BARRACO DA ALEMOA. A vinda do Jair, o “barrado no baile”, o efeito colateral e a reivindicação não atendida

BARRACO DA ALEMOA. A vinda do Jair, o “barrado no baile”, o efeito colateral e a reivindicação não atendida

BARRACO DA ALEMOA. A vinda do Jair, o “barrado no baile”, o efeito colateral e a reivindicação não atendida - barraco-da-alemoa-3Barrado na festa…

No início dos anos 1980, o cantor Eduardo Dusek, que emplacou diversos sucessos à época, cantava “Barrados no baile, oh! oh! E meu amor nem me fale. Mas isso é que dá, cê querer frequentar…”

Na versão atual, o vereador João Kaus (MDB) se disse “chateado”, pois foi “barrado na festa”… da Artilharia, em que estavam presentes, nada mais, nada menos, que o presidente Jair Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão.

A visita e as más línguas

Sempre tem aqueles invejosos que só veem o lado ruim das coisas. No caso da visita de Bolsonaro e Mourão a Santa Maria, houve quem dissesse que o principal benefício da visita é que as ruas nas quais passou a comitiva presidencial tiveram seus buracos tapados, o que representou um efeito colateral positivo.

BARRACO DA ALEMOA. A vinda do Jair, o “barrado no baile”, o efeito colateral e a reivindicação não atendida - barraco-burmann-e-mourãoQuem não arrisca…

Ainda sobre a vinda da cúpula presidencial a Santa Maria. Após o cancelamento por parte do vice-presidente, Hamilton Mourão, quase na véspera, de participação na inauguração de obras da universidade, o dirigente da instituição ainda fez uma nova tentativa. No sábado, 15 de junho, quando Mourão estava hospedado na cidade, o dirigente da UFSM fez a ele uma visita, na tentativa de conseguir apoio do governo a projetos da instituição. Contudo, 48h depois, o MEC anunciou novo contingenciamento orçamentário da instituição. Não é fácil essa vida de mostrar-se simpático…



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *