UFSM. Estudantes, via DCE, pressionam. Refutam as aulas a distância e querem a suspensão do calendário

UFSM. Estudantes, via DCE, pressionam. Refutam as aulas a distância e querem a suspensão do calendário

UFSM. Estudantes, via DCE, pressionam. Refutam as aulas a distância e querem a suspensão do calendário - sedufsm-dce-aulas

Prédio da Administração Central , em Camobi. Alunos (e também professores) não querem educação a distância durante quarentena

Por BRUNA HOMRICH (com foto Divulgação/DCE), da Assessoria de Imprensa da Sedufsm

Frente à portaria nº 343 do MEC, que autorizou a realização de aulas a distância durante o período de suspensão das atividades nas universidades, estudantes da UFSM organizaram um abaixo-assinado online para suspender o semestre letivo e retomá-lo após o período de isolamento. O documento, que pode ser lido e assinado AQUI, contava, até o início da tarde desta quarta-feira, 25, com 862 assinaturas.

“Sabemos que é triste ter que pensar em seguir os passos de outras universidades e cancelar o semestre, mas é o melhor a ser feito no momento. Muitos alunos, ao voltar para casa, ficam sem internet e, com tudo fechado, não podem acessar o Moodle e e-mail. Vamos olhar para além da nossa realidade e pensar no próximo, os que estarão sendo lesados nesse caso serão as pessoas pobres, os indígenas que voltaram para as suas aldeias, que nem sempre são perto das cidades e muitas outras pessoas.
Além de muitas pessoas não terem acesso, as aulas virtuais não serão iguais às presenciais, o ensino não será o mesmo. Se continuarmos a estudar nesse semestre somente por moodle, seremos muito lesados”, diz trecho do texto que acompanha o abaixo-assinado.

DCE contrário à substituição de aulas presenciais

Em nota, o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFSM coloca-se contrário à substituição de aulas presenciais por aulas à distância. A entidade esteve reunida com a reitoria da UFSM na última terça, 24, e destacou em nota alguns pontos acordados com a instituição: “a modalidade de EAD poderá ser executada somente naqueles cursos onde ela já é efetuada; não haverá controle de frequência; as atividades postadas no Moodle terão caráter complementar e não avaliativo, como ferramenta de mantermos o vínculo com o meio acadêmico, respeitando quem não tem condições sociais ou mentais de realizá-las”.

O DCE ainda incentiva os estudantes a utilizarem a Ouvidoria da UFSM e contatarem o próprio DCE para denunciar atitudes de professores que desrespeitem as orientações da reitoria e queiram penalizar os estudantes.

“[…] as atividades realizadas nesse momento não podem ter caráter avaliativo, e não deve haver a contabilização de presenças – não prejudicando assim estudantes que não apresentem condições de realizar as tarefas propostas. Diante disso, ressalta-se a autonomia da categoria estudantil em estar realizando ou não as atividades solicitadas, conforme as suas condições específicas. Além disso, em hipótese alguma aulas práticas poderão ser exercidas a distância, já que isso representa um grande prejuízo para a formação.

Em meio a essa situação, é essencial que a manutenção do vínculo entre estudantes e Universidade se dê de forma harmônica. A sobrecarga das e dos estudantes afetará ainda mais nossa saúde mental, que já se encontra muito fragilizada, portanto é necessário que haja um diálogo sincero entre discentes e docentes em torno disso – sendo imprescindível que os estudantes avaliem junto aos professores o andamento e aproveitamento das atividades já propostas, bem como justifiquem a não participação atividades”, diz trecho da nota publicado no Facebook do DCE UFSM.

A Sedufsm também já lançou uma nota colocando-se contrária à realização de aulas à distância, pois penalizariam tanto os estudantes que têm de, individualmente, encontrar recursos para acessar as aulas, quanto os professores que, do dia para a noite, teriam de desenvolver didáticas de EaD, que diferem das presenciais. Leia AQUI a nota do sindicato.

Reitoria

Segundo a reitoria, não haverá prejuízo aos estudantes que comunicarem aos professores responsáveis pelas disciplinas suas dificuldades de acessibilidade e conectividade. Os professores poderiam aplicar avaliações aos estudantes nesse período de isolamento, porém àqueles que reportarem dificuldades deverá ser garantido o direito de realizarem tais atividades no período de recuperação presencial de aulas. As atividades vêm sendo postadas e realizadas via Moodle, uma plataforma online.

Da mesma forma, os docentes que não se sentirem confortáveis em lecionar à distância poderão recuperar os conteúdos posteriormente, no período de reposição do calendário, de forma presencial.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *