CIDADE. Escola de Artes Eduardo Trevisan, há já 38 anos oferece cultura nas mais diversas manifestações

CIDADE. Escola de Artes Eduardo Trevisan, há já 38 anos oferece cultura nas mais diversas manifestações

CIDADE. Escola de Artes Eduardo Trevisan, há já 38 anos oferece cultura nas mais diversas manifestações - d59e3fca-valéria-pauta-emaet-1-840

Aula de violão na Escola Municipal de Artes Eduardo Trevisan. Que cuida de três campos da cultura: artes visuais, música e artes cênicas

Por VALÉRIA AUZANI (com fotos de Arquivo Pessoal), Especial para o Site (*)

Educação, cultura, arte e talento: tudo isso na Escola Municipal de Artes Eduardo Trevisan. A EMAET é pioneira da educação voltada para artes visuais em Santa Maria. Hoje, a sede é localizada na rua Manoel Ribas, número 1900, na Vila Belga – ponto turístico da cidade que garante valor histórico e cultural. Não poderia ser diferente, uma escola que carrega cultura, em uma vila cheia de histórias.

CIDADE. Escola de Artes Eduardo Trevisan, há já 38 anos oferece cultura nas mais diversas manifestações - 744811d8-valéria-pauta-emaet-2-500

Cultura e arte na praça Saldanha Marinho. É a presença da EMAET

A EMAET, cujo nome foi escolhido em homenagem a um dos primeiros artistas plásticos de Santa Maria, foi fundada há 38 anos, em uma parceria de Flamarion Trevisan, Joel Silva e Hiran Nunes. “Na época da fundação, foi a maior dificuldade encontrar um espaço tanto físico quanto social para podermos implantar nosso projeto de levar a arte de forma democrática à toda comunidade santa-mariense, quebrando o paradigma de elitização da arte que havia no mundo.”, conta o professor de Artes e diretor da EMAET, Hiram Nunes.

São oferecidos aos alunos diferentes tipos de cursos das três áreas das artes: visuais – com desenho, pintura, escultura e história da arte; na música – com violão, percussão e canto coral; e nas artes cênicas – com teatro, malabares e cenografia e figurinos. Nunes assegura que “a arte nos faz sentir que podemos ser pessoas melhores e capazes de nos comunicar e transformar para melhor tudo e todos ao nosso redor, é uma forma de comunicação sem fronteiras e sem barreiras.”

Não só hoje, mas desde sua fundação, a escola sempre foi uma das maiores incentivadoras de arte e cultura na cidade. O diretor ressalta que “a maior motivação é poder proporcionar a mais e mais pessoas, terem a possibilidade do contato com a arte e desfrutarem da magia transformadora que a arte tem sobre as pessoas.” A EMAET proporciona educação sobre artes de forma aberta e inclusiva para a sociedade.

As matrículas abrem sempre uma semana depois do início das aulas das outras escolas de rede pública, e segue o calendário escolar da rede municipal de ensino público, completando 200 dias letivos. Hoje a EMAET oferece cursos nos três turnos. A faixa etária também é ampla, desde 8 anos até alunos com mais de 70. Além disso, após completarem o número de vagas, abre-se uma lista de espera para aqueles que desejam estudar na escola. Lembrando que a escola é pública e portanto, qualquer pessoa pode inscrever-se sem custo algum.

(*) Valéria Auzani é acadêmica de Jornalismo da Universidade Franciscana e faz seu “estágio supervisionado” no site



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *