CIDADE. Polícia esclarece assassinato da transexual Veronica Oliveira. Autor se apresenta e já está preso

CIDADE. Polícia esclarece assassinato da transexual Veronica Oliveira. Autor se apresenta e já está preso

CIDADE. Polícia esclarece assassinato da transexual Veronica Oliveira. Autor se apresenta e já está preso - políciaCom informações (texto adaptado e foto), da Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa

Na manhã deste sábado (14/12), policiais civis da Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP) de Santa Maria prenderam um homem de 28 anos, na foto acima. A prisão ocorreu após o interrogatório, nas dependências da DPHPP. Ele teve a prisão temporária judicialmente decretada devido à representação da Polícia Civil em inquérito policial que investiga o assassinato de uma vítima de 40 anos na madrugada de 12/12, próximo da esquina das avenidas Borges de Medeiros e Presidente Vargas. No caso, a transexual Verônica Oliveira, a “mãe loura”, como era conhecida por seus amigos, por seu trabalho de proteção as vítimas de LGTBfobia.

As investigações policiais apontam que o homicídio ocorreu após uma discussão entre a vítima e o agressor em contexto de tratativa de programa sexual. A vítima, líder do grupo, foi chamada pelo indivíduo, o qual desejava a realização de programa sexual com alguma integrante do grupo. Ela e as demais não concordaram com o valor ofertado. Iniciou-se uma discussão com xingamentos mútuos, envolvendo, sobretudo, o investigado e a vítima.

Em um dado momento, o homem foi até o interior do automóvel, sentou no banco do motorista e tentou esconder uma arma branca (faca). Nesta ocasião, ele mudou repentinamente de comportamento, tendo parado de proferir xingamentos. Quando iniciou a saída do local com o veículo, desferiu um golpe de faca no abdome da vítima, que estava parada na rua.

CIDADE. Polícia esclarece assassinato da transexual Veronica Oliveira. Autor se apresenta e já está preso - polícia-bEla foi socorrida, mas faleceu na manhã do mesmo dia no hospital. A defesa do indivíduo contatou a DPHPP somente após o crime ter sido totalmente esclarecido pela Polícia Civil na tarde de ontem. O automóvel (foto ao lado) do investigado foi apreendido na manhã de hoje.

O preso, que possui antecedentes policiais por crime ambiental, confessou a autoria do crime, alegou ter agido em legítima defesa e que jogou fora a faca usada no crime. Ele foi encaminhado à Penitenciária Estadual de Santa Maria. Policiais civis da Delegacia de Polícia de Formigueiro-RS apoiaram as investigações.

A prisão temporária de hoje ocorreu três meses após a Polícia Civil ter prendido preventivamente outros três indivíduos por homicídio de duas transexuais. Em 13/9, dois homens (ambos de 18 anos) foram presos devido à representação da Polícia Civil em inquérito policial que investigou a morte de uma vítima de 37 anos (conhecida como Mana) na noite de 7/9, no bairro Tancredo Neves.

Segundo as investigações policiais, houve inicialmente uma discussão entre os dois indivíduos e a vítima, em razão de esta ter solicitado a devolução de um capacete de motociclista que havia emprestado a um deles.

Após a restituição do objeto, os dois mudaram repentinamente de comportamento.  Convidaram a vítima para caminhar nas imediações de um ginásio de esportes e covardemente assassinaram-na com diversos golpes de faca, armas brancas que portavam ocultamente nas vestes. O referido capacete estava ao lado do corpo da vítima e foi apreendido pela Polícia Civil.

Outro homem (19 anos) foi preso preventivamente em 14/9 pela Polícia Civil por tentativa de estupro e homicídio de uma vítima de 27 anos. Esta (Carolline Dias) foi morta com um disparo de arma de fogo na madrugada de 7/9, crime que ocorreu no mesmo local do homicídio praticado em 12/12. As investigações policiais apontaram que aquele homicídio foi precedido de uma de tratativa de programa sexual seguida de coação à relação sexual (tentativa de estupro). A vítima opôs resistência, desvencilhou-se do agressor, iniciou a fuga a pé e logo após foi atingida por um disparo de arma de fogo nas costas efetuado pelo homem.

Portanto, os três homicídios de transexuais ocorridos em 2019 em Santa Maria foram rapidamente esclarecidos pela Polícia Civil. A motivação dos crimes, segundo entendimento policial, não está relacionada à homofobia e à transfobia. A prisão de hoje contabiliza quatro indivíduos presos pelos citados homicídios. Os outros três permanecem recolhidos no sistema prisional.

OBSERVAÇÕES DO EDITOR: A PHPP não informou qualquer nome, seja dos presos ou das vítimas. A versão online do Diário, no entanto, traz, em sua reportagem  a respeito, traz informações sobre o assassino confesso, como você confere nesse trecho:
“O suspeito de assassinar a transexual Verônica Oliveira com uma facada foi preso temporariamente na manhã deste sábado em Santa Maria. Ele se apresentou na delegacia às 10h e prestou depoimento por cerca de uma hora acompanhado do advogado. Ele saiu do local algemado e foi encaminhado à Penitenciária Estadual de Santa Maria (Pesm). O suspeito foi identificado como Amauri Mendes Vieira, 28 anos” (para ler a íntegra da notícia, clique AQUI.

O Diário traz também video com a palavra do advogado Barreiro Jr,  defensor do preso. Confira abaixo:

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *