RETOMADA? Prefeitura reúne-se com educadores, gestores de quadras esportivas e dos clubes sociais

RETOMADA? Prefeitura reúne-se com educadores, gestores de quadras esportivas e dos clubes sociais

RETOMADA? Prefeitura reúne-se com educadores, gestores de quadras esportivas e dos clubes sociais - prefeitura-escolas

Entre os ouvidos hoje pela pelo  Prefeito (e também o Chefe da Casa Civil e secretária da Educação) estiveram os gestores de escolas

Por JOÃO PEDRO LAMAS (texto) e ARIÉLI ZIEGLER (foto), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

A Prefeitura de Santa Maria tem trabalhado para garantir a segurança da população em meio à pandemia de Covid-19, doença disseminada pelo novo coronavírus. Em um primeiro momento, os esforços do Executivo Municipal estavam voltados para a contenção do vírus. Após, foi possível buscar, também, leitos junto ao sistema de saúde caso fossem necessários. Por fim, e é o que está sendo feito agora, a retomada gradual da cadeia econômica da cidade. A exemplo do que vem ocorrendo nas últimas semanas, a Prefeitura reuniu-se, nesta quarta-feira (22), com representantes de escolas, quadras de esporte e clubes esportivos.

“Estamos ouvindo todos os setores para entender quais são as principais dificuldades atualmente e o que pode ser feito para que a retomada gradual das atividades seja possível. É um momento de diálogo. Dessa forma, a Prefeitura consegue identificar com precisão o que é importante através de quem está a frente desses negócios. Sabemos que é um momento difícil e estamos fazendo tudo que está ao nosso alcance, sempre pensando na segurança da população”, afirmou o prefeito Jorge Pozzobom.

As conversas vão subsidiar decretos municipais que trarão as regras que precisarão ser seguidas para que os espaços voltem a funcionar.

“O controle é rigoroso. As regras precisam ser seguidas à risca. Estamos permitindo a retomada gradual e avaliando constantemente, pois a segurança da população é a nossa prioridade. Estamos indo bem até agora, mas isso só se manterá se continuarmos seguindo as orientações médicas, que apontam a necessidade de isolamento social, uso de Equipamentos de Proteção Individual e higienização, como a das mãos com sabão e álcool em gel”, explicou o secretário chefe da Casa Civil, Guilherme Cortez.

Educadores

O decreto estadual que regula o funcionamento de escolas no Rio Grande do Sul aponta até o final do mês para a validade das determinações. No entanto, há sinalização para ampliação do prazo. Cientes disso, o Sindicato do Ensino Privado (Sinepe), junto de representantes de outras instituições de ensino, principalmente particulares, estiveram no Gabinete do Prefeito para explicar como veem as medidas em vigor e projetar a retomada das atividades.

“Estamos de braços com a Prefeitura de Santa Maria. Não há possibilidade da retomada normal diante desse cenário de pandemia. Estamos trabalhando de forma remota, mas as atividades não substituem a dinâmica da sala de aula, principalmente no caso do ensino infantil. Estamos montando estratégias para manter as escolas abertas. Principalmente, contando com a solidariedade dos pais ou responsáveis. E que o Poder Público nos auxilie para que se entenda isso. Afinal, se as escolas fecharem, como vai ser?”, disse Carlos Henrique, do Colégio Santa Maria e que também integra o Sinepe.

A secretária de Educação, Lúcia Madruga, sinaliza que a Prefeitura fará o que for possível.

“Sabemos das dificuldades, principalmente das pequenas escolas. Afinal, se o serviço não está sendo prestado, não há pagamento. Se não há pagamento, como as escolas vão se sustentar? Sabemos, também, que as direções das escolas têm como prioridade a segurança de seus alunos e professores. Assim, vamos trabalhar juntos para ver de que forma, dentro dessas condições, a retomada é possível”, ponderou Lúcia.

Estiveram presentes: Thaiana Roni, da Educarte; Sérgio Silveira, do Colégio Marista; Gláucia da Silva, do Colégio Coração de Maria; da Rosane da Rosa, Escola Estrela da Manhã; Francielli Alves, da Escola Piaget; Marilene de Moraes, da Escola Doritos; José Eggres, da 8ª Coordenadoria Regional de Educação (8ª CRE), Luciane Schlottfeldt, do Conselho Municipal de Educação (CME); Sandra Frandazolo, da Escola Abelhinhas; Rosangela de Souza, do Jardim de Maria; e Marcos Falkembach, do Colégio Riachuelo.

Quadras de esporte

O último decreto municipal permitiu a retomada gradual de alguns estabelecimentos dedicados às atividades físicas, como as academias, desde que respeitada uma série de regras para impedir a disseminação do novo coronavírus. No entanto, quadras esportivas foram mantidas com os serviços restritos.

“Entendemos a necessidade da restrição. Em uma quadra de futebol, por exemplo, há o contato entre os atletas. É inevitável. Mas podemos tomar os devidos cuidados para assegurar que não haverá disseminação a partir de atividades realizadas nas quadras. Os negócios precisam voltar a funcionar, mesmo que limitados, pois, caso contrário, irão encerrar as atividades”, disse Rodrigo Bernardi, da La Guerrilla.

Entre as alternativas apontadas por Bernardi, estão: reduzir o número de horários para aluguéis de quadras, por exemplo, além de limitar o número de atletas, por vez, em campo. O mesmo cuidado ocorrerá nos vestiários, bem como disponibilização de itens de higiene, tal qual o álcool em gel. Outro ponto é a medição da temperatura daqueles que vão participar das atividades físicas, além da obrigatoriedade de responder a um formulário que assegura que o atleta está em boas condições de saúde.

A Prefeitura vai avaliar as ideias para a preparação do decreto. O Comitê Estratégico de Acompanhamento da Covid-19 tem, entre seus integrantes médicos que vão sinalizar, baseados em estudos, o que é possível e o que não é.

Estiveram presentes na reunião: Thiago Centurião, do Sport Show; Guilherme Ruy, da Planeta Bola; Claris Poerschke, da Painsport; Tiago Barcellos, da La Guerrilla; e  Nilson Braccini, da Confraria Del Padel.

Clubes

Representantes de clubes esportivos em Santa Maria retornaram ao Gabinete do Prefeito para mais uma reunião. A principal dificuldade dos clubes é a diversidade de serviços que oferecem aos seus sócios, desde academia, espaços abertos para lazer, salões de festa e quadras esportivas, o que demanda do Poder Público medidas específicas, já que todos envolvem a aglomeração de pessoas, uma das principais forma de disseminação do vírus causador da doença.

“Estamos avaliando com atenção o que pode ser feito. O que é evidente é a necessidade de controle por parte dos gestores. Existe a corresponsabilidade. O Poder Público faz a sua parte, e os gestores, bem como a população, fazem as suas”, disse o secretário chefe da Casa Civil, Guilherme Cortez.

Estavam presentes na reunião: Carlos Lôndero e Cleber Ruviaro, do Clube Recreativo Dores, e Marcelo Portella, do Avenida Tênis Clube (ATC).

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



2 comentários

  1. Tabajara Sales CECIM

    A pandemia está por chegar em SM. Assim sendo a PREFEITURA através da Secretaria de Saude e tambem todas instituições civis devem se preparar com projetos de ampliaçâo de espaços físicos para amparar a rede hospitalar exclusivos para Covid19. É melhor previnir do que remediar. Com relação ao ensino, pricipalmente o fudamental não vejo condições minimas retorno as aulas presencias antes de Setembro . Os pais estão abandonando a idéia de mandar seus filhos para escola, pois entendem que é melhor perder o ano do que correr riscos inrreparaveis com a vida dos mesmos. Com relação ao E. Superio é fácil de entender , pois nossa cidade receberá muitos a lunos de várias cidades do estado, alguns de fora do país e com eles , problemas de saúde .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *