ComportamentoEconomiaNegóciosSaúde

NOVA ERA? Maquiadoras investem na produção de conteúdo, para se manterem ativas durante pandemia

Maquiagem feita por Luiza Londero para ensaio fotográfico, uma das opções que se manteve, mesmo em tempos de pandemia

Por ANDRIELE HOFFMANN DA CRUZ (com foto de Reprodução ), Especial para o Site (*)

Eventos cancelados, festas adiadas. As maquiadoras – assim como outras profissionais do segmento da beleza – estão enfrentando a crise financeira causada pela pandemia e, a partir deste cenário, começaram a buscar alternativas com o objetivo de não serem esquecidas pelo seu público e manter o negócio “de pé”.

Investir na produção de conteúdo digital têm sido uma opção eficaz. Com a falta de atendimentos e a necessidade de seguir prestando serviço ao seu público, as profissionais passaram a produzir conteúdo em grande escala: vídeos tutoriais, lives de maquiagem e os famosos “challenges”- que desde 2019 vêm fazendo sucesso entre as apaixonadas por maquiagem.

Aline Soares, maquiadora profissional desde 2015, relata que se viu sem trabalho na pandemia e para se manter ativa e apta aos atendimentos investiu mais do seu tempo na produção de conteúdo digital. “Precisei me reinventar para não abandonar o que amo. Sigo mostrando que meu trabalho não parou, e quando tudo isso acabar estarei pronta para meus clientes. Eu repito várias vezes para mim a frase quem não é visto não é lembrado”, relata a profissional.

Os challenges são uma espécie de desafio entre as profissionais da área bastante popular nas redes sociais, que consiste na produção de vídeos curtos que mostram o antes e depois das maquiagens, bem como o passo a passo. O formato de produção de conteúdo divertido e animado, ficou conhecido pelo efeito de “mágica” que é construído através de movimentos e edição. “Os primeiros challenges foram por pura brincadeira, mas o retorno e a interação que tive me espantou, então vi que não podia parar”, conta Aline, que admitiu ter tido dificuldade na produção dos challenges no início, mas que começou a estudar o assunto e aperfeiçoar suas produções.

Abaixo, uma das produções de Aline, com mais de 40 mil curtidas no “Tik Tok”

Outra maneira das maquiadoras manterem suas atividades na pandemia são as parcerias com fotógrafos,  pois os ensaios fotográficos individuais não cessaram e acabaram rendendo muitos trabalhos para as profissionais da beleza. “Os books foram aumentando, grande oportunidade para poder ter um pouco de trabalho como maquiadora”, desabafa Luiza Londero, maquiadora e designer de sobrancelhas.

O mestre em Marketing Internacional pela Universidade Jönköping na Suécia e fundador da Serafina Marketing, Lucas Alban, explica sobre a importância em manter os anúncios na pandemia mesmo que o negócio esteja estagnado, pois o isolamento social estimulou uma sobrecarga de informações nas redes e um uso excessivo de ferramentas tecnológicas e, por isso, quem não investe em marketing digital acaba sendo esquecido pelo consumidor. “Tendemos a esquecer com mais facilidade quem não vemos. É o famoso ‘quem não é visto não é lembrado’, mas com ainda mais força do que antes”, explica Alban.

Alban complementa dizendo que os setores da beleza e estética, assim como outros segmentos afetados pela crise, devem identificar as necessidades do consumidor, mesmo que o mercado esteja instável, pois as demandas existem, porém o mercado muda e necessita de uma renovação constante. “O que ele espera que seu serviço resolva? O que pode facilitar na vida dele que ninguém mais faz?”, finaliza Alban.

O especialista salienta que o uso das redes sociais é essencial para manter o vínculo e se inserir em um ambiente particular do consumidor. É uma forma de ser visto e criar laços de confiança com aqueles que acreditam no potencial do negócio.

(*) Andriele Hoffmann da Cruz é acadêmica de Jornalismo da Universidade Franciscana e faz seu “estágio supervisionado” no site

Artigos relacionados

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo