde do consumidor. São eles que vão zelar desde como o animal é criado, os cuidados sanitários de armazenamento e a procedência, entre outros. Não tem como se comprovar a origem do material apreendido, não temos como saber se está apto para consumo humano e, por isso, reafirmamos o trabalho social e de preservação à saúde do Município”, esclarece o secretário da Saúde, Francisco Harrisson.

As ações tiveram início com o objetivo de fiscalizar produtos de origem animal clandestinos e abigeato, conforme recomendação do Ministério Público. Após o surto de toxoplasmose, as fiscalizações foram ampliadas como forma de prevenção ao surgimento de novos agravos.

“Ampliamos nossas equipes, fortalecemos parcerias e conseguimos resultados significativos. Estas ações previnem uma série de doenças que podem acontecer por causa da não regulamentação, como doenças de transmissão alimentar, tuberculose e cisticercose”, explica Alexandre Streb, superintendente de Vigilância em Saúde.

As atividades são inspeções de estabelecimentos que comercializam produtos de origem animal, como fruteiras, açougues, feiras e mercados, barreiras sanitárias, ações de orientação, atendimento de denúncias, entre outros. Além de ser verificado o comércio dos produtos de origem animal, nas inspeções são feitas buscas referentes à situação do estabelecimento junto aos setores de alvarás do município. Em 2018, foram realizados 158 autos de infração em estabelecimentos sem alvará.

Conforme Streb, além da proteção à saúde humana, as fiscalizações visam ao bom trato com os animais. Por isso, após inspeção da Vigilância em Saúde, os produtos apreendidos são destinados ao Mantenedouro São Braz, garantindo o fortalecimento da parceria entre a prefeitura e um dos maiores criadouros conservacionistas do Rio Grande do Sul. O São Braz é um dos espaços que abrigam animais vítimas de maus-tratos e de tráfico.

Algumas ações tiveram auxílio de outros órgãos fiscalizadores, como Secretaria Estadual da Agricultura, Polícia Civil, Patrulha Rural da Brigada Militar e Polícia Rodoviária Federal.

Confira dados das fiscalizações entre janeiro de 2018 e fevereiro de 2019:

– Inspeções realizadas pela Coordenadoria de Fiscalização de Alimentos e Produtos Agropecuários: 1.575

– Autos de infração: 242

– Produtos apreendidos por irregularidade: 7.816 kg

– Educação/orientação sanitária a feirantes: 27

– Autos de infração em estabelecimentos sem alvará: 158

– Estabelecimentos interditados cautelarmente: 9

PARA LER NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



1 comentário

  1. O Brando

    Dizem por aí que o abigeato anda financiando o tráfico de drogas. Ao contrário do que muita gente pensa, no interior não falta quem goste dum cigarrinho ‘incrementado’ e outras cositas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *