ESTADO. Governo inicia a pagar folha de servidores nesta quarta: R$ 1,5 mil. Quitação total só em julho

ESTADO. Governo inicia a pagar folha de servidores nesta quarta: R$ 1,5 mil. Quitação total só em julho

ESTADO. Governo inicia a pagar folha de servidores nesta quarta: R$ 1,5 mil. Quitação total só em julho - 88493a4c-estado-saláriosDa Assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual da Fazenda (texto e arte)

A Secretaria da Fazenda inicia, nesta quarta-feira (10/6), o pagamento dos salários referentes à folha de maio do Poder Executivo. O primeiro depósito será para o grupo de servidores que recebem líquido até R$ 1,5 mil, o que representa 23% dos vínculos.

O restante dos pagamentos será no sistema de parcelas a todos os servidores que recebem acima de R$ 1,5 mil. O depósito da primeira parcela será na próxima sexta-feira (12), no valor de R$ 1,5 mil.

O próximo pagamento está previsto, caso a arrecadação estimada se confirme, para o dia 30 de junho no valor de R$ 700. Nesse dia, o Tesouro do Estado quita a folha para quem recebe líquido até R$ 2,2 mil (44% dos vínculos) e garante que os todos os servidores tenham o mesmo valor depositado em suas contas.

No dia 10 de julho, deve ser paga nova parcela, no valor de R$ 800, a todos os servidores, quitando a folha para quem recebe líquido até R$ 3 mil, o que corresponde a 57% dos vínculos.

A quitação total da folha de maio está prevista para o dia 13 de julho, caso se confirme efetivamente a data divulgada pelo governo federal para o repasse da segunda parcela do auxílio federal destinado à recomposição de perdas de arrecadação dos Estados decorrentes da crise da Covid-19.

Conforme o secretário da Fazenda, Marco Aurelio Cardoso, o momento é de incerteza quanto à arrecadação própria de tributos estaduais e, havendo margem financeira dentro do fluxo de caixa, novos pagamentos serão anunciados. “Desde o início da pandemia até o final de maio, o Estado perdeu cerca de R$ 1,7 bilhão em arrecadação bruta, dos quais R$ 1,2 bilhão corresponde à parcela do Tesouro Estadual. No mês de junho, embora menos grave do que maio, o cenário estimado é de queda bruta próxima a R$ 700 milhões. As despesas estaduais estão controladas, mas reafirmamos a importância do suporte federal para cobrir a perda enorme de receitas. Com a primeira parcela, conseguimos quitar o que faltava da folha de abril e a segunda parcela será essencial para também avançarmos no pagamento de maio”, afirmou Marco Aurelio.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *