ARTIGO. Luiz Carlos Nascimento da Rosa, Covid-19 e as ações erráticas de quem tem o poder. E os outros?

ARTIGO. Luiz Carlos Nascimento da Rosa, Covid-19 e as ações erráticas de quem tem o poder. E os outros?

ARTIGO. Luiz Carlos Nascimento da Rosa, Covid-19 e as ações erráticas de quem tem o poder. E os outros? - e3c23373-covid-novíssimoPandemia e pandemônios: o caso brasilis

Por LUIZ CARLOS NASCIMENTO DA ROSA (*)

Ao emergir a aurora de um novo ano desejamos, para amigos e conhecidos, feliz ano novo. Um excelente 2020 com muita paz e saúde e que todos os vossos sonhos se realizem. A dialética nos afirma que o humano é um ser das contingências. Saúde, paz e a felicidade vão depender das contingências que nos deparamos na travessia do novo ano.

A vida humana não depende dos desígnios de Zeus, Deus ou dos Orixás. O ano novo vai depender do que fizemos em nossas práticas sociais e das condições fisiológicas ou biológicas do nosso existir. Saúde, felicidades e dinheiro estão submersos nesse universo contraditório dessas contingências da magnânima, inevitável e plural travessia.

O que dizer para amigos e conhecidos sobre o novo ano de 2020? Para ser franco, o ano novo de 2020 não vai começar e terminar em uma histórica normalidade! Não há possibilidade de um feliz ano de 2020! Um processo biológico nos, com um vírus, deixou abanando para um futuro feliz. Não é guerra ou conflito entre seres humanos egoístas e detentores do dinheiro e o capital.

A vida humana, neste contexto, não depende de interesse e dinheiro. É um microorganismo que está tornando todos nós à deriva do desejo e vontade política e social. Um Vírus está causando um delírio na vida prática e teórica do ser humano. O Coronavirus bagunçou a lógica do dinheiro e do egoísmo do capital. A vida humana está submersa nos caminhos biológicos desse fragmento de ser. Potente para matar e, até  hoje, impossível de dominar.

Dizia um certo governante, ignorante para compreender, que seria uma “gripezinha”. Fora essas falácias de sua caverna escura da ignorância, o tal Coronavírus está dizimando os seres humanos de suas vidas e dá companhia da vida feliz em família.

Ser contra os ditames rigorosos da Ciência é, segundo a OMS, uma debilidade e ignorância. Devemos pensar que um chefe de Estado que aposta no obscurantismo religioso e, em vez de governar, faz do poder uma eterna campanha política, um “bufão”, um roto que vive nos mundos subterrâneos dos ratos e animais peçonhentos.

O sol brilha para quem a vida ama. A noite no conhecimento esconde aqueles que não sabem nada sobre a vida teórica e prática. Dizer-se um ignorante é uma forma de ganhar votos de seres egoístas e estúpidos. Não gostar do outro é uma forma que o vírus esconde e mata.

Quem liga para milhares de morte? No Brasil estamos, hoje 4 de junho, com 1394 mortes, em 24 horas. Hoje contabilizamos mais de 96 mil até hoje. Para o Chefe de Estado nunca interessou. Anda de moto e ironiza seu próprio Ministério da Saúde. A ignorância tomou conta de nossa pólis. O Presidente, em público, com seus puxa-sacos, falamos, de forma irresponsável e irônica: vamos chegar ou já chegamos a 100 mil mortos.

O jornal O Globo estampa, em suas páginas que “Pandemônio é Bolsonaro”. De forma cínica diz “vamos tocar a vida”. Como as milhares de famílias que perderam seus pais, irmãos, amigos e filhos amados irão tocar a vida? O importante é a ideia de filhos fascistas e ignorantes. A vida saudável e digna não interessa. Interessa um Estado facínora e desumano.

Armas são a lógica desses amantes do obscurantismo e a lógica fascista. A infantilidade de seus seguidores nos causam preocupação e náusea. A vida na pólis vai mudar por uma Educação de qualidade. Como diz Albert Camus: se existe algo de essencial em mim é o amor! Amar o outro é a única forma de amar o mundo e mudar a vida! Eles amam Thanatus e nossa vida gira entorno de Eros. A morte está na vida de nosso chefe de Estado.

(*) Professor do departamento de Metodologia do Ensino da UFSM

Observação do Editor: a imagem que ilustra este texto é uma reprodução da internet.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *