ECONOMIA SOLIDÁRIA. Inicia a comercialização, na 26ª Feicoop. É gente que vem de tudo quanto é canto

ECONOMIA SOLIDÁRIA. Inicia a comercialização, na 26ª Feicoop. É gente que vem de tudo quanto é canto

ECONOMIA SOLIDÁRIA. Inicia a comercialização, na 26ª Feicoop. É gente que vem de tudo quanto é canto - feicoop-a

Entrada da Feicoop, no Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter. Comercialização inicia às 7 e meia da manhã

Por MAIQUEL ROSAURO (texto e fotos), da Assessoria de Imprensa do Evento

A partir das 7h30min desta sexta-feira (12) estará aberto o primeiro dia de comercialização da 26ª Feira Internacional do Cooperativismo (Feicoop). O evento que iniciou nesta quinta-feira, com dois seminários, e segue até domingo (14), em Santa Maria-RS.

Logo no início da manhã desta quinta, a movimentação era grande nos pavilhões do Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter. As primeiras caravanas que chegaram para a montagem de estandes vieram de Minas Gerais e de Santa Catarina.

“É a primeira vez que venho a Santa Maria. Estou trazendo blusas, calças e saias. O diferencial é o preço”, assegura a expositora Severina Ramos Nascimento, de Belo Horizonte.

Também da capital mineira vieram Irene Alves de Oliveira e Uliana Avelar. Elas trouxeram camisetas com diferentes emblemas e imagens de santos customizadas. “É a primeira vez que participamos desta feira. Fazemos parte dos grupos de Economia Solidária de Belo Horizonte”, relata Irene.

De Jaguaruna-SC, veio Adelina Marciliano. Ela participa da Feicoop desde as primeiras edições do evento. “Todos os anos eu venho, desde que começou. Adoro esta Feira, é parte da nossa vida. É um evento com muita união entre os grupos, companheirismo e respeito acima de tudo”, atesta Adelina.

Quem está presente pela sétima vez na Feicoop é a coordenadora do Fórum Municipal de Economia Solidária de Barbacena-MG, Mariza Mendes. “A Feira de Santa Maria é referência para todo o Brasil. De Minas Gerais veio um ônibus com 52 pessoas, representando 38 empreendimentos”, afirma Mariza.

ECONOMIA SOLIDÁRIA. Inicia a comercialização, na 26ª Feicoop. É gente que vem de tudo quanto é canto - feicoop-b

“Adoro esta Feira, é parte da nossa vida”, afirma Adelina Marciliano, de Jaguaruna-SC. Ela é uma dos muitos expositores já a postos

A 26ª Feicoop conta com cerca de mil expositores, de todos os cantos do Brasil e também de Argentina, Uruguai, Peru e Equador. Mas além da feira de produtos, os visitantes encontrarão um dia repleto de debates.

Às 8h30min, no Lonão 6 – Resistência, ocorre o 1º Seminário da Associação Brasileira dos Usuários de Ruas, Estradas e Rodovias (ABUR), coordenada pelo presidente da entidade, Gerri Machado. “Vamos debater a questão das rodovias da região, mobilidade urbana, transporte público e segurança no trânsito. Teremos a presença do Daer, Dnit, Polícia Rodoviária Federal e vereadores da região”, comenta Machado.

Às 9h, no Lonão 4 – Bem Viver, o deputado estadual Edegar Pretto (PT) ministrará o Seminário da Frente Parlamentar Gaúcha em Defesa da Alimentação Saudável. No encontro haverá discussão e encaminhamentos pela realização da Conferência Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável. O evento será coordenado pela Assembleia Legislativa e Consea/RS.

Às 10h, no Palco da Feira, a Câmara de Vereadores de Santa Maria realizará o evento Câmara Debate – As alternativas ao Desemprego no Brasil x Economia Solidária. A discussão será mediada pelo jornalista Mateus Azevedo e terá como debatedores a professora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Gisele Guimarães; o representante da Cresol/SM, Fernando dos Santos; a coordenadora do projeto Esperança/Cooesperança, irmã Lourdes Dill, e a secretária municipal adjunta de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, Ticiana Fontana.

Às 13h30min, o deputado estadual Valdeci Oliveira (PT) comanda uma Audiência Pública da Assembleia Legislativa, no Palco da Feira, sobre os impactos dos cortes orçamentários nas Universidades e Institutos Federais em municípios gaúchos. “A ideia é demonstrar didaticamente que os cortes na educação, além da consequência direta para o próprio setor, também repercutem preocupantemente na geração de empregos e de receitas para as comunidades. Em um cenário de recessão como o atual, isso é muito preocupante”, assinala Valdeci.

Às 14h45min, em frente ao Colégio Irmão José Otão, tem início a Marcha Mundial pela Paz e Justiça Social, que irá percorrer todos os pavilhões da Feicoop. A caminhada terminará no Palco da Feira, às 16h, quando será realizada a Abertura Oficial.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO FINAL DE ATIVIDADES CULTURAIS 

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A FEICOOP

A FEIRA
A Feicoop é uma grande escola de organização, formação de convivência, do voluntariado e dos Movimentos Sociais e Economia Solidária. São 26 anos de construção coletiva e interativa. É um braço do Fórum Social Mundial, que constrói um “Outro Mundo Possível” e uma “Outra Economia que já Acontece!”.

A 26ª EDIÇÃO
A 26ª Feicoop será realizada de 11 a 14 de julho de 2019, no Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, em Santa Maria-RS, com o tema “Construindo a sociedade do bem viver: por uma ética planetária”.

LOCALIZAÇÃO
A maioria dos eventos da Feicoop ocorre em três grandes ambientes interligados, localizados na Rua Heitor Campos, Bairro Medianeira, em Santa Maria-RS: o Parque da Medianeira, onde são instalados os lonões dos seminários, o Palco da Feira e a Praça de Alimentação; o Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, onde se concentra a feira de produtos em pavilhões; e o Colégio Irmão José Otão, cujas salas de aula recebem oficinas, reuniões e encontros.

HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO
Quinta-feira (11): Dia de chegada de caravanas. Não ocorre comercialização de produtos, apenas seminários de formação em Economia Solidária
Sexta-feira (12): 7h30min às 20h
Sábado (13): 7h30min às 20h
Domingo (14): 7h30min às 18h

INGRESSO
A entrada é gratuita em todos os eventos da Feicoop.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO FINAL DE SEMINÁRIOS E OFICINAS 

ALIMENTAÇÃO
O almoço será servido entre 11h30min e 14h e, este ano, terá o valor de R$ 15,00. O tíquete para o almoço deve ser adquirido na banca localizada no fundo do Pavilhão 1, de preferência, até as 10h de cada dia.  Cada almoço dá direito a um pedaço de carne. Se a pessoa desejar um segundo pedaço, deve adquirir um tíquete no valor de R$ 2,00.  A Feicoop também conta com Praça de Alimentação, junto ao Palco da Feira, no Parque da Medianeira, que serve lanches variados.

CAMPANHA JUNTOS PELA FEICOOP
Devido à falta de recursos para realização da 26ª Feicoop, o Projeto Esperança/Cooesperança e Cáritas Rio Grande do Sul desenvolvem a campanha Juntos pela Feicoop. A iniciativa visa obter recursos para garantir a estrutura física e logística da Feira.

Doações podem ser feitas, até o dia 31 de julho, pelo site http://caritasrs.colabore.org/Feicoop ou por depósito na conta corrente 30565-0 (Cooesperança), agência 0126 (Banco do Brasil) – CNPJ 93155067/0001.86.

ECONOMIA SOLIDÁRIA
É um jeito diferente de produzir, de comprar, de trocar, de vender, de consumir produtos, oferecer e receber crédito. O que move esta economia é o desejo de que não existam excluídos, que a riqueza produzida no trabalho seja partilhada e que todos tenham qualidade de vida.

A Economia Solidária é também uma estratégica de desenvolvimento sustentável que considera todas as dimensões (econômica, social, cultural, ambiental, política…).

FORMAÇÃO
Durante a Feicoop ocorrem práticas do comércio justo e consumo ético e solidário, trocas solidárias com moeda social e atividades de formação e interação. Não há consumo de cigarros e bebidas alcoólicas (vinhos e cervejas artesanais vendidos na Feira não devem ser consumidos no local) e a água não é comercializada durante o evento. A Economia Solidária entende que a água é um bem universal e um patrimônio da humanidade (são disponibilizados bebedouros com água filtrada nos pavilhões da Feira).

Refrigerantes também não são vendidos. Os produtos oferecidos na Feira são de procedência ecológica. A organização do evento trabalha com a teoria e a prática, articulando campo, cidade e as diferentes culturas e etnias.

EXPOSIÇÃO
Cerca de 1 mil expositores comercializam na Feira cerca de 10 mil produtos, entre agroindústria familiar, artesanato, alimentação, hortifrutigranjeiros, plantas ornamentais, serviços e produtos de povos indígenas.

PÚBLICO
Ano passado, 302 mil pessoas prestigiaram o evento. A 25ª Feicoop contou com a representação de 3,5 mil empreendimentos organizados em rede, 583 municípios, 26 estados brasileiros e Distrito Federal; fóruns locais e macrorregionais de Economia Solidária no país; Fórum Brasileiro de Economia Solidária; entidades públicas e privadas; Universidades; Fundos Solidários; Redes Nacionais e Internacionais de Economia Solidária.

ORGANIZAÇÃO
A Feicoop é organizada pelo Projeto Esperança/Cooesperança e Banco da Esperança, braços da Arquidiocese de Santa Maria; Cáritas Brasileira e Cáritas Regional Rio Grande do Sul; Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); e Prefeitura Municipal de Santa Maria, com apoio de diversas entidades e instituições.

INFORMAÇÕES
Curta a fanpage da Feicoop: https://www.facebook.com/feicoop.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *