ENTREVISTA. “As viagens a Brasília me incomodaram bastante, pois pouco se resolve indo”, diz Cida Brizola

ENTREVISTA. “As viagens a Brasília me incomodaram bastante, pois pouco se resolve indo”, diz Cida Brizola

ENTREVISTA. “As viagens a Brasília me incomodaram bastante, pois pouco se resolve indo”, diz Cida Brizola - maiquel-cida

“Quando a gente pensa em segurança não tem que ter medo”, diz Cida, sobre identificação de pessoas em dias de pautas polêmicas

Por MAIQUEL ROSAURO (com foto de Gabriel Leão/AICV), da Equipe do Site

Cida Brizola (PP) vive seus últimos dias na presidência da Câmara de Vereadores de Santa Maria. A partir de janeiro, ela será substituída por Adelar Vargas – Bolinha (MDB), eleito presidente na quinta (26).

A médica destacou-se por uma gestão firme, demonstrando para a comunidade que o Progressistas possui uma liderança nata em seu quadro. Em entrevista ao site, ela destaca alguma das principais ações de sua gestão, o que faltou ser feito e um fato que a incomodou durante o ano.

Site – Qual é a marca da gestão da senhora à frente da Câmara?

Cida Brizola – Modernização, capacitação e transparência.

Site – A instalação do sistema de votação eletrônica pode ser um bom exemplo neste sentido?

Cida – Sim, pois não tem mais falta na votação. O voto é registrado e a ausência do voto também. A transparência da responsabilidade final do vereador na votação melhorou 100%.

Site – Faltou fazer alguma coisa?

Cida – Eu queria fazer um café para a imprensa, mas não deu. Também queria deixar para a imprensa um crachá específico para entrada aqui na Casa, pois acho importantíssimo naqueles dias de tumulto por temas importantes e a imprensa tem que estar identificada para permitir a circulação dentro do Plenário.

Site – A senhora não considera que foi temerária demais em alguns casos, estabelecendo a identificação das pessoas que entravam na Casa? Em algumas ocasiões em que a prática foi adotada não ocorreu qualquer tumulto.

Cida – Não. Quando a gente pensa em segurança não tem que ter medo. Quem faz a segurança é a Brigada Militar, a Guarda Municipal e a nossa segurança aqui dentro da Casa. E teve oportunidade em que identificamos pessoas que vieram para fazer não se sabe o quê aqui dentro. Quando são identificadas elas ficam impacientes e temerárias. Segurança é a primeira coisa a cuidar, sobretudo, quando há questões polarizadas.

Site – Chamou atenção este ano a grande quantidade de diárias gastas pelos vereadores. Isso poderia ter sido evitado?

Cida – Nas viagens a Porto Alegre temos agendas mais pessoais de cada vereador, mas as viagens a Brasília me incomodaram bastante, pois pouco se resolve indo lá. A assinatura da concessão da TV Câmara, por exemplo, resolvi tudo por telefone. Ok, o deputado tem que saber que eu existo, mas não podemos voltar lá com temas repetitivos. Tem coisas que se agilizam por telefone. Uma vez indo a Brasília já está bom.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *