RSC 287. Valdeci pede explicações oficiais sobre o contrato de manutenção do trecho entre SM e Paraíso

RSC 287. Valdeci pede explicações oficiais sobre o contrato de manutenção do trecho entre SM e Paraíso

Por TIAGO MACHADO (texto e foto), da Assessoria de Imprensa do Parlamentar

RSC 287. Valdeci pede explicações oficiais sobre o contrato de manutenção do trecho entre SM e Paraíso - valdeciO deputado estadual Valdeci Oliveira protocolou (foto ao lado), nesta quarta-feira (5), na Assembleia Legislativa, um pedido de informações sobre o contrato de manutenção da RSC-287, no trecho entre Santa Maria e Paraíso do Sul.

Entre os questionamentos feitos ao governo do Estado, estão o valor e a origem dos recursos aplicados nas obras, o prazo do contrato, a descrição dos serviços já realizados e a identificação dos órgãos e dos responsáveis técnicos definidos para fiscalizar e supervisionar o trabalho.

“O serviço realizado no trecho está muito aquém das expectativas. O que estamos vendo ali é até vergonhoso. E eu cruzo nessa região todas as semanas. A comunidade precisa de explicações, porque se sabe que há recursos públicos investidos ali e, se nada for feito, a obra que será entregue não trará retorno algum para o usuário da rodovia”, cobra Valdeci.

O pedido de informações de Valdeci é, inicialmente, encaminhado ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo, que, na sequência, encaminhará o documento ao governador Eduardo Leite e ao Chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, para que seja dada o retorno dentro do prazo legal de 30 dias.

“Esperamos que o governo cumpra a legislação e nos dê o retorno acerca dessas informações o mais rápido possível”, acrescentou Valdeci.



1 comentário

  1. O Brando

    Segundo me disseram teve gente reclamando no radio sobre o assunto (radialistas gostam de usar o local de trabalho para discutir problemas pessoais). Faltou dizer que a RS-287 é responsabilidade da Empresa Gaúcha de Rodovias, criação de Tarso, o intelectual. Estatizou, prometeu baixar o pedágio. Redução foi ridícula, tiraram serviços de guincho e ambulância (jogaram o serviço para o SAMU).
    A ‘vantagem’ foi a criação de um monte de cabides.
    Quanto ao contrato de manutenção, se existir, há que se descobrir se o governador pagou pelo serviço, se existe divida, etc.
    Como um petista esconde um elefante numa plantação de morangos? Pintando as unhas do bicho de vermelho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *