CULTURA. Olha o blues aí, gente. Márcio Grings lista 10 motivos para não perder o show de Luana Pacheco

CULTURA. Olha o blues aí, gente. Márcio Grings lista 10 motivos para não perder o show de Luana Pacheco

CULTURA. Olha o blues aí, gente. Márcio Grings lista 10 motivos para não perder o show de Luana Pacheco - marcio-grings-luanaPor MÁRCIO GRINGS (com foto de Daniel Fontana/Divulgação), do  MEMORABILIA

Depois de Wee Willie Walker (USA)Whitney Shay (USA)Tom Worrell (USA)Luciano Leães & The Big Chiefs e Anthony Big A Sherrod (USA), na próxima sexta-feira (16), o Memorabilia Blues no Plataforma 85 recebe a cantora Luana Pacheco (foto acima). A artista gaúcha lançou no final de 2018 seu álbum de estreia, laureado com o Prêmio Açorianos (Instrumentista).

Não que isso seja necessário, mas segue um recado final aos desavisados de plantão, pois elencamos alguns motivos para você não perder a mais uma apresentação do Memorabilia Blues no Plataforma 85, nesta sexta-feira (16), às 22h, no pub localizado anexo ao Mercado Público.

01 – O blues de volta a Santa Maria – 

O projeto que começou em fevereiro desse ano, não apenas traz artistas ligados ao blues no RS, Brasil, América do Sul e Estados Unidos, o Memorabilia Blues projeta um calendário anual que segue até dezembro, apostando na carência de espaços ligados ao blues na cidade, como também resgatando um público cativo e que vem prestigiando cada evento que se sucede.

02- Primeira vez de Luana Pacheco em Santa Maria –

Luana Pacheco faz apresentação inédita na cidade. A cantora lançou em dezembro do ano passado seu álbum homônimo de estreia, trabalho em que Luana se projeta como compositora de nove dos dez temas apresentados no CD, com exceção da releitura de “Habanera”, tema extraído da ópera “Carmen”, de Georges Bizet. A artista não fixa residência em apenas uma moldura específica, ela se aventura com propriedade por várias escolas da música internacional. Saiba mais sobre o álbum AQUI Ouça-o na íntegra AQUI  

03 – Show para quem gosta de chanson –

Seja revisitando clássicos da chanson francesa, ou protagonizando temas de sua autoria, a exemplo de “Parapluie” e “Maladroite”, Luana representa no palco reminiscências de uma das escolas mais tradicionais da música internacional. Formada em Licenciatura em Música com ênfase em Canto pela UFRGS, venceu em 2010 o III Festival da Canção Francesa da Aliança Francesa de Porto Alegre aos 21 anos. Desde então, ela tem sido uma das principais referências da cultura francesa no sul do país. Prova disso, é que em março de 2017, Luana foi convidada para abrir o show da cantora francesa ZAZ em Porto Alegre.

04 – Show para quem gosta de jazz –

Favorecido pelo formato em que o piano representa a linha de frente das canções, o show de Luana  resgata o clima jazzístico de uma das épocas de ouro do gênero, com a cantora relembrando o espírito de reconhecidas crooners do imaginário do jazz.

05 – Show para quem gosta de blues e soul – 

Claro, o blues e o soul são marcas pessoais que sombreiam suas apresentações, seja reinventando ou reprisando standards da música negra norte-americana, nunca nos furtando de reconhecer nessa atuação uma digital legítima.

PARA LER A ÍNTEGRA, CONFERIR OS OUTROS MOTIVOS E VER MAIS FOTOS, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *